Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Planeta Cultural

Acima de tudo, cultura geral

Planeta Cultural

Acima de tudo, cultura geral

Constitucional dá luz verde às 40 horas na Função Pública

25.11.13, Planeta Cultural

O Tribunal Constitucional decidiu que o aumento do horário de trabalho dos funcionários públicos de 35 horas para 40 horas semanais não viola a Constituição.

 

“O Tribunal Constitucional decide não declarar a inconstitucionalidade das normas dos artigos 2.º, em articulação com o artigo 10.º, 3.º, 4.º e 11.º, todos da Lei n.º 68/2013, de 29 de agosto”, lê-se num acórdão publicado no site do Tribunal Constitucional.

 

O Presidente da República não teve dúvidas quanto à constitucionalidade do aumento do horário, mas todos os partidos da oposição pediram a fiscalização sucessiva do diploma, que foi agora validado pelos juízes do Palácio de Ratton. Ainda assim a decisão foi aprovada à tangente, com seis votos a favor e cinco contra. 

 

Os deputados argumentaram que as normas que determinam o aumento do horário de trabalho violam os princípios do retrocesso social, da segurança jurídica e da confiança, a par dos princípios da igualdade e da proporcionalidade.

 

Leia mais aqui

 

Os problemas do Xbox One no lançamento

22.11.13, Planeta Cultural

Assim como no lançamento do PlayStation 4 (e de outros consoles), alguns “sortudos” levaram para casa unidades do Xbox One que apresentaram problemas no hardware e se tornaram enormes pesos de papel na estante da sala.

 

Repetindo o que fez para o lançamento do console da Sony, o IGN criou uma página que reúne as principais reclamações dos usuários e há cinco principais listadas lá: dificuldades para baixar o update, o console alegar que o Kinect está desconectado, a  mensagem de erro E100, que se refere a um problema no hardware, o console não ligar e o drive de CD não funcionar e fazer esse barulho super aflitivo ao receber um disco:

 

 

O que tem ficado mais famoso dentre eles é este último, com diversos vídeos de usuários mostrando o problema. Uma solução temporária que deu certo para algumas pessoas foi virar o console de ponta-cabeça com o CD dentro, mas não há uma realmente eficaz – ou oficial; a Microsoft ainda não falou nada em relação aos consoles defeituosos.

 

Por enquanto, os problemas seguem sem alguma solução encontrada pela comunidade. O recomendado é entrar em contato com o suporte da Microsoft e ver o que a empresa pode fazer. E, ao contrário do PS4, que chega ao Brasil só na semana que vem, nós fizemos parte do lançamento mundial do Xbox One, então as unidades puderam ser compradas aqui mesmo e, claro, contam com garantia e suporte.

 

Vale lembrar que os Xbox One com defeito são a exceção, e não a regra. Não há uma estimativa de quantos gamers os encontraram, mas dá para se basear na porcentagem divulgada pela Sony em relação ao PS4: 0,4% dos consoles estavam com defeito no lançamento. Esperamos que a Microsoft divulgue dados sobre o day one de seu console nos próximos dias.

 

 

 

Para visitar a fonte da informação clique aqui

Encontrar aplicativos para tablets Android no Google Play finalmente ficou mais fácil

22.11.13, Planeta Cultural

O Android vai muito bem no segmento de smartphones, mas a situação não é tão confortável assim no que se refere a tablets. O problema não está na qualidade ou quantidade de modelos, mas sim no ecossistema da plataforma, que até hoje prioriza dispositivos com tela de, no máximo, 5 polegadas e pouco. Mas, mudanças recentes no Google Play indicam que os tablets finalmente começarão a ter a atenção merecida.

 

Um post publicado na página de desenvolvedores do Android no Google+ na noite desta quinta-feira revela que, a partir de agora, o Google Play exibirá com mais precisão recomendações de aplicativos para tablets.

 

Para visitar a fonte da informação clique aqui

Miguel Macedo: “Os acontecimentos de ontem são absolutamente inaceitáveis”

22.11.13, Planeta Cultural

“A situação de ontem foi grave e não pode repetir-se. Essa é uma mensagem que quero deixar clara”, disse o ministro da Administração Interna numa declaração sobre a manifestação de dia 21 de Novembro das forças de segurança em frente à Assembleia da República, que culminou com a subida das escadarias.

 

 

Leia mais aqui

Kawasaki centra atenções do Tokyo Motor Show com mota “transformável”

22.11.13, Planeta Cultural



Veículo apresentado pela Kawasaki não vai ser comercializado, mas dá pistas sobre o que pode ser o futuro dos motociclos.

 

A mota eléctrica que a Kawasaki apresentou esta quinta-feira foi uma das estrelas do Tokyo Motor Show, que decorre na capital nipónica até 1 de Dezembro.

 

A Reuters classifica o veículo de três rodas de “futurista” e “transformista”. Com o nome de “J”, a moto não deverá ser comercializado junto do público, “mas oferece uma visão de como poderá ser a condução de um motociclo no futuro”, refere a agência de notícias norte-americana.

 

 


Para visitar a fonte da informação clique aqui

Grupo quer cotar Mota-Engil África numa bolsa europeia

21.11.13, Planeta Cultural

A administração vai convocar a assembleia geral para os accionistas decidirem sobre conjunto de operações de capital na sua subholding.

 

O conselho de administração da Mota-Engil vai solicitar a convocação de uma assembleia geral para propor aos accionistas a apreciação de um conjunto de operações de capital tendo por objecto a subholding do grupo em África, “tendentes a reforçar as condições económicas e financeiras para que o grupo possa prosseguir, com sucesso, a estratégia delineada”, refere no comunicado enviado para a Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).

 

Uma estratégia que, refere, passa pela intenção de admissão das acções da Mota-Engil África à negociação em mercado regulamentado europeu, “de modo a ter acesso a uma comunidade de investidores globais com fortes interesses e apetência pelos negócios desenvolvidos no continente africano, acompanhada da realização, a realização de um aumento de capital da Mota-Engil África por entradas em dinheiro, reservado a accionistas da Mota-Engil SGPS”.

 

Por outro lado, aponta ainda para uma distribuição em espécie aos accionistas da Mota-Engil, “tendo por objecto acções representativas de cerca de 20% do capital social da Mota-Engil África”, acções essas que os accionistas poderão alienar ou manter, participando directamente no desenvolvimento da actividade do grupo numa das suas geografias mais promissoras.

 

Por último, garante a “manutenção pelo grupo de uma forte participação de controlo, tendo presente a sua unidade e coesão, o seu modelo de negócio e desenvolvimento baseado numa estrutura colaborativa de negócios e geografias”.

 

 

In' Jornal de Negócios