Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Planeta Cultural

Acima de tudo, cultura geral

Planeta Cultural

Acima de tudo, cultura geral

Desfalque de 200 mil euros nos Sapadores do Porto

08.11.09, Planeta Cultural

Funcionária dos bombeiros suspeita de desviar dinheiro e enganar Câmara. Está suspensa.

 

Uma funcionária dos Sapadores Bombeiros do Porto é suspeita de um desfalque de 200 mil euros dos cofres da instituição. O dinheiro era proveniente de serviços prestados a particulares. Ministério Público e PJ vão investigar.

 

A mulher já está a braços com um processo disciplinar, instaurado pela Câmara Municipal do Porto, e foi suspensa preventivamente de funções durante 90 dias, enquanto decorrem as averiguações dos factos. O escândalo foi descoberto quando a funcionária se encontrava de férias, por ter havido necessidade de colocar outra pessoa a fazer o mesmo trabalho. Nessa altura, o substituto percebeu que existiam irregularidades nos documentos de receita enviados para a Autarquia - que tutela o serviço dos Sapadores.

 

Em concreto, foi detectado que os clientes da corporação pagavam os serviços prestados de acordo com o valor da tabela, mas a informação enviada para a Câmara indicava valores inferiores aos montantes inscritos nos recibos passados aos particulares. Os serviços financeiros do Município não terão recebido cópias desses recibos. Os serviços, feitos pela corporação, consistem, por exemplo, em vistorias, verificação e enchimento de extintores ou abertura de portas.

 

Todavia, até às recentes férias da funcionária ninguém dos bombeiros nem da Autarquia deu conta das discrepâncias entre os valores pagos por cidadãos e os recebidos nos cofres públicos.

 

De acordo com informações recolhidas pelo JN, há suspeitas de que os desvios de dinheiro terão perdurado cerca de 10 anos. Rui Rio foi informado do sucedido e a Câmara está a averiguar.

 

Fonte próxima do caso garante que existem indícios de que, pelo menos, uma grande empresa de construção civil pode ter sido beneficiada neste caso de irregularidades nos Sapadores. É uma situação ainda em averiguação por um jurista nomeado pela Autarquia no âmbito do processo disciplinar, assim como o possível envolvimento de outros funcionários. Podem estar em causa crimes de peculato, falsificação de documentos ou corrupção.

 

A suspensão preventiva da funcionária foi decidida a 13 de Outubro. O argumento para o afastamento de funções por 90 dias incidiu na necessidade de não prejudicar a averiguação do caso.

 

Até ao momento, há já certeza de que o desfalque ultrapassou largamente os 100 mil euros. Fonte conhecedora da situação refere, ao JN, um desvio na ordem dos 200 mil euros. Porém, o montante só será exacto quando terminar a investigação interna e das autoridades judiciais.

 

Contactado pelo JN, Manuel Sampaio Pimentel, vereador responsável pelo pelouro da Protecção Civil, Controlo Interno e Fiscalização, confirmou o caso sem adiantar pormenores, dizendo apenas que ordenou a participação ao Ministério Público.

"As suspeitas existem e fizemos o que tínhamos a fazer. Accionámos todos os instrumentos para o mais rápido apuramento da verdade e abrimos um processo disciplinar. Foi decidida a suspensão preventiva da funcionária para não perturbar o bom andamento do processo. Não é agradável, mas quem gere a coisa pública tem de tomar medidas", sublinhou.

Segundo o vereador, o Ministério Público foi alertado. Mas a situação é demasiado recente, pelo que só agora deverão ser efectuadas diligências. A investigação caberá à Polícia Judiciária.

 

Fonte: JN