Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Planeta Cultural

Acima de tudo, cultura geral

Planeta Cultural

Acima de tudo, cultura geral

Salários dos administradores executivos do BES baixaram 23,8% em 2009

19.03.10, Planeta Cultural

 Comissão Executiva do Grupo Espírito Santo recebeu 9,64 milhões de euros de remunerações no ano passado, um corte de 23,8% face a 2008. Desse valor, 5,77 milhões foram atribuídos a título de prémio, estando incluídos na remuneração variável.

O presidente do banco, Ricardo Salgado (na foto), auferiu 1,053 milhões de euros em 2009, sendo que 450 mil euros foram pagos a título da remuneração fixa e os restantes 603 mil por conta da remuneração variável, informa a entidade financeira em no relatório e contas enviado à CMVM.

Além dos 5,77 milhões de remuneração variável atribuída pelo BES no ano passado à Comissão Executiva, foram pagos mais 830 mil euros, o que elevou o total das remunerações variáveis dos administradores do grupo BES para 6,603 milhões de euros. O total das remunerações fixas e variáveis ascendeu, para o conselho de administração do grupo, a 12,192 milhões de euros.

Há um ano, o BES tinha decidido não aumentar a remuneração fixa e reduzir em 10% a remuneração variável relativamente ao montante atribuído em 2008. E este ano - a primeira vez que o banco divulga os salários indivualizados por administrador – a diferença é comprovada.

Em 2008, o total (componente fixa e variável) auferido pelos membros do conselho de administração do BES e de outras sociedades do grupo BES tinha sido de 14,387 milhões de euros. Em 2009, conforme já referido, esse total foi de 12,192 milhões.

Só para a Comissão Executiva, a redução salarial foi de 23,8%, ao passar de 12,65 em 2008 para 9,64 milhões no ano passado. A componente variável atribuída aos administradores executivos totalizou 5,77 milhões, menos 34,7% do que no ano precedente.

Agora, o BES informa que, atendendo aos bons resultados que reportou para 2009, decidiu aumentar a remuneração variável em 7,2%. Uma medida que compensa parcialmente a redução de 10% operada em 2009.

Nova política de remuneração aprovada no mês passado

No comunicado enviado à CMVM, o BES salienta ainda a que todos os membros da Comissão Executiva auferem a mesma remuneração, com excepção do seu presidente, Ricardo Salgado.

“Apenas a parte variável pode ser distinta entre os diversos membros da Comissão Executiva”, refere o banco, explicando que estas remunerações são fixadas todos os anos pela Comissão de Vencimentos, até ao final de Abril, com base na avaliação do desempenho do exercício anterior.

Segundo o banco, nos termos da nova política de remuneração dos órgãos sociais do BES, aprovada pela Comissão de Vencimentos no passado dia 25 de Fevereiro, a parte fixa passará a ter os limites que forem fixados pela Comissão de Vencimentos e representará cerca de 45% da remuneração total anual.

A parte fixa é composta pelo vencimento dos membros da Comissão Executiva e por alguns complementos que são atribuídos a todos os colaboradores do banco, como diuturnidades ou outros subsídios.

“A parte variável para 2010 tem o limite de 1,4% dos resultados consolidados do grupo BES, sendo em qualquer caso o limite geral (...) fixado a partir deste ano em 2% do resultado líquido consolidado do grupo”, diz o comunicado.

Assim, a parte fixa representará aproximadamente 45% do total da remuneração, sendo os restantes 55% atribuídos como parte variável.

O montante exacto da parte variável oscilará, em cada ano, em função do grau de cumprimento dos principais objectivos anuais, constantes do orçamento anual, tal como aprovado pelo Conselho de Administração, explica o comunicado do banco.
 

 

Fonte: Jornal de Negócios