Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]





Comentários recentes

  • Triptofano!

    Realmente no Porão qualquer excitação ficaria auto...

  • Veegam

    Como obter Stellar Lumens gratis!https://steemit.c...

  • Firmino

    deus vê a quem a gente faz bem e depois no fim lev...

  • Planeta Cultural

    O ser humano consegue bem de longe ser pior que os...

  • Maribel Maia

    É com muita pena que leio notícias dessas!





Fidelização às operadoras mantém-se mas será mais barato romper contratos

Quarta-feira, 13.04.16

Os partidos chegaram a acordo para a alteração à Lei das Comunicações Electrónicas para reforçar a protecção dos consumidores no que toca aos contratos com as operadoras.

 

O período máximo de fidelização mantém-se em 24 meses, apesar das propostas do Bloco de Esquerda e do PCP terem proposto limitar o período de obrigatoriedade para 12 meses. No entanto, as operadoras vão passar a ser obrigadas por lei a ter ofertas sem fidelização e com prazos mais curtos de seis e 12 meses, de acordo com as novas regras aprovadas esta quarta-feira, 13 de Abril, na Comissão de Economia, Inovação e Obras Públicas.

 

A limitação das compensações exigidas pelas operadoras pela cessação antecipada de contratos por parte dos consumidores também vai sofrer alterações.

 

Até agora, era cobrado o valor em falta das restantes mensalidades até ao final do prazo contratual. Com a nova Lei, o valor para rescindir o contrato tem de estar previamente indicado à data da assinatura do contrato. E os montantes não podem ser superiores ao valor em falta até ao final do contrato em curso, explicou ao Negócios Joel Sá, deputado do PSD.

 

Na base do cálculo das penalizações a pagar pelos clientes passará a constar, logo na assinatura do contrato, os custos das operadoras com os equipamentos, como as "boxes" ou telefones, que terão que ser ressarcidos pelos clientes caso queiram cortar contrato antes do tempo indicado.

 

"A assimetria de um operador com um cliente é enorme", por isso, o novo diploma teve como foco "aumentar as exigências de informação por parte das operadoras" de forma a "melhorar os direitos dos consumidores", explicou Hélder Amaral, presidente da Comissão de Economia.

 

Outra das alterações que vai constar no texto final do novo diploma passa pela proibição de as operadoras renovarem automaticamente por mais 24 meses os serviços subscritos pelos consumidores. Ou seja, as operadoras vão passar a ser obrigadas a enviar por escrito o contrato das vendas feitas à distância. E as gravações dos telefonemas vão ter de ficar disponíveis durante o mesmo período de vigência do contrato em curso. A actual Lei, que data de 2004, impõe o prazo máximo de 12 meses.

 

Para Joel Sá, com as novas alterações resultantes das quatro propostas do BE, PCP, PSD e PS, a lei das Comunicações Electrónicas passa a estar "mais esmiuçada" e "os consumidores passam a estar mais protegidos".

O tema começou a ser debatido no Parlamento no final do ano passado, no seguimento da petição da Deco, com 157.847 assinaturas, entregue em Janeiro de 2014 que exigia a redução do actual período máximo de fidelização nos contratos de telecomunicações.

 

O próximo passo agora passa pela votação final do novo texto do diploma, ainda sem data agendada. No entanto, como explicou o deputado do PSD, ainda terá de voltar à Comissão de Economia para revisão final.


Operadoras alertam que ónus pode recair nos consumidores

Os contratos de fidelização têm motivado quase metade das queixas que a Deco recebe dos clientes de telecomunicações.

Do total de queixas que o regulador do sector de telecomunicações (Anacom) recebeu no primeiro semestre do ano passado, perto de 9% estão relacionadas com os contratos de fidelização.

Como o regulador do sector já relembrou, apesar de a lei não obrigar, os operadores têm lançado novas ofertas, dando resposta a um desejo dos consumidores de não ficarem ‘presos’ ao contrato ou operador em causa. Hoje, os maiores operadores do mercado (Nos, PT e Vodafone) disponibilizam ofertas sem fidelização, que implicam um preço acrescido da mensalidade e, como manda a lei, com 12 ou 24 meses de fidelização.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Publicado por Planeta Cultural às 19:12

Benfica/Nos contra Porto/Meo: o que vale mais?

