Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Planeta Cultural

Acima de tudo, cultura geral

Planeta Cultural

Acima de tudo, cultura geral

Taça do Rei: Cristiano Ronaldo regressa aos golos no apuramento merengue (0x2)

15.01.14, Planeta Cultural

O Real Madrid apurou-se para os quartos-de-final da Taça do Rei após vencer o Osasuna por 0x2, já depois de ter ganho pelo mesmo resultado no embate da primeira mão.

 

Num jogo em que Carlo Ancelotti colocou três portugueses no 11 inicial, Pepe, Fábio Coentrão e Cristiano Ronaldo, o primeiro a dar nas vistas foi o atual melhor jogador do mundo, que regressou aos golos aos 21 minutos do encontro com o Osasuna, tendo colocado os merengues a vencer por 0x1.

O segundo golo do Real Madrid aconteceu já na segunda parte, com Ángel Di Maria, ex-jogador do Benfica, a ampliar a vantagem para 0x2 aos 56 minutos.

 

Depois disso, o destaque mas pela negativa vai para Fábio Coentrão, que viu o segundo cartão amarelo aos 85 minutos e foi expulso, depois de ter estado fora da equipa desde 2 de novembro.

 

Quem acompanha o Real Madrid na passagem para os quartos-de-final é o Levante, que recebeu e venceu o Rayo Vallecano por 1x0. Numa partida em que Sérgio Pinto foi titular do lado dos da casa, David Barral, aos 42 minutos, apontou o único tento registado.

 

 

Para visitar a fonte da informação clique aqui

Mesmo contra o tempo, o FC Porto sai do Dragão com o dever cumprido

15.01.14, Planeta Cultural

Num jogo a contar para a Taça da Liga, o FC Porto venceu no estádio do Dragão o Penafiel por 4-0, passando assim para a frente do grupo B em virtude de ficar com vantagem sobre o Sporting no número de golos marcados, visto que os verde e brancos derrotaram o Marítimo por 3-0.
 
Os golos foram marcados por Ricardo Quaresma 11 minutos, Jackson Martínez aos 63 e76 e Silvestre Varela 78.

 

 

 

 

 

 

 


 

Intel lança selo que identifica provedores de serviços em nuvem

15.01.14, Planeta Cultural

A Intel lançou um selo que ajudará consumidores a entender a tecnologia por trás dos serviços de nuvem antes de fechar acordo para adquirir seus serviços. Dezesseis provedores espalhados pelo mundo poderão usar a marca "Powered by Indel Cloud Technology" - incluindo dois brasileiros: UOL e Locaweb.

 

Todos os participantes terão como fornecer informações detalhadas sobre os CPUs, recursos de aceleração de hardware, software e capacidades das redes disponíveis.

 

"Os usuários da nuvem querem saber em qual tecnologia seus aplicativos estão rodando, pois isto afeta diretamente seus negócios. Pela primeira vez, os usuários agora poderão ver e escolher as tecnologias que afetarão as capacidades e custos para que seus aplicativos sejam rodados na nuvem", diz, em nota, Jason Waxman, vice-presidente do Data Center Group e gerente geral do Grupo de Plataformas em Nuvem da Intel.

 

 

Para visitar a fonte da informação clique aqui

Nove em cada dez apps de banco possuem graves falhas de segurança

15.01.14, Planeta Cultural

Uma pesquisa feita pela empresa de segurança em informática IOActive revelou que os aplicativos de bancos para celulares não são seguros. De acordo com o estudo, 90% dos programas desse tipo apresentam sérias vulnerabilidades que podem expor dados sigilosos dos usuários a ações hackers.

 

O pesquisador Ariel Sanchez analisou aplicativos de 40 das 60 instituições financeiras mais famosas do mundo, e as conclusões são preocupantes para internautas que fazem transações nas versões mobile dos serviços de seus bancos. As falhas identificadas pelo pesquisador poderiam permitir, por exemplo, que hackers interceptassem dados pessoais, instalassem malwares e até controlassem os aparelhos das vítimas para realizarem quaisquer transações financeiras pelos aplicativos.

 

“Os apps de bancos foram adaptados para mobile, mas criaram um desafio de segurança grande para as empresas. Como mostra essa pesquisa, os padrões de segurança devem ser aumentados para essas soluções”, afirmou Sanchez na conclusão da pesquisa.

 

A análise mostrou que 40% dos aplicativos não validam a autenticação de certificados SSL, enquanto 50% são vulneráveis a injeções de JavaScript. O estudo ainda apontou que 90% dos apps têm uma série de links que não precisam de SSL durante a navegação, o que é grave, porque permite que o tráfego seja interceptado e que conteúdos falsos sejam adicionados.

 

 

Para visitar a fonte da informação clique aqui

Espanha prepara venda do Bankia e espera recuperar ajudas estatais

15.01.14, Planeta Cultural

O ministro da Economia espanhol, Luis de Guindos, assegurou esta quarta-feira, 15 de Janeiro, que o Fundo de Reestruturação Ordenada Bancária (FROB) e a direcção do Bankia deverão definir nos próximos meses a estratégia de venda do banco, escreve o jornal espanhol “Cinco Días”. A estratégia deverá ter como objectivo maximizar o retorno das ajudas concedidas pelo FROB ao Bankia.

 

“Estão a ser estudadas as alternativas e o FROB sabe que a sua missão fundamental nos próximos meses é definir a estratégia” para a venda do banco conjuntamente com a direcção da entidade, sublinhou Luis de Guindos.

 

Neste sentido, o responsável elogiou a direcção do Bankia pelos esforços de recuperação de uma “instituição prestigiada que tem de ser muito importante tanto do ponto da vista da percepção da economia espanhola como da obtenção do máximo de recursos com a sua venda para compensar a injecção de capital”.

 

Luis de Guindos garantiu ainda que a entidade nacionalizada é muito importante do ponto de vista da credibilidade da política económica do Governo. “Fizemos um grande esforço para a reestruturação, e saneamento da entidade que também tem de ser o elemento fundamental para recuperar grande parte do capital que foi injectado nas entidades financeiras que tinham problemas”, afirmou.  

 

O Governo espanhol assumiu o controlo do Bankia, um dos maiores bancos do país, em Maio de 2012, naquela que foi a oitava nacionalização de um banco em Espanha desde o início da crise.

 

O Bankia, resultado da fusão de sete caixas de aforro, foi uma das entidades mais afectadas pela grave crise do sector imobiliário espanhol, que deixou nas mãos dos bancos mais de 184 mil milhões de euros em activos tóxicos.

 

O Bankia foi a instituição que mais ajudas públicas recebeu no âmbito do processo de reestruturação do sector financeiro iniciado em Maio de 2009. Só o Bankia recebeu mais de 22 mil milhões de euros de ajudas financeiras que, desde Maio de 2009, já superaram, no total, os 61 mil milhões de euros. 

 

 

Para visitar a fonte da informação clique aqui