Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Planeta Cultural

Acima de tudo, cultura geral

Planeta Cultural

Acima de tudo, cultura geral

Phil Rudd, baterista dos AC/DC acusado de tentar encomendar assassínio

06.11.14, Planeta Cultural

Phil Rudd.jpg

 

Phil Rudd foi libertado sob fiança por ordem de um tribunal da Nova Zelândia, após a sua casa ter sido alvo de buscas policiais esta quinta-feira.

 


O baterista dos AC/DC, Phil Rudd, foi esta quinta-feira formalmente acusado de tentativa de encomendar um assassínio - crime que pelo qual poderá ser condenado a uma pena máxima de 10 anos de prisão - num tribunal da Nova Zelândia, que o libertou sob fiança.

 

Segundo os documentos do tribunal do distrito de Tauranga, Rudd é acusado de ter tentado contratar uma pessoa para matar outras duas, entre 25 e 26 de setembro. O músico foi ainda acusado de ter ameaçado matar o queixoso, a 26 de setembro, e de posse de metanfetamina e de cannabis.

 

Rudd, que terá de voltar a comparecer em tribunal a 27 de novembro, ficou também impedido de contactar alguém que esteja envolvido no alegado plano.

 

Atualmente com 60 anos, o baterista compareceu no tribunal descalço e não efetuou quaisquer declarações duante a sua curta presença no local, nem tentou ocultar a divulgação do seu nome no caso.

 

Os 'media' australianos indicam que pretendia assassinar dois homens. O juiz determinou que tanto os nomes dessas pessoas como do indivíduo contactado para executar o crime, não poderão ser revelados.

 

Antes do músico ter sido presente a tribunal, a sua casa em North Island foi alvo de buscas policiais esta quinta-feira.

 

Rudd não surge na imagem e vídeos do novo disco dos AC/DC


O músico fora excluído dos AC/DC em 1983, mas em 1994 a banda voltaria a integrá-lo. Na primeira imagem promocional de "Rock or Bust", o primeiro álbum de originais da banda dos últimos seis anos, Rudd não aparece. O baterista não participou também em dois vídeos filmados nos últimos meses.

 

O vocalista da banda, Brian Johnson, disse na altura aos fãs que a sua ausência se deveu a uma "emergência familiar".

 

Jesse Fink, biógrafo autor de um livro sobre a banda, disse ao "Daily Mail Australia" ter ficado completamente chocado com estas notícias. E acrescentou que basta olhar para as fotografias mais recentes de Rudd e ver como o artista deixou degradar muito a sua imagem nos últimos anos.

 

 

Para visitar a fonte da informação, clique aqui