Domingo, 27.12.15
O acordo entre Altice e FC Porto vale mais 57 milhões que os 400 milhões fechados entre a Nos e o Benfica. O prazo é o mesmo. Mas o que está dentro do pacote não é comparável.
 
 

O valor
Benfica e Porto comunicaram acordos com valores distintos. O do Benfica com a Nos vale 400 milhões de euros. O Porto chegou a acordo com a Altice/PT Portugal por um valor global de 457,5 milhões de euros. 

Pacote do Benfica inclui jogos e BTV

O valor anunciado pelo Benfica foi mais redondo: 400 milhões de euros por 10 anos de transmissão de jogos em casa e pela distribuição do seu canal BTV. Um preço que será gradual ao longo deste prazo e que não descrimina quanto valem os jogos e o canal. Neste pacote não está incluído o patrocínio das camisolas, que o Benfica vendeu à companhia aérea Fly Emirates, por um valor não revelado. Mas estão incluídos espaços de publicidade no Estádio da Luz e acções de marketing específicas, cujo valor total também não foi divulgado.


Porto vende jogos, camisola e canal
O preço do negócio entre Altice e FC Porto é superior ao do Benfica e Nos, mas inclui direitos diferentes.
A começar nos prazos: são 10 anos de jogos em casa a partir de 2018, quando expira o acordo em vigor com a PPTV, de Joaquim Oliveira, que revendeu esses direitos à Sport TV.
O acordo do Porto inclui direitos de transmissão do Porto Canal a partir de Janeiro de 2016, o que é comparável ao acordo da Nos para a BTV. Mas o acordo com a dona da Meo e o Porto inclui o patrocínio das camisolas (que o Benfica tem com a Emirates), não tendo sido descriminado este valor. E entra já em vigor em Janeiro. É a componente específica do acordo que permite apresentar o preço total de 457,5 milhões de euros.

 

 

In' Jornal de Negócios

Autoria e outros dados (tags, etc)

Publicado por Planeta Cultural às 22:03

Netflix chega a Portugal ligada à Vodafone

Terça-feira, 20.10.15
O serviço de streaming de séries e filmes Netflix chegará amanhã a Portugal e a Vodafone fechou uma parceria com a empresa norte-americana para que a sua aplicação fique disponível através do serviço de televisão da operadora.
 
 

Segundo o comunicado enviado esta terça-feira, 20 de Outubro, às redacções pelaVodafone, a aplicação da Netflix ficará disponível através do serviço de televisão da operadora a partir de amanhã, data do lançamento oficial do serviço de streaming norte-americano em Portugal.



Assim sendo, diz a marca, "os clientes Vodafone Tv passarão a ter acesso a um leque variado de séries, filmes e documentários", onde se incluem produções próprias do Netflix, como a série "Orange is the New Black", "Daredevil-Demolidor" (da Marvel), "Narcos", entre outros. De fora fica, por exemplo, a série "House of Cards", cujos direitos televisivos já foram vendidos à TVSéries e à SIC.

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Publicado por Planeta Cultural às 17:13

Operadora móvel virtual Lebara chega a Portugal

Quinta-feira, 19.02.15

A partir de agora o mercado português conta com um novo operador de telecomunicações: a Lebara.  A operadora móvel virtual, com sede em Londres, está a expandir os seus serviços para novos mercados através do lançamento mundial da aplicação móvel Lebara Talk.

 

A aplicação é compatível nos smartphones com sistemas Android e iOS e permite realizar chamadas internacionais low cost com possibilidade de carregamento de saldo. O principal target desta oferta são as comunidades emigrantes e os seus familiares e amigos.

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Publicado por Planeta Cultural às 19:47

Governo cede no aumento da taxa a pagar pelas televisões de subscrição para o cinema

Quinta-feira, 02.01.14

A Lei do Cinema previa a progressão da taxa que as televisões por subscrição pagam para o cinema, que começaria nos 3,5 euros até chegar aos 5 euros. O Governo recuou, fixando a taxa única em 3,5 euros. O resto será pago pela Anacom.

 

O Governo aprovou esta quinta-feira, 2 de Janeiro, uma alteração à Lei do Cinema, para resolver o impasse com os operadores de televisão por subscrição que se recusaram, até ao momento, de pagar a taxa estabelecida nesse diploma.

