Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Planeta Cultural

Acima de tudo, cultura geral

Planeta Cultural

Acima de tudo, cultura geral

Duas lésbicas detidas na província de Aceh - Indonésia

Planeta Cultural, 03.10.15

A sharia, que cohabita com a lei civil em Aceh, está a limitar a liberdade das mulheres, incluindo não muçulmanas e turistas, de frequentarem ou trabalharem em cafés e estabelecimentos similares depois das 23h00

 

A Human Rights Watch (HRW) pediu a libertação imediata e incondicional de duas jovens indonésias, que estão detidas há seis dias sob a acusação de alegadamente serem lésbicas . De acordo com a agência Lusa, as jovens foram detidas na província de Aceh, na ilha de Sumatra, onde vigora a sharia [lei islâmica].

 

Em Aceh, província regida por um estatuto autonómico, a sharia está a obrigar mulheres de outras religiões a respeitarem os seus preceitos, restringindo assim o direito das mulheres podem trabalhar a partir das 23h00 em cafés ou estabelecimentos similares.

 

Em junho passado, o município de Banda Aceh aprovou uma medida que proíbe as mulheres de estarem em cafés e outros estabelecimentos de recreio e desportivos a partir das 23 horas, exceto quando acompanhadas pelos maridos ou familiares do sexo masculino.

 

A radicalização religiosa na província de Aceh está a restringir os movimentos de mulheres muçulmanas, não muçulmanas e turistas. Estas ficam igualmente proíbidas de frequentarem cafés e estabelecimentos similares depois das 23h00, excepto se estiverem acompanhadas pelos maridos ou familiares do sexo masculino.

 

A Lusa diz que medidas estão a ser aplicadas “não só à população maioritariamente muçulmana de Aceh, como também a cerca de 90 mil residentes de outras religiões, principalmente budistas e cristãos, assim como aos visitantes”, denuncia a HRW em comunicado citado pela agência Lusa.

 

SHARIA CONTRARIA A CONSTITUIÇÃO INDONÉSIA


As duas jovens que foram detidas a 28 de setembro sob a acusação de serem lésbicas têm 18 e 19 anos, e caminhavam abraçadas num parque público de Banda Aceh no momento em que ocorreu a detenção. A Human Rights Watch diz que as leis islâmicas que se aplicam em Aceh, contrariam a Constituição da Indonésia e, também, o Pacto Internacional de Direitos Civis e Políticos que ratificado pelo país asiático em 2005.

 

Graeme Reid, diretor do programa LGBT [lésbica, 'gay' (homossexual), bissexual, transgénero] da Human Rights Watch, diz [em comunicado citado pela Lusa] que a detenção das duas jovens é um "abuso intolerável do poder policial" a detenção e instou o governo central a pressionar para a revogação das leis discriminatórias em Aceh.

 

 

A liberdade de movimentos das mulheres tem cada vez mais restrições na província de Aceh, onde também foi criada uma “polícia que vigia a moral pública”, refere a Lusa. As mulheres estão proibidas de cantarem ou dançarem em locais públicos

 

A lapidação foi retirada do Código Penal. A Indonésia é o maior país muçulmano do mundo; tem cerca de 250 milhões de habitantes, dos quais cerca de 90% são muçulmanos.

 

 

Para visitar a fonte da informação, clique aqui

 

Comunicado aos nossos leitores

1- Planeta Cultural é um Blog que tem por objectivo prioritário a divulgação do que de melhor vai acontecendo em Portugal e no mundo, compreendendo nomeadamente a apresentação de algumas imagens, textos, compilações / resumos com origem ou preparados com base em diversas fontes, em particular nas páginas da Internet e motores de busca, publicações literárias ou de órgãos de Comunicação Social, que nem sempre será viável citar ou referenciar. Convicto da compreensão da inexistência de intenção de prejudicar terceiros, não obstante, agradeço antecipadamente a qualquer entidade que se sinta lesada pela apresentação de algum conteúdo, o favor de me contactar via e-mail (constante no meu perfil público), na sequência de que procederei à sua imediata remoção.

2 - Os comentários expressos neste "Blog", vinculam exclusivamente os seus autores, não reflectindo necessariamente a opinião nem a concordância face aos mesmos do autor deste sítio, "Blog", pelo que, publicamente aqui declino qualquer responsabilidade sobre o respectivo conteúdo. Reserva-me também o direito de eliminar qualquer comentário que possa considerar difamatório, ofensivo, calunioso ou prejudicial a terceiros, bem como textos de carácter promocional que também poderão ser excluídos.

Atenciosamente;

---------------------------------R. C.
-------------Administrador do Planeta Cultural