Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Planeta Cultural

Acima de tudo, cultura geral

Planeta Cultural

Acima de tudo, cultura geral

Sócrates: “Parem de escavar. Parem com a austeridade”

27.03.13, Planeta Cultural



O ex-primeiro-ministro considera que a solução para a crise é o fim da austeridade. "Parem de escavar", afirmou José Sócrates, em entrevista à RTP.


José Sócrates, ex-primeiro-ministro, diz que a solução para a actual crise que o País atravessa passa pelo fim da austeridade e apresentou até uma imagem para caracterizar a situação a que o País chegou.

 

“A imagem que me ocorre quando vejo o que se passa é que o Governo se meteu num buraco e acha que o que deve fazer é começar a escavar. E eu digo: parem de  escavar. Parem com a austeridade”, disse Sócrates esta noite durante a sua primeira entrevista à RTP, depois de dois anos afastado da vida política. Segundo o ex-governante, “se continuarmos a cavar não cumprimos nem na dívida nem no défice”.

 

Sócrates disse ainda que o actual Governo está a cometer um “erro económico e político seríssimo” ao não pôr travão à austeridade.  Prova disso é que, segundo o ex-governante, o défice é “muito semelhante ao de 2010” e, “nos últimos 20 anos, o ano em que a dívida pública mais subiu foi 2012”.

 

Sócrates procurou assim desconstruir o que o actual Executivo diz quando o acusa de despesismo: “Entre 2008 e 2010, altura em que subiram todas as dívidas, a dívida pública portuguesa subiu 20 pontos. Entre 2010 e 2012 subiu 30, para 123”.




Para visitar a fonte da informação clique aqui

Prazo para entregar IRS em papel termina no final da semana

27.03.13, Planeta Cultural

Os contribuintes com rendimentos de trabalho por conta de outrem e os reformados só têm até ao final da semana para entregar as declarações de IRS em papel. Com as alterações referentes a 2012, as deduções e benefícios fiscais foram reduzidos. Os contribuintes podem receber um reembolso menor ou até mesmo pagar IRS.

 

 

Para visitar a fonte da informação e ver o vídeo complementar, clique aqui

Cientistas portugueses desenvolvem super anticorpo para combater cancro da mama

27.03.13, Planeta Cultural

Investigação já valeu prémio de Mérito Científico Santander Totta/Universidade Nova de Lisboa

 

Uma equipa de investigadores portugueses está a desenvolver um novo tratamento para o cancro da mama, a partir da engenharia molecular, criando um anticorpo capaz de eliminar as células tumorais malignas.


A investigação, liderada por Paula Videira, venceu a sexta edição do Prémio de Mérito Científico Santander Totta/Universidade Nova de Lisboa, no valor de 25 mil euros, que é entregue hoje, no auditório da reitoria da universidade.


Em declarações à agência Lusa, a investigadora explicou que o trabalho, a decorrer nos próximos dois anos, pretende, através da manipulação de anticorpos, juntar as células do sistema imunitário, designadas células T, com as do cancro da mama, para que as primeiras eliminem as segundas.


Os anticorpos são moléculas geradas pelo desencadear do mecanismo de defesa imunitária específica. Quimicamente, são glicoproteínas.


Segundo Paula Videira, da Faculdade de Ciências Médicas da Universidade Nova de Lisboa, o cancro da mama tem características que "criam um efeito imunossupressor", isto é, o sistema imunitário não consegue eliminar as células tumorais malignas, que progridem no organismo.


As células tumorais malignas expressam, neste caso, à superfície, glicanos - um tipo de açúcares - muito diferentes dos encontrados nas células normais e que se designam “sialil-Tn”.


De acordo com Paula Videira, esta "expressão" verifica-se em 30 por cento dos casos de cancro da mama.


Contudo, explicou, as células do sistema imunitário, em vez de reconhecerem a aberração e eliminá-la, "não vão fazer nada".

 

Um super anticorpo

 

O que a equipa de cientistas se propõe fazer é criar um anticorpo "bi-específico", que una as células específicas do sistema imunitário com as do cancro da mama e, ao mesmo tempo, "ative" as primeiras para eliminar as últimas.