 

A Lei do Cinema, aprovada em 2012, previa o pagamento por parte das televisões por subscrição de uma taxa que começava nos 3,5 euros, mas que anualmente teria de progredir até se chegar aos cinco euros. Jorge Barreto Xavier, secretário de Estado da Cultura, anunciou, na conferência de imprensa que se seguiu ao Conselho de Ministros, que já não haverá essa progressividade e que a taxa “vai ser estabilizada em 3,5 euros por subscritor”.

 

Sérgio Monteiro, secretário de Estado das Comunicações, também presente na conferência de imprensa, explicou que, por outro lado, vai ainda haver um contributo indirecto, por via dos resultados líquidos da Anacom, regulador do sector, que irá financiar o ICA – Instituto do Cinema e do Audiovisual. Nem na conferência nem no comunicado do Conselho de Ministros é referido o montante que será destinado ao ICA por parte da Anacom. Sérgio Monteiro lembrou, ainda, que as verbas provenientes dos resultados líquidos da Anacom são originadas nos operadores de Telecomunicações.

 

Por isso, Jorge Barreto Xavier garante que não houve recuo por parte do Governo. E que o cinema irá receber os 10,7 milhões de euros previstos na Lei do Cinema. Sérgio Monteiro acrescentou que "a lei, que está em vigor, é plenamente cumprida", mas com esta solução "é sanada uma falha", já que havia uma separação de opiniões entre operadores e agentes do sector.

 

Ainda a fechar o ano o Governo fez publicar uma portaria que aumentou, em cerca de 10 milhões de euros, as taxas de espectro a pagar pelo sector das telecomunicações. A Anacom é que recebe esses valores, mas entrega ao Estado sob forma de dividendos. Nos últimos anos, a Anacom tem dado em dividendos mais de 20 milhões de euros, que o Governo tem aproveitado para pagar várias despesas públicas, como as verbas destinadas à Agência Espacial Europeia. Também dos resultados da Anacom é feito um financiamento à ERC, de um milhão de euros. E já serviu para pagar aos operadores o programa e-escolas.

 

Agora irá fazer uma dotação para o ICA. A Lei do Cinema, de 2012, criou a taxa a pagar pelos operadores de televisão por subscrição, que os operadores se recusaram a pagar em 2013 e que levou à existência de uma dívida estimada em mais de 12 milhões.

 

 


Para visitar a fonte da informação clique aqui

Autoria e outros dados (tags, etc)

Publicado por Planeta Cultural às 21:00

Consulta pública sobre TDT deve ser lançada em Janeiro

Terça-feira, 17.12.13

A consulta pública sobre a televisão digital terrestre deve ser lançada em Janeiro pela Anacom e ERC.

 

A Anacom e a Entidade Reguladora para a Comunicação social (ERC) devem lançar a consulta pública sobre a televisão digital terrestre no início do próximo ano, admitiu Fátima Barros, presidente do regulador das comunicações, num encontro com a comunicação social.

 

Os dois reguladores estão, neste momento, a conciliar os trabalhos feitos para que surja a consulta pública.

 

Nesta consulta ao mercado vai questionar-se sobre a abertura de mais canais em sinal aberto, mas também outras questões tecnológicas ligadas ao processo.

 

Contactada pelo Negócios, a ERC tem dito que "o Conselho Regulador da ERC ainda não tomou nenhuma posição sobre a consulta pública que a Anacom anunciou que vai lançar. A ERC deverá divulgar a sua posição oportunamente".

 

Este vai ser um dos trabalhos da Anacom no próximo ano, que será preenchido com análises de mercado das comunicações para verificar as medidas regulatórias. 

 

A Anacom vai ter vários trabalhos a concretizar na área postal, com a definição dos preços do serviço universal (que deixou de incluir os serviços especiais), mas também com a metodologia dos custos líquidos do serviço universal. 

 

 

Para visitar a fonte da informação clique aqui

Autoria e outros dados (tags, etc)

Publicado por Planeta Cultural às 20:52

Portugal Telecom no STOXX Global ESG Leaders Indices pelo terceiro ano consecutivo

Quarta-feira, 09.10.13

A Portugal Telecom (PT) é a operadora com melhores práticas de sustentabilidade social entre as empresas do setor das telecomunicações, ao nível global, que integram o STOXX Global ESG Leaders Indices.


Pelo terceiro ano consecutivo, a PT integra o STOXX Global ESG Leaders Indices, que avalia uma série de práticas ambientais, sociais e de governança de empresas de todos os setores de atividade em todo o mundo. O STOXX Global ESG Leaders Indices foi lançado em 2011 e desde essa data que a PT é a única empresa de telecomunicações portuguesa que o integra.

