Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]






Comentários recentes

  • Triptofano!

    Realmente no Porão qualquer excitação ficaria auto...

  • Veegam

    Como obter Stellar Lumens gratis!https://steemit.c...

  • Firmino

    deus vê a quem a gente faz bem e depois no fim lev...

  • Planeta Cultural

    O ser humano consegue bem de longe ser pior que os...

  • Maribel Maia

    É com muita pena que leio notícias dessas!





Condenado por dois homicídios foi ilibado e libertado após 30 anos no corredor da morte

Sábado, 04.04.15

Um homem condenado por dois homicídios foi ilibado e libertado, depois de ter passado quase 30 anos no corredor da morte no estado do Alabama (sudoeste), anunciaram no sábado os advogados de defesa.

Anthony Ray Hinton.jpg

 

Todas as acusações contra Anthony Ray Hinton foram abandonadas na quinta-feira pela decisão da juíza Laura Petro do tribunal distrital do condado de Jefferson, indicou a organização não governamental Equal Justice Initiative (EJI).

 

Anthony Ray Hinton é a 152.ª pessoa condenada à morte a ser inocentada desde 1973 nos Estados Unidos e a segunda neste ano, de acordo com uma contagem do Centro de Informação sobre a Pena Capital (DPIC).

 

 

Hinton é um dos presos absolvidos que mais tempo passou no corredor da morte no Alabama.

 

Em 1985, dois responsáveis de dois restaurantes de comida rápida da região de Birmingham foram mortos a tiro, durante assaltos. A polícia não encontrou qualquer prova.

 

A 25 de julho de 1985, o dono de um restaurante da mesma zona, em Bessemer, foi ferido a tiro num roubo.

 

Anthony Hinton, de 29 anos na época, um negro, foi detido e reconhecido pelo dono do restaurante.

 

O homem, que sempre afirmou estar inocente, trabalhava na época dos factos a cerca de 25 quilómetros do local, num entreposto. O supervisor e colegas de trabalho testemunharam a favor e um exame no detetor de mentiras também o ilibou.

 

A acusação foi conduzida, de acordo com a EJI, por um procurador conhecido "pelos preconceitos raciais" e baseou-se numa arma encontrada na casa da mãe do acusado que, para os peritos nomeados pelo Estado, foi usado nos assaltos.

 

A defesa não conseguiu apresentar, por falta de meios, um perito credível e o acusado foi condenado à morte.

 

No ano passado, o Supremo Tribunal dos Estados Unidos anulou a condenação e uma juíza ordenou a realização de um novo processo.

 

A organização EJI tomou conta do caso Hinton em 1999. Em 2002, vários peritos, incluindo um antigo responsável do FBI (Gabinete Federal de Investigação) testemunharam que a arma apreendida não podia ter disparado as balas dos homicídios.

 

"A raça, a pobreza, uma defesa inadequada e o desprezo pela presunção de inocência mostrada pela acusação fazem deste processo um caso da escola da injustiça", afirmou em comunicado Bryan Stevenson, advogado do condenado e diretor da EJI.

 

 

Para visitar a fonte da informação clique aqui

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Publicado por Planeta Cultural às 11:40


Pesquisar

 



Contacto

planetacultural@sapo.pt

Comunicado aos nossos leitores

1- Planeta Cultural é um Blog que tem por objectivo prioritário a divulgação do que de melhor vai acontecendo em Portugal e no mundo, compreendendo nomeadamente a apresentação de algumas imagens, textos, compilações / resumos com origem ou preparados com base em diversas fontes, em particular nas páginas da Internet e motores de busca, publicações literárias ou de órgãos de Comunicação Social, que nem sempre será viável citar ou referenciar. Convicto da compreensão da inexistência de intenção de prejudicar terceiros, não obstante, agradeço antecipadamente a qualquer entidade que se sinta lesada pela apresentação de algum conteúdo, o favor de me contactar via e-mail (constante no meu perfil público), na sequência de que procederei à sua imediata remoção.

2 - Os comentários expressos neste "Blog", vinculam exclusivamente os seus autores, não reflectindo necessariamente a opinião nem a concordância face aos mesmos do autor deste sítio, "Blog", pelo que, publicamente aqui declino qualquer responsabilidade sobre o respectivo conteúdo. Reserva-me também o direito de eliminar qualquer comentário que possa considerar difamatório, ofensivo, calunioso ou prejudicial a terceiros, bem como textos de carácter promocional que também poderão ser excluídos.

Atenciosamente;

---------------------------------R. C.
-------------Administrador do Planeta Cultural