Numa primeira fase, os investigadores vão "finalizar" o "fabrico" do anticorpo que vai reconhecer as células do cancro da mama, uma vez que, adiantou Paula Videira, "já existem anticorpos que ativam as células T", as células do sistema imunitário.


Posteriormente, será feita a caracterização do anticorpo das células tumorais, antes da sua junção com o anticorpo das células T.


O novo anticorpo gerado será testado "in vitro" em células humanas e, depois, em animais vivos, "capazes de receber células humanas sem as rejeitar".


Se for bem sucedida, a investigação pode ser, na opinião de Paula Videira, um "passo importante" para o tratamento, mais eficaz e menos tóxico, do cancro da mama, mas também dos cancros do estômago, do pâncreas e do cólon, que expressam igualmente glicanos “sialil-Tn”.

 

 

Para visitar a fonte da informação clique aqui

Oxe7 também capitula perante ameaças da ACAPOR

27.03.13, Planeta Cultural

Esta semana já é o terceiro site de partilha de ficheiros para download que decide encerrar voluntariamente perante as investidas da ACAPOR, que conseguiu identificar os gestores dos serviços.

 

O Oxe7 era um dos sites visados pela associação que representa a indústria do entretenimento em Portugal nas queixas entregues em novembro do ano passado à Procuradoria Geral da República, mas apesar de ter procedido a uma limpeza dos conteúdos manteve-se operacional

Mas hoje os administradores do site publicaram um comunicado onde referem que o Oxe7 chega ao fim. "Moveu-nos o espírito de partilhar conhecimento e cultura por isso ficamos muito tristes ao ter de comunicar que o OXE7 acaba por aqui", refere o documento. 

Os desenvolvimentos nas últimas 24 horas das queixas da ACAPOR contra os sites de partilha levaram a administração do Oxe7 a comunicar o fim da partilha de links para download ou visionamento online. 

"O objectivo do OXE7 sempre foi proporcionar a todos os portugueses o acesso à cultura e dar a conhecer as últimas novidades a nível cinematográfico, músical, etc..", refere-se no comunicado publicado no site, que cita ainda "um estudo, encomendado pela Comissão Europeia, que concluiu que mesmo se as opções de partilha não existissem, não comprariam música nas lojas. Ou seja, as pessoas compravam o que gostam, mas deixavam de conhecer toda a diversidade de música que existe". 

Ainda ontem o PDClinks decidiu encerrar o serviço depois de ter recebido uma carta da ACAPOR, a mesma opção que moveu o Movies and Series by Né & Miguelito no dia anterior

Estes eram classificados pela associação como o quinto e o quarto maiores sites de pirataria em Portugal e a ACAPOR já se congratulou com o encerramento dos serviços. 

Nuno Pereira, presidente da associação, tinha explicado ontem ao TeK que a ACAPOR está a optar pela citação direta dos sites sempre que consegue identificar os administradores dos sites. "Quando recolhemos matéria probatória suficiente para identificar sem margens para dúvidas os administradores dos sites estamos em condição de avançar para o Tribunal", justifica. 

Na carta enviada aos sites de partilha de ficheiros a ACAPOR avisa que conseguiu recolher as provas suficientes para avançar para o Tribunal da Propriedade Intelectual e que pode exigir uma indeminização até 80 mil euros. 



Para visitar a fonte da informação clique aqui

Milhares de pessoas vão fazer parte do grupo de testes do Google Glass

27.03.13, Planeta Cultural



Quando a Google revelou ao mundo os óculos inteligentes fez questão de resfriar logo os ânimos ao dizer que a compra do dispositivo só podia ser feita em 2014. Mas há quem tenha tentado a sorte.


A Google já escolheu os vencedores da iniciativa #ifihadglass, um concurso destinado aos norte-americanos e que dá às pessoas a oportunidade de fazerem parte de um grupo restrito de testes do Google Glass. A empresa de Mountain View vai começar a contactar os milhares de escolhidos através do Google+ e Twitter. 

