Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Planeta Cultural

Acima de tudo, cultura geral

Planeta Cultural

Acima de tudo, cultura geral

Madoff recebe pena máxima de 150 anos de prisão

29.06.09, Planeta Cultural

Bernard L. Madoff foi hoje condenado à pena máxima de 150 anos de prisão pelo tribunal de Manhattan. O antigo presidente do Nasdaq foi condenado pelos crimes de fraude, lavagem de dinheiro, perjúrio, falsas declarações e apropriação indevida de benefícios de funcionários.

"Nenhuma outra fraude é comparável ao caso Madoff", disse o juiz Denny Chin durante a leitura da sentença.

A decisão do juiz Chin vai ao encontro dos pedidos feitos pelas vítimas mas supera largamente o reclamado pelo advogado de defesa. Ira Sorkin defendeu que o seu cliente devia ser condenado a 12 anos de prisão, tendo em consideração a sua expectativa de vida: não mais do que 13 anos.

Antes de ser conhecida a decisão final do tribunal, Bernard Madoff teve tempo de pedir desculpa às suas vítimas. "Vivo atormentado por toda a dor e sofrimento que causei. Deixo um legado de vergonha. É algo com que vou ter que viver para o resto da minha vida", disse Madoff.

"Dizer que estou arrependido não é suficiente. Peço desculpa", disse olhando directamente para as vítimas presentes na sala de audiência. Durante mais de 20 anos, Bernard Madoff, um dos mais bem sucedidos gestores de Wall Street, enganou milhares de investidores. É autor de uma das maiores fraudes financeira de sempre, no valor de 65 mil milhões de dólares. O seu esquema piramidal foi descoberto no início de Dezembro de 2008.

Madoff confessou os seus crimes em Março deste ano: "Durante muitos anos, até à minha detenção, a 11 de Dezembro de 2008, geri um esquema piramidal financeiro".

"A essência da minha fraude era prometer a clientes e a potenciais clientes que iria investir o dinheiro, pagar os lucros e o investimento inicial. Essas promessas eram falsas. Nunca investi o dinheiro como tinha prometido. Esses fundos eram depositados numa conta no banco Chase Manhattan", explicou Madoff.
 

 

Fonte: Jornal de Negócios