Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Planeta Cultural

Acima de tudo, cultura geral

Planeta Cultural

Acima de tudo, cultura geral

CGD junta-se a BCP e Totta e cobra comissões nas transferências interbancárias pela Internet

25.02.14, Planeta Cultural

O custo de 0,52 euros - 50 cêntimos de comissão e dois cêntimos de imposto do selo - introduzido pela Caixa Geral de Depósitos (CGD) aplica-se quando um cliente faz pela Internet uma transferência nacional para uma conta de outro banco, o que até recentemente era gratuito.

 

O preçário do banco público já indica a cobrança da comissão desde 1 de Janeiro. No entanto, apesar da entrada em vigor nessa data, só nos últimos dias a CGD começou de facto a cobrar estes 0,52 euros aos clientes, independentemente do valor envolvido na transferência.

 

"Entrou em vigor a 1 de Janeiro, mas a efectivação da cobrança começou a 19 de Fevereiro", disse à Lusa fonte oficial da CGD.

 

A Caixa junta-se, assim, ao BCP e ao Santander Totta na cobrança de comissões em transferências de montantes inferiores a 100 mil euros, mesmo nas operações nacionais feitas nas páginas dos bancos na internet ['homebanking'], sem intervenção de operador.

 

Segundo os preçários dos principais bancos a operar em Portugal, o BCP cobra um euro nas transferências interbancárias até mil euros, aumentando o encargo consoante o montante transferido, que atinge o máximo de 19,50 euros a partir de 100 mil euros. Já no Santander Totta são cobrados 1,25 euros em transferências inferiores a 100 mil euros, não especificando o banco no seu preçário comissões para valores superiores.

 

Por sua vez, o BES isenta de comissão todas as transferências independentemente do valor, desde que efectuadas pelo 'homebanking', enquanto o BPI não cobra comissão nas transferências feitas pela Internet até 100 mil euros, sendo que a partir desse valor aplica 15 euros.

 

Já as transferências feitas através das caixas Multibanco estão isentas em todas as instituições financeiras.

 

O aumento e a criação de comissões pelos bancos têm sido usados como uma forma de contornar a queda do negócio bancário. No final do ano passado, vários analistas do sector consideraram à Lusa que os bancos podiam voltar aos lucros este ano e apontaram como um dos factores precisamente o aumento das receitas geradas pelo comissionamento.

 

Segundo as apresentações de resultados dos bancos, em 2013, as comissões líquidas geraram ao grupo CGD 522,043 milhões de euros, menos 3,8% do que no ano anterior, enquanto no BCP esta receita aumentou 1,2% para 663 milhões de euros.

 

Já o BPI registou comissões e outros proveitos (líquidos) de 310,3 milhões de euros no ano passado, mais 6,6% do que em 2012, e o BES ganhou 693,4 milhões de euros em comissões nos serviços a clientes, menos 16,3%.

 

Por fim, o Santander Totta teve uma queda de 1,2% nas comissões líquidas e outros resultados da actividade bancária para 307,9 milhões de euros.

 

 

In' Jornal de Negócios