Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Planeta Cultural

Acima de tudo, cultura geral

Planeta Cultural

Acima de tudo, cultura geral

Novo portal de arquitectura lançado em Portugal

14.09.13, Planeta Cultural

Já está online o ArchReady, um novo portal de arquitectura português que pretende democratizar esta arte e ser “um ponto de encontro entre clientes e profissionais nas áreas ligadas à arquitectura e construção”.

 

De acordo com o Construir, que cita um comunicado de imprensa, o portal pretende “revolucionar o mundo da arquitectura e dinamizar um dos sectores mais afectados pela crise”.

 

“A consciência da realidade de uma crise económica foi a motivação necessária para que alguns jovens empreendedores portugueses se juntassem e concretizassem um projecto que pudesse responder a muitas necessidades actuais”, explica o mesmo comunicado.

 

A plataforma é gratuita e visa exportar arquitectura portuguesa, possibilitando aos arquitectos divulgar e vender os seus projectos online para qualquer parte do mundo. O portal disponibiliza ainda um directório interactivo que permite que profissionais e empresas do sector divulguem os seus serviços.

Para além da componente mais comercial, existe ainda um trabalho de divulgação de novas tendências, notícias relevantes e dicas úteis para o dia-a-dia dos utilizadores.

 

 

Para visitar a fonte da informação clique aqui

Desperdício alimentar global causa mais emissões de CO2 do que qualquer país

14.09.13, Planeta Cultural

Um estudo recente da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura estima que os 1,3 mil milhões de toneladas de alimentos desperdiçados em todo o mundo causam mais emissões de gases com efeito de estufa do que as emitidas por qualquer país – excepto a China e os Estados Unidos.

 

O estudo tem em conta a energia, a água e os produtos químicos usados tanto na produção dos alimentos como na sua eliminação – totalizando cerca de 3,3 mil milhões de toneladas de dióxido de carbono a cada ano.

 

Em países industrializados, todo este desperdício deve-se ao facto de os consumidores comprarem muita comida e deitarem fora aquela que não comem. Nos países em desenvolvimento, acontece que as pessoas não têm instalações adequadas de armazenamento dos alimentos e praticam técnicas agrícolas ineficientes.

 

Com a população mundial a continuar a aumentar ano após ano, reduzir o desperdício alimentar não só reduziria as emissões de gases poluentes, como poderia ajudar a evitar a eventual escassez de alimentos que atravessaremos nas próximas décadas.

 

Segundo o Inhabitat, a ONU sugere algumas mudanças por parte dos produtores dos países em desenvolvimento, que poderiam optar por um maior investimento na colheita, no arrefecimento e em métodos de embalamento que reduzam o desperdício. Estas melhorias podem permitir que a comida chegue aos consumidores de forma mais eficiente.

 

As soluções propostas para os países industrializados são mais simples, mas com igual grande alcance: os consumidores devem ser encorajados a comer porções mais pequenas e a fazer um melhor uso dos restos de comida, enquanto as empresas podem doar os excedentes de alimentos a instituições de caridade. Encontrar alternativas para os resíduos alimentares que seguem para os aterros sanitários também pode ajudar a reduzir as emissões.

 

 

Para visitar a fonte da informação clique aqui

Níveis de cálcio da maçã caíram para metade nos últimos 80 anos

14.09.13, Planeta Cultural

Uma maçã comida há 80 anos pelos nossos avós tinha o dobro dos níveis de cálcio que o mesmo fruto comido hoje. E um bife comido por alguém em 1940 continha o dobro do ferro de um outro bife comido em 2002, neste caso devido à mudança da alimentação dos animais.

 

As conclusões são de uma pesquisa do Nutrition Security Institute, que analisou as mudanças nutritivas em alguns alimentos nos últimos 80 anos e foram anunciadas numa reunião do Omega Institute for Holistic Studies, em Hudson Valley, Nova Iorque.

 

A reunião contou com a presença de agricultores, educadores, pesquisadores e activistas e centrou-se na qualidade da comida, nutrição e agricultura – o vale do Hudson tornou-se um destino gastronómico devido às suas pequenas quintas e publicidade feita por chefes famosos.

 

Segundo Graeme Sait, um autor e educador na área da nutrição e agricultura na Austrália, a comida que hoje comemos oferece apenas 30% do alimento, comparada com a comida que os nossos avós comiam quando eram crianças.

 

Este foi o ponto de partida para um debate em que o escritor gastronómico Fran McManus, presente na reunião, explicou que o gosto das pessoas foi “capturado” pelos alimentos processados, através do sal, adoçantes e sabores artificiais. “A referência de uma pessoa em relação ao sabor – ou ao que a comida deve saber – é colocada numa parte inicial da vida. Se não ensinamos as nossas crianças a reconhecerem a qualidade, nunca lá chegaremos”, explicou.

