Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Tags

Mais tags



Comentários recentes

  • Triptofano!

    Realmente no Porão qualquer excitação ficaria auto...

  • Veegam

    Como obter Stellar Lumens gratis!https://steemit.c...

  • Firmino

    deus vê a quem a gente faz bem e depois no fim lev...

  • Planeta Cultural

    O ser humano consegue bem de longe ser pior que os...

  • Maribel Maia

    É com muita pena que leio notícias dessas!





Trinta e cinco migrantes nigerinos morrem de sede no deserto

Segunda-feira, 28.10.13

Pelo menos 35 migrantes nigerinos, na maioria mulheres e crianças com menos de 10 anos, morreram de sede ou desidratados no deserto do Níger, depois de o veículo onde seguiam ter avariado, disseram à agência AFP as autoridades locais.

 

Até agora foram apenas recuperados os corpos de cinco pessoas - duas mulheres e três adolescentes.

 

Segundo um polícia, 19 sobreviventes foram encaminhados para Arlit, no norte, depois de terem sido encontrados num estado lastimável, completamente exaustos e à beira da morte.

 

O episódio aconteceu há duas semanas mas só agora chegou ao conhecimento das autoridades. As vítimas foram abandonadas pelos passadores que integram as redes de tráfico humano, quando o camião onde seguiam avariou em pleno deserto.

 

Quando isso aconteceu, os que viajavam no outro camião foram obrigados s abandoná-lo para permitir que este fosse à procura de peças mecânicas que resolvessem a avaria e permitissem retomar a migração.

 

Deixados à sua sorte no deserto e perante a falta de água, os migrantes ("famílias inteiras, com muitas mulheres e crianças", segundo o relato de Azaoua Mamane, responsável pela ONG Synergie) optaram por dividir-se em pequenos grupos em busca de eventuais oásis, segundo revelou Rhissa Feltou, o maire de Agadez, a grande cidade do nordeste do Níger.

 

Ao cabo de cinco dias de  marcha, cinco dessas pessoas conseguiram atingir Arlit (localidade mineira situada a Norte do país) e relatar a situação, que permitiu o resgate de outros 14 sobreviventes.

 

O grupo de migrantes que tentavam atingir a costa da Argélia e daí partir rumo ao continente europeu (Lampedusa e outras ilhas), ou então entregar-se à mendicidade em Agadez, 0integrava entre 78  e 82 pessoas, consoante diversos relatos.

 

O Níger é um dos países mais pobres de África, que se confronta com recorrente falta de alimentos. Daí a tentação de milhares de cidadãos pela emigração.

 

O gabinete de coordenação dos Assuntos Humanitários do Níger estima que pelo menos 30 mil pessoas tenham emigrado ilegalmente, via Agadez, entre março e agosto último.

 

 

 

Para visitar a fonte da informação clique aqui

Autoria e outros dados (tags, etc)

Publicado por Planeta Cultural às 23:18

Comentar:

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.



Pesquisar

 


subscrever feeds


Contacto

planetacultural@sapo.pt

Comunicado aos nossos leitores

1- Planeta Cultural é um Blog que tem por objectivo prioritário a divulgação do que de melhor vai acontecendo em Portugal e no mundo, compreendendo nomeadamente a apresentação de algumas imagens, textos, compilações / resumos com origem ou preparados com base em diversas fontes, em particular nas páginas da Internet e motores de busca, publicações literárias ou de órgãos de Comunicação Social, que nem sempre será viável citar ou referenciar. Convicto da compreensão da inexistência de intenção de prejudicar terceiros, não obstante, agradeço antecipadamente a qualquer entidade que se sinta lesada pela apresentação de algum conteúdo, o favor de me contactar via e-mail (constante no meu perfil público), na sequência de que procederei à sua imediata remoção.

2 - Os comentários expressos neste "Blog", vinculam exclusivamente os seus autores, não reflectindo necessariamente a opinião nem a concordância face aos mesmos do autor deste sítio, "Blog", pelo que, publicamente aqui declino qualquer responsabilidade sobre o respectivo conteúdo. Reserva-me também o direito de eliminar qualquer comentário que possa considerar difamatório, ofensivo, calunioso ou prejudicial a terceiros, bem como textos de carácter promocional que também poderão ser excluídos.

Atenciosamente;

---------------------------------R. C.
-------------Administrador do Planeta Cultural