Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Planeta Cultural

Acima de tudo, cultura geral

Planeta Cultural

Acima de tudo, cultura geral

Salgado: Fusão da Zon com a Optimus “vai espicaçar a PT”

05.02.13, Planeta Cultural

O presidente do BES, que detém participações na Zon e na Portugal Telecom, apoia a fusão da empresa liderada por Rodrigo Costa com a Optimus e diz que a operação vai fazer a Portugal Telecom “reagir”.

A fusão da Zon com a Optimus “é uma operação com interesse. Estamos na administração da Zon e apoiamos a decisão de fusão”, afirmou Ricardo Salgado durante a conferência de imprensa de apresentação dos resultados do banco de 2012.


“A PT vai passar a ter um concorrente mais poderoso em Portugal. Vai espicaçar a PT que vai reagir” afirmou Salgado.

O BES detém directamente 8,69% do capital da Zon e 10% da PT.

 

 

Para visitar a fonte da informação clique aqui

BES entre os interessados em comprar o espanhol Banco Gallego

05.02.13, Planeta Cultural

O BES é uma das instituições que está interessada na compra do banco que se encontra sob intervenção do fundo público espanhol de reestruturação bancária, segundo avança o “Diário Económico”.

O Banco Espírito Santo (BES) quer comprar o Banco Gallego, actualmente controlado pelo NovaGalícia e que está sob intervenção do fundo espanhol de reestruturação bancária (FROB). A notícia é avançada pelo “Diário Económico” que cita fontes em Espanha que não identifica.

O banco liderado por Ricardo Salgado está entre várias instituições que já confirmaram o seu interesse, segundo a edição on-line do jornal “La Voz de Galicia”. O Banco Sabadell, o La Caixa e o Kutxabank são os que já demonstraram interesse mas a publicação não descarta outros candidatos, segundo fonte ligada ao sector financeiro.  

A publicação refere que apurou que a operação, ainda, “numa fase muito inicial”. Ainda assim, isso não deverá ser impedimento a que se realize a operação num futuro próximo, a julgar pelas palavras do líder do FROB, Antonio Carrascosa, que assegurou que a venda está concluída até ao final de Abril.

O Banco Gallego é detido em 49,85% pelo NovaGalícia que, por sua vez, é detido em 100% pelo FROB. A intenção dos responsáveis espanhóis é vender o banco que detém 183 sucursais por toda a Espanha no curto prazo, para libertar capital.

 

 

Para visitar a fonte da informação clique aqui

Acções da Petrobras recuam para mínimos de 2005 após corte de dividendos

05.02.13, Planeta Cultural

As acções da Petrobras atingiram esta terça-feira o nível mais baixo desde 2005 depois de ter anunciado que irá pagar menos dividendos.

 

As acções com direito a voto da Petrobras, sediada no Rio de Janeiro, caíram, esta terça-feira 6% para 17,01 reais, cerca de 6,28 euros, atingindo o mínimo desde Novembro de 2005. Quanto às acções preferenciais, as mais transaccionadas, chegaram a depreciar um máximo de 4,11% para 17,26 reais, o valor mais baixo desde Novembro de 2008, segundo noticia a Bloomberg.

A Petrobras foi a empresa produtora de petróleo com o pior desempenho de 2012, e irá pagar aos accionistas com direitos de voto cerca de 3,5 mil milhões de reais, ou 47 cêntimos por acção,  e 5,6 mil milhões de reais, ou 96 cêntimos, aos restantes investidores.

Os lucros antes dos juros, impostos, depreciações e amortizações caíram 17% no último trimestre do ano para 11,9 mil milhões de reais, abaixo dos 14,6 mil milhões previstos pelos analistas consultados pela Bloomberg.

“A produção não parece mostrar melhorias consistentes nos tempos mais próximos”, afirmou o analista Diego Mendes, numa nota de análise citada pela agência de informação americana. Este ano será o primeiro em mais de uma década que a Petrobras vai pagar dividendos mais baixos aos accionistas votantes que aos investidores não votantes.

Contudo, e apesar da queda dos resultados operacionais, os lucros superaram o que era expectável fruto de benefícios fiscais e da venda de títulos do tesouro no valor de 2,1 mil milhões de reais. Os lucros foram de 7,7 mil milhões de reais, ou 59 cêntimos por acção, em comparação com os 5,05 mil milhões de reais, ou 39 cêntimos por acção do ano anterior.

 

 

Para visitar a fonte da informação clique aqui