As práticas de sustentabilidade, no contexto social, valeram à PT o primeiro lugar entre as empresas do setor das telecomunicações, ao nível mundial. Quando analisadas as práticas de sustentabilidade de 1800 empresas, a PT é posicionada no quartil superior, em termos de práticas ambientais, sociais e de governança.


A PT é também reconhecida por outros importantes índices mundiais de sustentabilidade e ética empresarial, uma vez que integra também o Dow Jones Sustainability Index, o FTSE 4GOOD, ECPI Sense in Sustainability, OEKOM, Ethibel Excellence, e desde 2012 está também presente no índice The World’s Most Ethical Companies.


Ser referência na Sustentabilidade a nível mundial é um dos objetivos estratégicos da PT e a presença nestes índices reforça e distingue essa estratégia, as suas políticas e o desempenho, assim como o reconhecimento do caminho que tem seguido ao longo destes anos ao nível da sustentabilidade dos negócios, na área ambiental, ética e social.


Sobre o STOXX Global
O universo de base STOXX Global é de 1800 empresas. Destas, apenas 206 são selecionadas para o Global STOXX, sendo as restantes selecionadas apenas para uma das subáreas.


O processo de seleção obedece a regras claras e rigorosas, liderado pela Sustainalytics, através de um questionário preenchido pelas empresas convidadas, de todos os setores de atividade ao nível mundial.


STOXX Limited é um especialista em índice estabelecido e líder, com um património europeu.


Os índices são licenciados para maiores emissores mundiais de produtos financeiros, proprietários de capitais e gestores de ativos, bem como mais de 400 empresas em todo o mundo, e são utilizados não só como suporte para produtos financeiros, como para fundos negociados em bolsa ( ETFs), futuros e opções e produtos estruturados , mas também para o risco e medição de desempenho.


Os índices de Sustentabilidade STOXX acompanham o desempenho das empresas sustentáveis, estão atualmente disponíveis para a Europa e a zona euro e podem ser encontrados no sítio:

http://www.stoxx.com/indices/types/esg_desc.html





Autoria e outros dados (tags, etc)

Publicado por Planeta Cultural às 22:00

Cabovisão entra no futebol

Sexta-feira, 02.08.13
A operadora de telecomunicações vai ser a patrocinadora oficial da Segunda Liga de futebol que estava sem patrocinador.
 

A Cabovisão vai ser a patrocinadora da Segunda Liga, que estava sem patrocinador. Esta sexta-feira, 2 de Agosto, o acordo foi anunciado, não tendo sido revelados valores associados ao patrocínio.

 

É mais um operador de telecomunicações a entrar no futebol, onde a PT está como patrocinadora da selecção de futebol e dos três principais clubes - Benfica, Porto e Sporting. A Zon é uma das patrocinadoras da I Liga.

 

Agora a Cabovisão, que tem anunciado disponibilidade para investir no mercado português depois de ter sido adquirida pelo grupo francês Altice, avança agora para um patrocínio de massas. A Segunda Liga vai, assim, passar a designar-se Liga Revolução by Cabovisão.

 

Em comunicado, a Cabovisão diz acreditar que esta associação ao futebol contribui "para uma visibilidade acrescida para a nossa marca".

 

A Cabovisão acrescenta que com este patrocínio estará presente em todos os estádios onde vão ser realizados 462 jogos, estando nos painéis das entrevistas e nos equipamentos das equipas.

 

No ano passado, a Segunda Liga teve um total, em todos os jogos e clubes, de 380 mil espectadores, tendo o Guimarães B sido a equipa com mais espectadores no acumulado da época, com um total de 37 mil adeptos. A Segunda Liga não teve patrocinador na época transacta, depois da Orangina ter terminado o patrocínio anterior.

 

 

Para visitar a fonte da informação clique aqui

Autoria e outros dados (tags, etc)

Publicado por Planeta Cultural às 20:00

Benfica TV ultrapassa os 100 mil assinantes

Segunda-feira, 29.07.13
Clube da Luz apresenta resultados da adesão à Benfica TV após um mês de plataform alargada aos principais operadores. Luìs Filipe Vieira diz que é preciso continuar a crescer.
 

Menos de um mês depois do início da emissão como canal premium em diversas plataformas, a Benfica TV ultrapassou os 100 mil assinantes.

