Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Planeta Cultural

Acima de tudo, cultura geral

Planeta Cultural

Acima de tudo, cultura geral

Banif apresenta prejuízos de 243,5 milhões de euros

04.11.13, Planeta Cultural

O Banif apresenta nada mais nada menos do 243,5 milhões de euros de prejuízos referentes aos últimos nove meses!

 

Isto é demais, o problema é que os portugueses têm que sustentar os negociozinhos que são queridos a meia dúzia de meninos mimados e ninguém tem a coragem de por a mão nisso!

 

Depois, têm a lata de virem dizer que querem sair da crise!

 

Estes meninos mimados são mesmo estúpidos, mas mais "imbecil" é quem os cobre, pois sabem dos perigos constantes, e por serem tão meninos mimados como os outros, não têm coragem de terminar com negócios que ninguém, em plena saúde mental, quereria ver a sua continuidade!

 

 

Investigador de Viseu descobre novo virus canino

04.11.13, Planeta Cultural

O projeto foi financiado pela Fundação para a Ciência e a Tecnologia

 

Um novo vírus canino foi descoberto por um docente da Escola Superior Agrária do Instituto Politécnico de Viseu (IPV), no âmbito de um projeto internacional, anunciou hoje a instituição.

Intitulado «Novo norovirus canino: aspetos moleculares, epidemiológicos e patogénese», o projeto foi financiado pela Fundação para a Ciência e a Tecnologia.

O IPV explica, em comunicado, que os «norovirus» humanos «são hoje reconhecidos como a mais frequente causa de gastroenterite aguda por surtos alimentares e a causa mais comum de doença entérica (dos intestinos) esporádica, superando qualquer agente bacteriano».

A sua mais importante via de transmissão é o contacto pessoa a pessoa e o consumo de alimentos contaminados, mas era também equacionada a possibilidade de transmissão de animais para o homem.

«Até muito recentemente nada se sabia sobre a existência destes vírus em cães, os quais representam um elevado risco de transferência zoonótica, dado o seu contacto próximo com os humanos em muitas sociedades de todo o mundo», refere o IPV.

Após «um exaustivo estudo» para avaliar «o papel da população de cães como reservatório animal para "norovirus" no homem», a descoberta acabou por ser feita por João Mesquita, investigador da Escola Superior Agrária de Viseu.

Em estreita colaboração com a Universidade do Porto e o Centers for Disease Control and Prevention, dos Estados Unidos, João Mesquita descreve, pela primeira vez, a existência de um «norovirus» canino. A estirpe ganhou o nome «Viseu», dado o local da sua descoberta.

O investigador concluiu que «o vírus tem uma elevada variabilidade genética e antigénica graças à sua elevada taxa de mutação, o que é sugestivo de uma elevada adaptabilidade do vírus ao hospedeiro».

O projeto envolveu a análise de amostras biológicas de 15 países da Europa e dos Estados Unidos e, segundo o IPV, «demonstrou que o novo vírus está a ser excretado por todo o país e a ser transportado entre países da Europa, através da movimentação dos animais entre fronteiras».

Análises realizadas em soros humanos demonstraram ainda que «a população humana teve contacto prévio com este vírus, sugerindo a possibilidade de ocorrer a transmissão ao homem», acrescenta.

A equipa do Laboratório de Anatomia Patológica Veterinária da Escola Superior Agrária de Viseu está neste momento a estudar as alterações dos tecidos dos intestinos de cães infetados, recorrendo «a técnicas avançadas de deteção de apoptose (morte celular programada) e caracterização das lesões celulares microscópicas».

 

 

Para visitar a fonte da informação clique aqui

Nuno Amado critica novos certificados do Tesouro: Estado deve ser regulador e não interventivo

04.11.13, Planeta Cultural

O presidente executivo do Banco Comercial Português é o primeiro banqueiro a criticar, directamente, os Certificados do Tesouro Poupança Mais, lançados recentemente pelo Governo. Nuno Amado acusa o Governo de desviar dinheiro da economia e defende que o País precisa de um sector privado mais dinâmico.

 

"Já existe muita concorrência no mercado e o Estado deve ser regulador em vez de ser interventivo [neste mercado]. Mas não é isso que está a acontecer", afirmou Nuno Amado a propósito dos novos Certificados do Tesouro.  

 

"Por cada mil milhões de euros que vai para o financiamento do Estado são mil milhões de euros que não vão para o financiamento da economia", disse o presidente executivo do BCP, à margem da conferência de imprensa de apresentação dos resultados dos primeiros nove meses de 2013, acrescentando que "o que o País necessita é de um sector privado mais dinâmico para puxar pela economia".

 

Os novos Certificados do Tesouro, que só no primeiro dia de subscrição, 31 de Outubro, alcançaram os 30 milhões de euros, são vistos como "uma ameaça directa aos depósitos nos bancos". "Este produto é atractivo e constitui uma ameaça directa aos depósitos nos bancos, que nos últimos tempos têm pago menos pelos recursos de clientes”, escreveu o Millennium IB a 14 de Outubro, acrescentando que a elevada rentabilidade do produto do Estado poderá ter um impacto na margem financeira dos bancos.

 

O banco de investimento considera ainda que a "taxa atractiva do novo produto de aforro do Estado pode ser uma ameaça à captação deste tipo de financiamento por parte da banca", com muitos investidores a preferirem as taxas crescentes do Certificados do Tesouro Poupança Mais que chegam a 5%, mas podem ser ainda mais elevadas consoante a evolução do PIB.  

 

Além do Millennium IB, também o BPI é da opinião que este novo produto é "uma ameaça potencial à margem financeira dos bancos e à melhoria da rentabilidade em 2014”, receando que o sector suba os juros para tentar competir com os certificados do Tesouro. 

 

À excepção de Nuno Amado, os restantes CEO dos maiores bancos portugueses optaram por não fazer comentários ao novo produto de aforro do Estado. Apenas Artur Santos Silva, chairman do BPI falou sobre o assunto para dizer que os "bancos não têm problemas com a compra de certificados do Tesouro". "Há muitas pessoas que aplicam em dívida pública. É normal que haja uma base de investidores nacionais", afirmou o responsável a 31 de Outubro passado. 

 

Segundo a edição de sexta-feira do "Diário Económico", os novos Certificados do Tesouro foram um dos temas abordados na reunião entre a ministra das Finanças, Maria Luís Albuquerque, e os líderes do Banco Espírito Santo, BCP, Caixa Geral de Depósitos, BPI, Banif e Montepio, que teve lugar a 1 de Novembro.

 

In' Jornal de Negócios