 

O sabor não está apenas relacionado com a estética, de acordo com os produtores de fruta, mas é um reflexo de como a química da apanha de um fruto ou vegetal se interliga com as nossas necessidades biológicas. Um exemplo: um fruto é normalmente apanhado verde, para ser mais facilmente transportável, por isso nunca chega a todo o seu potencial ao nível do sabor.

 

“E o sabor está relacionado com a saúde”, explica Walter Goldstein, um produtor de milho fundador do Mandaamin Institute e que se dedica a desenvolver milho e trigo mais nutritivo. “Se os produtores e consumidores perderem a capacidade de saborear os seus vegetais, fruta ou cereais, e apenas se preocuparem com a sua aparência, irá ocorrer uma erosão de sabor. Esta perda de qualidade pode afectar a nossa saúde”, concluiu o agricultor.

 

 

Para visitar a fonte da informação clique aqui

José Mourinho vs Carlo Ancelotti

14.09.13, Planeta Cultural

"Eu não me importo nada que sejam convocados. Aliás, fico é muito contente que possam ir e representar as respetivas seleções. Eu nunca diria a um atleta meu para alegar uma lesão, e, por esse motivo, não ser chamado".

 

 

Obs:- Não é por ser português, mas faz todo sentido as palavras proferidas por José Mourinho!

 

 

Benfica vs Paços de Ferreira - Online

14.09.13, Planeta Cultural

Se assim o desejar, o jogo entre o Benfica e o Paços de Ferreira, a contar para a 4ª Jornada da Liga Zon Sagres, pode ser visto através de um dos links abaixo indicados.

 

 

Transmissão agendada para as 18:15

 

  

Ligre

14.09.13, Planeta Cultural

 

O ligre é um híbrido entre um leão e uma tigresa. Os machos deste animal são híbridos estéreis, pois o número de cromossomos do tigre e do leão são pares, mas diferentes, assim o ligre tem um número ímpar de cromossomos graças ao processo da meiose que ocorre na formação dos gametas femininos e masculinos (óvulos e espermatozóides, respectivamente), podem se acasalar com outro animal com características parecidas, como o próprio tigre ou leão puros, mas seus filhotes podem ter a saúde delicada.

 

O seu aspecto é de um gigantesco leão com raias de tigre difusas que pode ou não ter juba. Ele é, atualmente, o maior felino do mundo, possuindo entre 3,5 e 4 metros de comprimento. Com apenas três anos pode vir a pesar meia tonelada, por meio de sua dieta de carne e frango.

 

Acredita-se que o enorme tamanho que esses animais atingem ocorra pela ausência de genes que condicionem a produção dos hormônios inibidores do crescimento. Isso porque nos leões essa é uma herança materna, e nos tigres é paterna, portanto os ligres não recebem esses genes. O cruzamento entre leões e tigres só ocorre por ação do homem. Além de os hábitats de ambas as espécies serem muito diferentes, elas geralmente não compartilham os mesmos territórios, de maneira que há poucas possibilidades de se encontrarem para formar este estranho cruzamento. Na atualidade esses animais só coexistem na natureza no bosque de Gir, na Índia. Antigamente porém, leões e tigres coexistiram na Mesopotâmia, Cáucaso, Pérsia, Afeganistão e em grande parte do subcontinente indiano.

 

Existe também o tigreão, que é o híbrido de uma leoa com um tigre.

 

 

 

Para visitar a fonte da informação clique aqui

O maior felino vivo do mundo

14.09.13, Planeta Cultural

 

Chama-se Hercules, pesa 420 quilos e foi considerado o maior felino do mundo pelo Livro dos Recordes do Guinness. O felino – um ligre – é uma das atracções da edição de 2014 do famoso livro de curiosidades e vive na Myrtle Beach Safari, uma reserva de vida selvagem na Carolina do Sul, Estados Unidos.

 

Com 3,3 metros de comprimento e 1,2 metros de altura, este animal não existe na vida selvagem, apenas em cativeiro. Ele é a união de um leão (pai) e de uma tigre (mãe) e é considerado o maior felino do mundo, chegando a ter quatro metros.

 

Os machos deste animal são estéreis, uma vez que o número de cromossomas do leão e do tigres são pares, mas as fêmeas podem acasalar com outro animal com características parecidas, criando o liligre. Porém, estes podem ter uma saúde frágil.

 

Este santuário de vida selvagem foi criado em 1982 para ajudar vários animais em extinção de todo o mundo. Desde então, já recebeu elefantes, rinocerontes, orangotangos e outros grandes animais.

 

 

 

Para visitar a fonte da informação clique aqui