Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]






Comentários recentes

  • Triptofano!

    Realmente no Porão qualquer excitação ficaria auto...

  • Veegam

    Como obter Stellar Lumens gratis!https://steemit.c...

  • Firmino

    deus vê a quem a gente faz bem e depois no fim lev...

  • Planeta Cultural

    O ser humano consegue bem de longe ser pior que os...

  • Maribel Maia

    É com muita pena que leio notícias dessas!





A prova irrefutável do «Big Bang»

Segunda-feira, 17.03.14

Físicos norte-americanos anunciaram hoje a deteção direta de ondas gravitacionais primordiais, os primeiros ecos do «Big Bang», que marcou o nascimento do Universo, há cerca de 14 mil milhões de anos.

A «primeira evidência direta da inflação cósmica» foi captada pelo telescópio BICEP2, no Polo Sul, e anunciada por peritos do Centro de Astrofísica de Harvard-Smithsonian, nos Estados Unidos, que analisaram as imagens durante três anos.

A existência das ondas do espaço-tempo - previstas, mas não testadas, na teoria da relatividade de Albert Einstein (1879-1955) - testemunham a expansão extremamente rápida do Universo na primeira fração de segundo da sua existência, uma fase chamada de inflação cósmica.

«A deteção deste sinal é hoje um dos objetivos mais importantes em cosmologia e resulta de um enorme trabalho conduzido por um grande número de investigadores», assinalou John Kovac, professor de astronomia e física no Centro de Astrofísica de Harvard-Smithsonian e responsável pela equipa de investigação BICEP2, que fez a descoberta.

Segundo um outro investigador, o físico Avi Loeb, da Universidade de Harvard, o feito «traz uma nova luz a certas questões, as mais fundamentais», como a de que forma começou o Universo.

«Não só estes resultados são a prova irrefutável da inflação cósmica, mas também nos indicam o momento da expansão rápida do Universo e do poder deste fenómeno», sustentou, citado pela agência AFP.

A deteção direta de ondas gravitacionais primordiais resultou de observações do fundo difuso cosmológico, uma radiação fraca deixada pelo «Big Bang».

De acordo com os cientistas, as minúsculas flutuações fornecem sinais do Universo na sua primeira infância. Pequenas diferenças de temperatura através do céu revelam onde o Cosmos era mais denso e onde se formaram as galáxias.

 

 


Para visitar a fonte da informação clique aqui

Autoria e outros dados (tags, etc)

Publicado por Planeta Cultural às 21:06


Pesquisar

 



Contacto

planetacultural@sapo.pt

Comunicado aos nossos leitores

1- Planeta Cultural é um Blog que tem por objectivo prioritário a divulgação do que de melhor vai acontecendo em Portugal e no mundo, compreendendo nomeadamente a apresentação de algumas imagens, textos, compilações / resumos com origem ou preparados com base em diversas fontes, em particular nas páginas da Internet e motores de busca, publicações literárias ou de órgãos de Comunicação Social, que nem sempre será viável citar ou referenciar. Convicto da compreensão da inexistência de intenção de prejudicar terceiros, não obstante, agradeço antecipadamente a qualquer entidade que se sinta lesada pela apresentação de algum conteúdo, o favor de me contactar via e-mail (constante no meu perfil público), na sequência de que procederei à sua imediata remoção.

2 - Os comentários expressos neste "Blog", vinculam exclusivamente os seus autores, não reflectindo necessariamente a opinião nem a concordância face aos mesmos do autor deste sítio, "Blog", pelo que, publicamente aqui declino qualquer responsabilidade sobre o respectivo conteúdo. Reserva-me também o direito de eliminar qualquer comentário que possa considerar difamatório, ofensivo, calunioso ou prejudicial a terceiros, bem como textos de carácter promocional que também poderão ser excluídos.

Atenciosamente;

---------------------------------R. C.
-------------Administrador do Planeta Cultural