Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Planeta Cultural

Acima de tudo, cultura geral

Planeta Cultural

Acima de tudo, cultura geral

Bolsa nacional escapa às quedas da Europa devido às subidas da JM e da EDP

25.06.09, Planeta Cultural

A bolsa nacional encerrou em alta ligeira impulsionada pelos títulos da Jerónimo Martins e da EDP. O PSI-20 escapou, assim, às quedas dos principais mercados europeus e fechou o dia a ganhar 0,17%.

O principal índice da bolsa portuguesa avançou para os 6.996,48 pontos, com oito títulos em alta e 12 a descer. A maioria dos mercados europeus fechou a sessão a cair mais de 1%, no dia em que o Fundo Monetário Internacional afirmou que os bancos irlandeses enfrentam prejuízos de 49 mil milhões de dólares até 2010.

Nos Estados Unidos, a tendência dos mercados bolsistas é positiva, depois de ser conhecido que o produto interno bruto do país caiu menos do que o previsto no primeiro trimestre do ano.

Na bolsa nacional, o PSI-20 oscilou entre quedas e subidas ao longo da sessão mas acabou por fechar em alta ligeira devido aos ganhos da Jerónimo Martins e da EDP.

A eléctrica avançou 0,83% para os 2,803 euros, enquanto a retalhista avançou 2,67% para os 4,877 euros.

No sector bancário, o BCP subiu 1% para os 71 cêntimos e o BPI avançou 0,06% para os 1,806 euros. O BES encerrou em terreno negativo, tendo desvalorizado 0,29% para os 3,79 euros.

A Portugal Telecom subiu 0,73% para os 6,648 euros, depois do Goldman Sachs ter revisto em alta o preço-alvo da operadora de 6,90 para 9,10 euros e a recomendação de “manter” para “comprar”.

Na sessão de ontem, os títulos da PT caíram mais de 1%, depois de a operadora ter confirmado que esta em negociações para adquirir 30% da Media Capital.

Os restante títulos do sector encerraram em queda. A Zon Multimédia perdeu 0,74% para os 3,736 euros e a Sonaecom recuou 0,42% para os 1,66 euros.

A impedir maiores ganhos na bolsa portuguesa estiveram ainda os títulos da Cimpor, que perderam 1,86%, e da Brisa, que recuaram 0,80% para os 5,109 euros.
 

 

Fonte: Jornal de Negócios