Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Planeta Cultural

Acima de tudo, cultura geral

Planeta Cultural

Acima de tudo, cultura geral

Flamengo divulga nesta quarta-feira quais jogadores devem se reapresentar à pré-temporada

01.01.13, Planeta Cultural

O Flamengo anuncia nesta quarta-feira quais jogadores irão se apresentar na quinta-feira de manhã, no CT do Ninho do Urubu, para a realização da pré-temporada. O técnico Dorival Júnior já fez a lista dos atletas com os quais ele conta para o início do período de treinamentos.

 

Em meio à expectativa do anúncio, seis atletas já têm a certeza de que não integram essa lista feita pelo treinador rubro-negro: o goleiro Marcelo Carné, o zagueiro Arthur Sanches, o lateral-esquerdo Magal e os volantes Maldonado e Rômulo, além do meia Bottinelli.

 

Outra ausência confirmada é a de Wellington Silva. O lateral-direito preferiu jogar a temporada de 2013 pelo Fluminense ao continuar no clube da Gávea.

 

As incertezas na lista ficam por conta de Leonardo Moura e Amaral. Com os contratos encerrados no último dia de 2012, o camisa 2 e o volante ainda negociam a permanência no Rubro-Negro.

 

Um dos principais jogadores da equipe, porém, está garantido na reapresentação: Vagner Love se reapresentará com o restante do elenco. Embora os treinamentos sejam realizados no próprio CT, os jogadores e a comissão técnica ficarão hospedados em um hotel na Barra da Tijuca, na Zona Oeste do Rio de Janeiro.

 

 


Se assim o desejar, visite aqui a fonte da informação

Estado assume dívida de 10 milhões de Vítor Baía

01.01.13, Planeta Cultural

O Estado assumiu, através da empresa pública Parvalorem, a dívida de quase 10 milhões de euros de duas empresas de Vítor Baía ao BPN. A dívida resulta da concessão de créditos pelo banco, quando era liderado por José Oliveira e Costa, às sociedades Sunderel - Gestão Imobiliária, e Cleal - Investimentos Imobiliários, que foi gerida por António Manuel Esteves, o ex-sócio a quem Vítor Baía acusou de burla.

 

As dívidas da Sunderel e da Cleal ao BPN foram transferidas para a Parvalorem, sociedade criada para acolher os activos tóxicos do BPN no âmbito da privatização do banco, que foi nacionalizado no início de Novembro de 2008. Como a Parvalorem comprou esses créditos ao BPN, cabe agora a essa empresa pública recuperar o dinheiro.

 

Para já, segundo apurou o CM, a dívida da Sunderel rondará, incluindo juros de mora, quatro milhões de euros. Já a dívida da Cleal, incluindo também juros de mora, ascenderá a cerca de seis milhões de euros. Os empréstimos do BPN a estas empresas tiveram como objectivo financiar projectos ligados ao sector imobiliário.

 

Mesmo com a dívida total da Sunderel e da Cleal a rondar os 10 milhões de euros, "os créditos das empresas de Vítor Baía não são os piores, porque têm garantias reais", garante fonte conhecedora do processo. E tanto assim é que, segundo assegura a mesma fonte, "as garantias reais dão quase para pagar as dívidas [da Sunderel e da Cleal]".

 

A transferência da dívida destas firmas para a Parvalorem não é um caso único: desde o final de 2011, essa sociedade pública já comprou ao BIC créditos malparados no valor total de quase 4,2 mil milhões de euros.

 

O CM tentou falar, por telemóvel, com Vítor Baía, mas sem sucesso. Foram enviados SMS com o assunto em causa, mas o ex-guarda-redes não respondeu. Vítor Baía realizou, nos últimos anos, investimentos imobiliários: um deles foi o Hotel Évora Machede, no Alentejo.

 

 

In' Vidas