Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Planeta Cultural

Acima de tudo, cultura geral

Planeta Cultural

Acima de tudo, cultura geral

Dow Jones atinge novo máximo histórico

23.07.13, Planeta Cultural

Os principais índices norte-americanos encerraram mistos, com o Dow Jones a marcar novo recorde e o S&P 500 a ceder terreno, numa sessão em que os investidores analisam os resultados empresariais num clima de especulação relativamente à data em que a Fed começará a retirar os estímulos à economia.

 

O índice industrial Dow Jones fechou a ganhar 0,14%, fixando-se nos 15.567,74 pontos, naquele que é um novo máximo de sempre.

 

Já o Standard & Poor’s 500 cedeu 0,19% para 1.692,39 pontos, suspendendo assim uma série de quatro sessões consecutivas de subida, sempre a marcar novos recordes.

 

O índice tecnológico Nasdaq, por seu lado, recuou 0,59% para 3.579,27 pontos.

 

A Travelers Cos caiu 3,8% depois de reportar a maior queda trimestral dos seus lucros desde 2008.

 

A Netflix também cedeu terreno, a afundar 4,5%, depois de anunciar um aumento de subscritores inferior ao esperado.

 

Do lado positivo, a Texas Instruments subiu 4% após estimar vendas e lucros acima das estimativas.

 

Destaque também para a Apple, que segue a disparar 3,9% na negociação fora do mercado regular, depois de ter apresentado – logo a seguir ao fecho da sessão bolsista – lucros e um volume de negócios superiores ao projectado.

 

 

Para visitar a fonte da informação clique aqui

Filme sobre Wikileaks abre festival de cinema de Toronto

23.07.13, Planeta Cultural

A 38.ª edição do Festival Internacional de Cinema de Toronto abre a 05 de Setembro com a projecção em estreia mundial de “The Fifth Estate”, um filme sobre os bastidores do caso Wikileaks.

 

Realizado por Bill Condon e protagonizado por Benedict Cumberbatch, que interpreta o fundador da Wikileaks, Julian Assange, “The Fifth Estate”, que pode traduzir-se como “O quinto Poder”, conta como foi criado o ‘site’ que abalou a política internacional com a divulgação de informação classificada.

 

“É um filme sobre o que pensamos ser uma das questões mais importantes da nossa época: a informação e quem a controla”, disse hoje à imprensa o diretor artístico do Festival de Toronto, Cameron Bailey.

 

O director do Festival, Piers Handling, divulgou uma lista preliminar de 40 longas-metragens a projectar até 15 de Setembro, a maioria em estreia mundial.

 

É o caso do filme “Mandela: Long Walk to Freedom”, do realizador Justin Chadwick, baseado na autobiografia do antigo Presidente sul-africano, interpretado no ecrã por Idris Elba.

 

Também inspirado numa história real, o realizador Steve McQueen vai apresentar “12 Years a Slave”, um retracto de um pai de família afro-americano raptado e vendido como escravo em 1841.

 

 

Para visitar a fonte da informação clique aqui

Rui Machete é novo MNE

23.07.13, Planeta Cultural

O Presidente da República aceitou a remodelação proposta pelo primeiro-ministro, segundo comunicado publicado na página da internet do Presidente da República. A grande novidade é a escolha de Rui Machete, um histórico do PSD e que já foi vice-primeiro-ministro nos anos 80, para ministro dos Negócios Estrangeiros.

 

De resto, confirmam-se as notícias dos últimos tempos com Paulo Portas como vice-primeiro-ministro, o centrista António Pires de Lima na Economia e o social-democrata Jorge Moreira da Silva à frente do Ambiente, Ordenamento do Território e Energia.

 

O único ministro ceifado pela remodelação é Álvaro Santos Pereira, que até hoje ocupava a pasta da Economia.

 

Com competências acrescidas fica Pedro Mota Soares, que fica agora a tutelar o Emprego (vindo do Ministério de Santos Pereira) passando a ministro da Solidariedade, Emprego e Segurança Social.

 

Já Assunção Cristas é aliviada do Ambiente e o Ordenamento do Território e passa a ministra da Agricultura e do Mar.

 

A tomada de posse dos novos governantes será amanhã às 17h.

 

O primeiro-ministro esteve ao início da noite no Palácio de Belém para uma reunião com o Presidente da República. Passos Coelho terá levado até Cavaco Silva os nomes que deverão vir a integrar o Governo na sequência da remodelação governamental.

 

O encontro entre o primeiro-ministro e o Presidente da República durou cerca de meia hora. 

