Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Planeta Cultural

Acima de tudo, cultura geral

Planeta Cultural

Acima de tudo, cultura geral

Elton John diz que Jesus Cristo apoiaria casamento gay

02.07.14, Planeta Cultural

A alguns meses de trocar alianças com o cineasta David Furnish, o músico Elton John confessou acreditar na aprovação de Jesus Cristo e elogiou a "humanidade" do Papa Francisco.

 

"Se Jesus Cristo fosse vivo, não acredito que, enquanto cristão e pessoa maravilhosa que ele era, diria que isto [casamento homossexual] não poderia acontecer. Ele acreditava no amor, na compaixão, no perdão, na tentativa de juntar as pessoas e é assim que a igreja deveria ser", defendeu Elton John, em entrevista ao canal norte-americano Sky News.

 

Sobre o atual estado da religião, o cantor, de 67 anos, limitou-se a elogiar o trabalho do Papa Francisco. "Ele entusiasma-me imenso com a sua humanidade. Ele resume tudo à humildade e à fé", sublinhou.

 

Ainda no que toca à aceitação da união homossexual, Elton John revelou querer conversar com presidente russo Vladimir Putin para que ele "enterre de vez" a sua campanha contra os direitos dos homossexuais. "Vou à Rússia em novembro e vou tentar falar com ele. É necessário construir uma ponte. A única forma de resolver conflitos é conversar", explicou.

 

O músico e o cineasta David Furnish estão juntos há 21 anos, mantendo uma união civil desde 2005. Têm dois filhos, Zachary, 3 anos, e Elijah, 1 ano, fruto da mesma barriga de aluguer. O casamento religioso está previsto para o próximo ano.

 

 

In' JN

Dow Jones fecha em recorde mas ainda não foi desta que superou os 17.000 pontos

02.07.14, Planeta Cultural

Os dados do emprego no sector privado excederam as previsões mas não sustentaram valorizações expressivas em Wall Street. O S&P 500 e Dow Jones ganharam algum terreno mas o Nasdaq recuou muito ligeiramente

 

Os ganhos das bolsas norte-americanas foram ligeiros no fecho da sessão desta quarta-feira, 2 de Julho. Mas o suficiente para que os principais índices estreassem novos recordes.

 

O Dow Jones fechou com um ganho de 0,12% para fechar nos 16.979,24 pontos. Foi o fecho mais elevado de sempre. Contudo, o índice continua aquém dos 17.000 pontos, depois de ontem ter, durante o dia, tocado nos 16.998 pontos.

 

O S&P 500 também somou terreno, ainda que com uma valorização inferior a 0,1%. Terminou nos 1.974,56 pontos. Já o Nadasq Composite contrariou e recuou 0,02% para 4.457,734 pontos.

 

Os dados do emprego, divulgados hoje, foram positivos mas não o suficiente para garantir ganhos expressivos em Wall Street. As empresas norte-americanas contrataram 281 mil trabalhadores em Junho, superando a estimativa média de 205 mil novos postos de trabalho. Na quinta-feira, 3 de Julho, serão publicados pelo Departamento do Trabalho os dados do emprego no sector público.

 

"Os dados do ADP são muito fortes", comentou à Bloomberg o estratega da Northern Trust Corp., Jim McDonald, acreditando que a segunda parte do ano permitirá às bolsas americanas recuperar algum terreno. O Dow Jones ganha 2,4% desde o início do ano, enquanto Nasdaq e S&P acumulam uma subida próxima de 7%.

 

 

 


Para visitar a fonte da informação clique aqui

Mais de 26 mil docentes candidataram-se a um lugar nos quadros

02.07.14, Planeta Cultural

O Ministério da Educação abriu 1.954 lugares nos quadros das escolas. As listas provisórias, agora publicadas, revelam que se candidataram 26.573 docentes. Ao concurso de contratação inicial concorreram 39.273 docentes

 

Para cada vaga aberta nos quadros, neste concurso externo de vinculação extraordinária, houve 13 candidatos. Esta conta rápida vem fortalecer aquela que tem sido a posição dos sindicatos do sector, que desde sempre disseram que o Ministério da Educação tinha aberto poucas vagas para integrar professores nos quadros.

 

A este concurso, aberto pelo Ministério de Nuno Crato no seguimento de uma exigência da Comissão Europeia, podiam candidatar-se docentes que tenham exercido funções em estabelecimentos públicos, em pelo menos 365 dias, nos três anos lectivos anteriores ao da data de abertura do concurso, em regime de contrato de trabalho em funções públicas a termo resolutivo e a obtenção de um mínimo de Bom na avaliação de desempenho docente naquele período.

 

Como cada candidato podia concorrer a mais do que um grupo de recrutamento e a diferentes quadros de zona pedagógica, ao todo chegaram ao Ministério da Educação perto de 136 mil candidaturas, de acordo com o comunicado enviado neste final de tarde às redacções.

 

Em Janeiro, o ministro da Educação, Nuno Crato, já tinha anunciado a abertura de um concurso para vinculação extraordinária de cerca de dois mil professores, no sentido de dar seguimento a uma exigência da Comissão Europeia. Mas assim que foi publicado o diploma com a fixação do número exacto de vagas (1.954) e distribuição em termos geográficos e de disciplinas não tardaram críticas. Professores criticaram as poucas vagas abertas face ao número de professores que andam há anos a renovar contratos nas escolas e estão em condições de passar para os quadros, bem como a concentração em determinadas zonas e disciplinas e as desigualdades que se podem vir a criar.

 

O secretário de Estado do Ensino e da Administração Escolar, Casanova de Almeida, explicou na altura que o número de vagas abertas tinha em conta as projecções para as aposentações de docentes até 2020, as rescisões, os professores em mobilidade estatutária e as projecções demográficas. "O que estamos a fazer é garantir que os professores que acedem a um vínculo com o MEC, acedem a lugares que efectivamente representam necessidades, e, como tal, não ficarem sem a possibilidade de formação de horário com componente lectiva", acrescentou, citado pela Lusa.

 

Um grupo de mais de 150 docentes chegou mesmo a entregar uma providência cautelar no Tribunal Administrativo do Porto para suspender o concurso. O objectivo passava por garantir que os professores dos quadros (que até gostariam de se aproximar de casa) não sejam ultrapassados por docentes até aqui a contrato e até mais jovens.

 

O secretário de Estado explicou que, tal como está previsto, os docentes contratados que este ano venham a conseguir entrar nos quadros terão obrigatoriamente que concorrer ao concurso de mobilidade geográfica previsto para 2015, onde o lugar que ocuparam será colocado a concurso, podendo vir a ser ocupado por um professor dos quadros com maior antiguidade, se este manifestar interesse em ocupar a vaga.

 

Com este concurso o Ministério de Nuno Crato terá vinculado em 1 de Setembro de 2014, 2.600 docentes aos quadros. No próximo ano será ainda introduzida uma norma travão de acesso semiautomático aos quadros para professores com cinco anos de serviço docente sucessivos, com horários anuais e completos.

 

Quase 40 mil tentam contrato anual

 

A par deste concurso, o Ministério abriu ainda o concurso anual de contratação inicial e reserva de recrutamento para o ano de 2014/2015. A este candidataram-se 39.273 docentes, num total de mais de 58 mil candidaturas.

 

O período de reclamação inicia-se amanhã, 3 de Julho, e prolonga-se por cinco dias úteis, até às 18h00 horas, de Portugal Continental, do dia 9 de Julho de 2014. 

 

 

In' Jornal de Negócios