Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Planeta Cultural

Acima de tudo, cultura geral

Planeta Cultural

Acima de tudo, cultura geral

Ratos de Porão actuam hoje e amanhã em Portugal

Planeta Cultural, 28.06.13

 

Com mais de 30 anos de carreira, os Ratos de Porão, pioneiros do "punk-hardcore" da América Latina, estão em Portugal para dois concertos, hoje no Hard Club, do Porto, e sábado no Tumulto Fest, do Seixal.

 

A banda, que tem como vocalista João Gordo, promete, segundo o baterista Boka afirmou à Lusa, uma actuação "para os fãs de todas as épocas" dos Ratos do Porão, "pegando nas músicas principais de cada álbum e montando um concerto com 30 músicas que são basicamente os clássicos".

 

Formados em 1980, em São Paulo, os Ratos de Porão editaram "Crucificados pelo sistema" em 1984, que reclamam ser o primeiro disco de "punk-hardcore" de uma banda gravado na América Latina. Com 14 álbuns no repertório, alguns deles gravados em editoras internacionais, fizeram uma carreira de referência no género, mas vão prosseguindo o seu caminho mais pausadamente.

 

"Faz dois anos que a gente diminui bastante o ritmo", afirma Boka, que diz que "a principal fórmula para manter a banda tanto tempo é, além de gostar disto, de fazer música, de fazer 'shows,' de viajar, de ter uma boa amizade, não criar muitas expectativas, não fazer muitos planos".

 

"Vamos levando assim na calma, indo junto com o vento e já estamos na terceira década", acrescentou.

 

Estão há duas semanas na Europa e, depois de Portugal, têm ainda mais sete datas, repartidas entre Alemanha, Itália e países do Leste europeu. Para o segundo semestre, está prevista a edição de um novo disco, o primeiro registo discográfico desde 2010.

 

Para Boka, elemento de uma banda que sempre teve nas suas letras a crítica social e o combate político bem presente, os últimos acontecimentos no Brasil ainda são uma "coisa complexa, meio confusa e meio difusa".

 

Boka lembra que no caso das "Directas já!" ou no "impeachment de Collor", os movimentos de rua tinha propósitos claros. Agora, acrescenta, "foi toda a gente para a rua sem uma reivindicação clara, só 'a gente está na rua'".

 

O baterista afirma que "o ato público é parte da luta, não é a luta em si" e que este foi "um momento que daqui a alguns anos muita gente vai estudar na universidade".

 

Para o membro dos Ratos de Porão, "o lado bom é que muita gente já percebeu que pode ir para a rua, que pode falar e que isso faz parte de qualquer processo democrático".

 

 

Para visitar a fonte da informação clique aqui

Comunicado aos nossos leitores

1- Planeta Cultural é um Blog que tem por objectivo prioritário a divulgação do que de melhor vai acontecendo em Portugal e no mundo, compreendendo nomeadamente a apresentação de algumas imagens, textos, compilações / resumos com origem ou preparados com base em diversas fontes, em particular nas páginas da Internet e motores de busca, publicações literárias ou de órgãos de Comunicação Social, que nem sempre será viável citar ou referenciar. Convicto da compreensão da inexistência de intenção de prejudicar terceiros, não obstante, agradeço antecipadamente a qualquer entidade que se sinta lesada pela apresentação de algum conteúdo, o favor de me contactar via e-mail (constante no meu perfil público), na sequência de que procederei à sua imediata remoção.

2 - Os comentários expressos neste "Blog", vinculam exclusivamente os seus autores, não reflectindo necessariamente a opinião nem a concordância face aos mesmos do autor deste sítio, "Blog", pelo que, publicamente aqui declino qualquer responsabilidade sobre o respectivo conteúdo. Reserva-me também o direito de eliminar qualquer comentário que possa considerar difamatório, ofensivo, calunioso ou prejudicial a terceiros, bem como textos de carácter promocional que também poderão ser excluídos.

Atenciosamente;

---------------------------------R. C.
-------------Administrador do Planeta Cultural