 

“Creio que é uma boa resposta à aposta estratégica que foi feita e é um incentivo em relação ao futuro, mas é evidente que temos de continuar a crescer e a chegar a mais assinantes no mais curto período de tempo”, refere o presidente Luís Filipe Vieira,  presidente da SAD do clube da Luz, num comunicado publicado no site do clube.

 

A Benfica TV fechou os seus conteúdos a 1 de Julho, passando a ser um canal "premium" fechado a assinantes. A Benfica TV transmitirá os jogos do Benfica no Estádio da Luz, o que acontecerá pela primeira vez, assim como a Liga inglesa, a liga grega e a liga brasileira. Aderir à Benfica TV custa 9,9 euros, o que levou a Sport TV a lançar um pacote "low cost" pelo mesmo valor.

 

Quando foi lançada sem ser em canal "premium", a Benfica TV surgiu apenas na plataforma Meo, tendo ficado em exclusividade neste operador durante algum tempo. Na semana passada, fonte da Portugal Telecom afirmava que dos 80 mil assinantes  conseguidos pela Benfica TV até 18 de Julho 51 mil, ou 65%, eram clientes Meo.

 

A Benfica TV é emitida actualmente nas plataformas da PT, ZON e Cabovisão, em Portugal, assim como na Zap, para Angola e Moçambique.

 

 

Para visitar a fonte da informação clique aqui

Autoria e outros dados (tags, etc)

Publicado por Planeta Cultural às 20:33

Benfica TV com 80 mil assinantes

Sexta-feira, 19.07.13
Desde que iniciou emissões pagas, a Benfica TV já conseguiu 80 mil assinantes.  "Estamos no caminho certo", diz Luís Filipe Vieira.
 

A Benfica TV, em resposta ao anúncio de ontem da Sport TV de um canal "low cost", anunciou ter atingido 80 mil assinantes em 18 dias, ou seja, desde o arranque as emissões pagas.

 

Num comunicado divulgado no "site" do clube, o Benfica cita Luís Filipe Vieira, o presidente do clube, para dizer que "estes números são um bom indicador de que estamos no caminho certo e que com o empenho e vontade de todos os benfiquistas alcançaremos os objectivos que delineámos. Desejo que a nação benfiquista continue a aderir maciçamente demonstrando assim o carácter singular do nosso clube”.

 

O Benfica TV está fechado e disponível apenas para assinantes desde 1 de Julho, estando nas plataformas Meo, Zon e Cabovisão. O Benfica TV vai transmitir os jogos do Benfica no Estádio da Luz e ainda a Liga inglesa, da qual adquiriu os direitos de transmissão para Portugal.

 

O objectivo inicial do Benfica, segundo noticiou esta semana o "Diário Económico", era o de atingir até ao final do mês um total de 40 mil assinantes.

 

 

 

Para visitar a fonte da informação clique aqui

Autoria e outros dados (tags, etc)

Publicado por Planeta Cultural às 19:21


Pesquisar

 



Contacto

planetacultural@sapo.pt

Comunicado aos nossos leitores

1- Planeta Cultural é um Blog que tem por objectivo prioritário a divulgação do que de melhor vai acontecendo em Portugal e no mundo, compreendendo nomeadamente a apresentação de algumas imagens, textos, compilações / resumos com origem ou preparados com base em diversas fontes, em particular nas páginas da Internet e motores de busca, publicações literárias ou de órgãos de Comunicação Social, que nem sempre será viável citar ou referenciar. Convicto da compreensão da inexistência de intenção de prejudicar terceiros, não obstante, agradeço antecipadamente a qualquer entidade que se sinta lesada pela apresentação de algum conteúdo, o favor de me contactar via e-mail (constante no meu perfil público), na sequência de que procederei à sua imediata remoção.

2 - Os comentários expressos neste "Blog", vinculam exclusivamente os seus autores, não reflectindo necessariamente a opinião nem a concordância face aos mesmos do autor deste sítio, "Blog", pelo que, publicamente aqui declino qualquer responsabilidade sobre o respectivo conteúdo. Reserva-me também o direito de eliminar qualquer comentário que possa considerar difamatório, ofensivo, calunioso ou prejudicial a terceiros, bem como textos de carácter promocional que também poderão ser excluídos.

Atenciosamente;

---------------------------------R. C.
-------------Administrador do Planeta Cultural