Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Planeta Cultural

Acima de tudo, cultura geral

Planeta Cultural

Acima de tudo, cultura geral

Cientistas descobrem 80 genes ligados à esquizofrenia

22.07.14, Planeta Cultural

O maior estudo sobre esquizofrenia já realizado no mundo descobriu 80 novos genes que podem colocar os seus portadores em risco de desenvolver esquizofrenia.


A pesquisa, publicada na revista especializada Nature, sugere que a esquizofrenia pode ter causas biológicas e abre a possibilidade de novos tratamentos que possam surgir a partir das conclusões.

 

Há anos cientistas debatem o papel dos genes no desenvolvimento da esquizofrenia, um problema que afeta mais de 24 milhões de pessoas no mundo inteiro.


A iniciativa reuniu pesquisadores de 35 países e foi coordenada por cientistas da Universidade de Cardiff, na Grã-Bretanha.
Os cientistas examinaram a formação genética de 37 mil pessoas que têm o problema, comparando-as com outras 110 mil pessoas que não sofrem de esquizofrenia.


'Nova biologia'


Os pesquisadores encontraram mais de cem genes que tornam as pessoas mais suscetíveis à esquizofrenia, sendo que 83 deles nunca tinham sido identificados antes.


Muitos destes genes estão envolvidos na transmissão de mensagens no cérebros. Outros são conhecidos por desempenhar uma função no sistema imunológico.


"Por muitos anos foi difícil desenvolver novas linhas de tratamento para a esquizofrenia. Fomos prejudicados pela pouca compreensão da biologia da doença", disse o professor da Universidade de Cardiff Michael O'Donovan.


"Descobrir um grupo totalmente novo de associações genéticas abre uma janela para experimentos mais bem informados com o objetivo de decifrar a biologia desta doença", afirmou. "Esperamos (criar) novos tratamentos."


O professor David Curtis, do University College de Londres, e um dos autores da pesquisa, conta que no passado a comunidade acadêmica "lutou com a opinião de que os problemas psiquiátricos não eram doenças 'reais'".


Por isso, diz, "os estudos genéticos pioneiros não tiveram muito sucesso".


"Agora mostramos, com confiança, que há processos biológicos envolvidos", afirmou. "Este estudo coloca a psiquiatria na mesma categoria de outras partes da medicina."


Para Gerome Breen, do King's College de Londres, que não participou da pesquisa, o estabelecimento de novas relações entre genética e esquizofrenia é "revolucionária".


"O tratamento com remédios para esquizofrenia não mudou muito desde a década de 1970. Agora temos uma grande quantidade de nova biologia para estudar, e uma série totalmente nova de ideias que podem abrir muitos caminhos para tratamentos."

 

 

Para visitar a fonte da informação clique aqui

Estudo revela que elefantes têm olfato mais poderoso do reino animal

22.07.14, Planeta Cultural

Os elefantes não só tem uma longa tromba, eles também possuem um olfato que provavelmente é o mais poderoso do reino animal, revelou um estudo realizado por cientistas japoneses, publicado esta terça-feira.

 

O genoma dos elefantes africanos contém o maior número de genes relativos aos receptores olfativos (OR): cerca de 2.000, segundo o informe publicado no jornal Genome Research.

 

Os receptores olfativos detectam odores no meio ambiente.

 

Isto significa que os elefantes dispõem de um olfato cinco vezes mais desenvolvido que o dos seres humanos, o dobro que o dos cães e ainda mais forte que recordista anterior do reino animal: o dos ratos.

 

"Aparentemente, o nariz do elefante não é só comprido, também é superior", afirmou o principal autor do estudo, Yoshihito Niimura, da Universidade de Tóquio.

 

Não se conhece exatamente como estes genes funcionam, mas é provável que isto tenha permitido aos elefantes sobreviver com o passar dos anos. De fato, a capacidade de sentir permite aos animais encontrar alimentos, parceiros e evitar os predadores.

 

Para fazer este estudo, os cientistas compararam os aparelhos olfativos dos elefantes com os de outros 13 animais, entre eles cavalos, coelhos, porquinhos-da-índia, bois e chimpanzés.

 

Os primatas e os seres humanos são os que, segundo o estudo, têm menos genes relacionados com o olfato. "Isto poderia ser uma consequência do fato de que dependemos menos do olfato do que (...) da nossa visão", concluiu Niimura.

 

 

Para visitar a fonte da informação clique aqui

Aumento de capital “é um momento de transformação” para o BCP - Diz Nuno Amado

22.07.14, Planeta Cultural

Nuno Amado, presidente do BCP, mostra-se "muito satisfeito" com o voto de confiança dado pelos investidores no aumento de capital do banco, cujos resultados foram conhecidos esta terça-feira, 22 de Julho. A procura foi 125,6% da oferta e o nível de subscrição ascendeu a 98,8%.

 

"Estamos muito satisfeitos com este voto de confiança dos accionistas e novos investidores no nosso projecto", confessou Nuno Amado, num comunicado enviado pelo banco. "Esta operação foi concluída num momento complexo e turbulento, mas os investidores mostraram confiança no nosso plano de reestruturação".

 

O presidente da comissão executiva do BCP adiantou ainda que o desfecho do aumento de capital é um "momento de transformação" para o banco, e que permitirá acelerar o reembolso da ajuda estatal.  

 

"O desfecho deste aumento de capital é um momento de transformação para o Millennium bcp, e permite-nos acelerar o calendário para o reembolso do apoio do Estado, preparando-nos igualmente para prosseguir com o nosso objetivo principal: ajudar a economia a crescer, apoiando empresas e famílias nas geografias onde estamos presentes", sublinhou.

 

O banqueiro acrescentou ainda que o BCP deverá reforçar o seu lugar "como principal banco privado português", assim como apostar de forma cada vez mais sustentada nas operações internacionais, incluindo Angola, Moçambique e Polónia.

 

 

 

In' Jornal de Negócios