 

 

Para visitar a fonte da informação clique aqui

CEO da Swisscom encontrado morto em casa

23.07.13, Planeta Cultural
Autoridades suíças estão a investigar as circunstâncias da morte de Carsten Schloter e suspeitam que se trate de um caso de suicídio.
 

Carsten Schloter, presidente executivo da Swisscom (empresa de telecomunicações suíça), foi encontrado morto esta manhã na sua casa em Freiburgo, na Suíça, escreve o “Financial Times”. As autoridades locais estão a investigar as circunstâncias da morte de Schloter e, para já, a tese que parece ter mais força é a de suicídio.

 

Segundo a mesma fonte, Schloter era respeitado na indústria de telecomunicações e visto como um dos melhores gestores de topo da nova geração.

 

Líder da Swisscom há vários anos, Schloter começou a sua carreira na Mercedes Benz e, em 1992, entrou para Debitel, uma das grandes empresas de telecomunicações da Europa.

 

Entretanto, Hansueli Loosli, chairman da Swisscom, citado pela publicação britânica, já veio a público expressar a “tristeza” de toda a empresa.

 

Doris Leuthard, ministra suíça do ambiente, transportes, energia e comunicações, citada pelo "Financial Times", já veio a público lamentar a morte de Schloter e sublinhar que “num mercado que está rapidamente em mudanças, e calorosamente contestado, Carsten Schloter colocou a Swisscom numa posição de sucesso e, por isso, o serviço público ficou mais fortalecido”.

 

Para já Urs Schäppi, director de operações da empresa na Suíça, vai assumir a liderança da empresa a título interino.

 

 

Para visitar a fonte da informação clique aqui

PSI-20 encerra em alta ligeira com bancos a anularem ganhos

23.07.13, Planeta Cultural
A sessão de bolsa nacional desta terça-feira encerrou praticamente inalterada apesar de ter sido marcada pela subida de mais de 4,5% da Portugal Telecom. A Zon Multimédia e o sector da banca contrariaram maiores ganhos num dia em que BCP, BES e BPI chegaram a subir mais de 3%.
 

O índice PSI-20 valorizou 0,02% para 5.652,41 pontos, com cinco cotadas a subirem, 13 a descerem e duas a negociarem inalteradas. Entre as principais praças europeias a tendência foi de perdas com a excepção a ser o índice espanhol IBEX, que progrediu 1,45%.

 

Nesta terça-feira foi Portugal Telecom ditou o fecho da bolsa nacional no verde. A operadora liderada por Henrique Granadeiro ganhou 4,56% para 2,96 euros por título. Isto numa sessão em que chegou a negociar em alta de mais de 9% e a ser a operadora que mais subiu entre as cotadas de telecomunicações representadas no índice Stoxx 600.

 

A impulsionar o sector da PT, na Europa, esteve a notícia de que a Telefónica chegou a acordo com a KPN para comprar a E-Plus na Alemanha a 8,1 mil milhões de euros. A participada a PT no Brasil, Oi, acumulou um ganho de 32% nas últimas duas sessões. Esta tarde segue a corrigir parte dos ganhos ao recuar 2,52% para 4,46 reais.

 

A Sonaecom perdeu 0,39% para 1,775 euros e a Zon Multimédia encerrou a sessão a perder 2,53% para 4,035 euros, tendo sido a cotada que mais contrariou uma maior subida do PSI-20. A operadora liderada por Rodrigo Costa viu o Crédit Suisse aumentar o preço-alvo para a cotada de 3,00 para 4,50 euros. Uma subida da avaliação de 50% e que implicou uma revisão em alta da recomendação de “neutral” para “outperform”.

 

O comportamento do sector da banca foi hoje marcado por alguma volatilidade.

 

Os três principais bancos do PSI-20 chegaram a subir mais de 3% durante o dia, mas isso não impediu o BCP de recuar 1,04% para 0,095 euros, o BES de perder 0,44% para 0,682 euros. Já o BPI avançou 0,63% para 0,957 euros, após o banco Nomura ter reafirmado a sua preferência pelos título do banco liderada por Fernando Ulrich. O Banif encerrou inalterado nos 0,052 euros.

 

O sector da energia teve um comportamento misto. A eléctrica EDP avançou 0,20% para 2,49 euros e a EDP Renováveis perdeu 1,34% para 3,67 euros, enquanto a REN encerrou inalterada nos 2,20 euros. A petrolífera Galp Energia perdeu 0,04$ para 11,905 euros.

 

 

Para visitar a fonte da informação clique aqui