A revista Time avança que ao todo foram selecionadas oito mil pessoas, que apesar de terem sido escolhidas entre várias dezenas de milhares de concorrentes, vão ter que pagar os 1.500 dólares que garantem o acesso ao dispositivo. Conhecido como Programa Explorer, a Google quer perceber qual a recetividade dos utilizadores aos óculos inteligentes e quer resolver falhas que possam ser encontradas durante o período de utilização. 

Numa nota enviada aos meios de comunicação, a gigante dos motores de busca revelou cinco das frases que foram escolhidas. Uma participante promete levar o dispositivo até um asilo de veteranos de guerra para que possam ver os seus memoriais de guerra, enquanto um trabalhador de um jardim zoológico prometeu partilhar a experiência que é alimentar pinguins. 

Numa publicação no Google+, a tecnológica norte-americana revelou ainda que recebeu várias participações de empresas mas que este tipo de "indivíduos" não eram elegíveis para a fase atual do programa. A Google diz que está a trabalhar maneiras diferentes de compromisso para as empresas relativamente ao Glass Project. 

Entretanto na Holanda.. 

Um repórter do The Verge encontrou duas pessoas num café que estavam a utilizar uma versão do Google Glass que foi impressa em 3D. Os mais impacientes podem descarregar o modelo tridimensional e começar a experimentar o style de utilizar um gadget usável numa altura em que ainda há de ser desconhecido para a maior parte da população.

 

 

Para visitar a fonte da informação clique aqui

Maior ataque de sempre afeta desempenho da Internet

27.03.13, Planeta Cultural

Serviços como o Netflix estão entre os mais prejudicados por um ataque massivo que teve como alvo a infraestrutura da Internet. Tudo começou com uma disputa entre um grupo de combate ao spam e uma empresa holandesa.

 

Os especialistas foram rápidos a classificar este ataque como o maior de sempre à infraestrutura da Internet e os efeitos fazem-se sentir no acesso a diversos serviços e sites web, escreve o jornal The New York Times. 


"Este é o maior dataque DDoS anunciado publicamente na história da Internet", afirmou ao jornal Patrick Gilmore, chief architect da Akamai Networks, uma empresa que faz o acompanhamento do tráfego na rede e que hoje regista um crescimento de 142% no número de ataques detetados. 

Para além da lentidão no acesso a páginas web, os técnicos responsáveis pela gestão da rede a nível global mostram preocupação com a escalada dos ataques, que estão a subir de intensidade e que podem vir a tornar inacessíveis serviços considerados básicos, como email ou homebanking. 

Os ataques são dirigidos ao sistema de resolução de nomes na Internet (DNS - Domain Name System) e foram já relatados na semana passada por uma empresa de segurança norte-americana. O método usado pelos atacantes é o denial of service, DDoS, e segundo a mesma fonte estão a atingir picos de magnitude, crescendo para 300 mil milhões por segundo. 

Os ataques terão tido origem numa disputa entre a Spamhaus - uma organização que regista entidades envolvidas no envio de spam - e uma empresa holandesa de alojamento, a Cyberbunker. A Spamhaus adicionou a Cyberbunker à sua lista negra e esta terá retaliado com ataques DDoS, que têm um efeito mais lato do que o objetivo inicial de evitar que a Spamhouse distribuísse a sua lista. 

A Cyberbunker conta a sua versão da história no seu site, mas nunca admite ser a origem dos ataques. 

A BBC escreve que há cinco grupos de combate ao cibercrime de diferentes países a investigar os ataques e cita os responsáveis da Spamhouse, que afirmam estar a combater o ataque há mais de uma semana, com sucesso, mantendo os seus mais de 80 servidores a funcionar. 

Mas este foi classificado pelos responsáveis da Spamhaus como um ataque de "uma dimensão sem precedentes", embora estejam habituados a retaliações em modelos semelhantes de serviços que são colocados na lista negra.

 

 

Para visitar a fonte da informação clique aqui