Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Planeta Cultural

Acima de tudo, cultura geral

Planeta Cultural

Acima de tudo, cultura geral

Altri mais que duplica lucros em 2012 e supera previsões

07.03.13, Planeta Cultural

Resultados líquidos atingiram 52,2 milhões de euros, num ano em que a empresa atingiu uma produção e um volume de vendas recorde.

 

A Altri fechou 2012 com resultados líquidos de 52,2 milhões de euros, um crescimento de 131% face aos 22,6 milhões de euros obtidos no ano anterior. Os lucros ficaram acima das estimativas dos analistas do CaixaBI, que apontavam para um valor de 50,8 milhões de euros.

 

As receitas subiram 11,6% para 542,8 milhões de euros, o valor mais alto de sempre da empresa, que em 2012 também atingiu uma produção recorde, anunciou a empresa em comunicado.

 

As três fábricas da Altri produziram cerca de 910 mil toneladas de pasta de papel no ano passado, mais 7% que em 2011. Na Celbi a produção subiu 4% e continua a representar mais de metade da empresa, enquanto na Caima caíram 15% devido ao projecto de conversão para pasta solúvel que está a decorrer nesta unidade.

 

As exportações da Altri subiram 12% e passaram a representar mais de 92% do total, ao atingirem 418 milhões de euros.

 

Com os custos a crescerem a um ritmo inferior (7% para 400 milhões de euros), o EBITDA da Altri subiu 27% para 143 milhões de euros. A margem EBITDA melhorou 3,1 pontos percentuais para 26,4% e os resultados operacionais cresceram 55% para 94,2 milhões de euros.

 

A Altri assinala que no ano passado, em que realizou investimentos de 16,7 milhões de euros, reduziu a dívida líquida em 59 milhões de euros para 619,7 milhões de euros. “As necessidades de financiamento da Altri encontram-se integralmente asseguradas, detendo o Grupo, no final de 2012, disponibilidades de 112 milhões de euros e linhas de financiamento disponíveis e não utilizadas de 55 milhões de euros”, assinala a companhia em comunicado. 

 

 

Para visitar a fonte da informação clique aqui

Pastor Marco Feliciano assume Comissão de Direitos Humanos

07.03.13, Planeta Cultural



Com Domingos, saíram diversos deputados contrários à eleição do pastor, como Érika Kokay (PT), Jean Willis (PSOL) e Luiza Erundina (PSB). Eles já cogitam formar uma comissão paralela de Direitos Humanos, em protesto contra a eleição do pastor acusado de ser racista e homofóbico por grupos de minorias. Mesmo com apenas 12 integrantes presentes, Marcos Feliciano conseguiu os votos necessários para se eleger.

 

O pastor foi eleito por 11 votos, seis deles de deputados de seu partido (cinco titulares da comissão e uma suplente). Em seu discurso de posse, Marco Feliciano rebateu as críticas recebidas ao longo da última semana e negou ser racista e homofóbico.

 

Ao longo deste ano de trabalho na comissão todos poderão constatar que não sou nada disto. Se eu tivesse algum comportamento racista, a primeira pessoa a quem eu deveria pedir desculpas é para minha mãe, que não tem pele negra, mas tem o cabelo negro, os lábios negros e o coração negro, como eu — afirmou.

 

Antes de encerrar a sessão em que foi eleito, que tinha a presença apenas dos deputados que o elegeram e outros que apoiaram sua eleição, Marco Feliciano fez um apelo por uma chance para mostrar seu trabalho:

 

- Não se deve julgar uma pessoa que tem 40 anos por 140 caracteres escritos. Me deem aqui uma chance.

 

Feliciano falou em 140 caracteres numa referência às declarações que escreveu em seu twitter sobre os africanos serem um povo amaldiçoado e que geraram as acusações de que ele é racista.

 

 

Leia mais aqui

Decisão da Anacom abre espaço para descida nos preços das chamadas para a rede fixa

07.03.13, Planeta Cultural

Operadores de rede fixa, a partir de Outubro, vão passar a cobrar um valor quase residual (0,1091 cêntimos) pelas chamadas terminadas na sua rede. Regulador diz que corte de 80% na tarifa de terminação abre espaço para uma descida dos preços cobrados aos consumidores, num total de 11 milhões de euros.

 

A Anacom vai obrigar à descida das tarifas que os operadores fixos recebem por terminarem chamadas nas suas redes. A descida é, em média, mais de 80% para 0,1091 cêntimos. A Anacom garante que esta decisão abre “caminho a uma descida de preços para os consumidores”, já que apesar da Anacom não regular preços ao consumidor, os operadores têm uma descida nos seus custos que podem fazer repercutir aos clientes. 

 

A Anacom estima mesmo que o corte nas tarifas de terminação no fixo represente “uma poupança para os consumidores que ronda 11 milhões de euros, no período de um ano (nas chamadas nacionais fixo-fixo e móvel-fixo)”.

 

Os operadores cobram tarifas entre si pelas chamadas terminadas na sua rede. O operador onde a chamada tem origem cobra ao cliente e depois tem que pagar uma tarifa ao operador para o qual o cliente ligou. A descida destas tarifas tende a beneficiar os operadores com quota de mercado mais baixa, pois terminam menos chamadas.

 

É esta tarifa, das chamadas entre fixo e móvel para a rede fixa, que vai descer de forma acentuada. “Este preço é já um valor muito baixo, aproximando-se das melhores práticas europeias”, refere a Anacom, explicando que com esta decisão está a adoptar “a recomendação da Comissão Europeia sobre Terminações que visa reduzir as terminações fixas dos países membros”.

 

Esta decisão da Anacom foi tomada a 1 de Março e está agora em consulta pública, até 7 de Maio.

 

A Anacom, em comunicado, acrescenta esperar que “os restantes estados membros da União Europeia apliquem a recomendação da Comissão até ao final do ano, reduzindo-se assim o impacto negativo que a descida das terminações fixas possa ter na balança comercial”.

 

 

Para visitar a fonte da informação clique aqui