Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Planeta Cultural

Acima de tudo, cultura geral

Planeta Cultural

Acima de tudo, cultura geral

Meio ano de problemas para Villas-Boas, após época de glória

26.12.11, Planeta Cultural

O jovem treinador André Villas-Boas viveu uma primeira meia época difícil no comando do Chelsea, depois da gloriosa caminhada no FC Porto.

Apresentado a 29 de Junho, como substituto do italiano Carlo Ancelotti, o português praticamente já disse adeus ao título inglês, mas ainda segue na Liga dos Campeões, sendo que, pelo meio, tem, a pulso, renovado uma equipa envelhecida.

Mais de quatro anos após o adeus de José Mourinho, o Chelsea ainda tem hoje a mesma base, sendo que jogadores como Lampard, Terry, Drogba, Ashley Cole, Malouda, Anelka, Essien ou Paulo Ferreira já não estão, propriamente, no auge.

Restaurantes com ementas em Braille a partir do dia 4 de Janeiro

26.12.11, Planeta Cultural

Cerca de 30 restaurantes especializados em peixe fresco e marisco de Matosinhos disponibilizam a partir do dia 4 de Janeiro as suas cartas em Braille.

 

Este projecto-piloto da responsabilidade da Associação de Restaurantes de Matosinhos (ARM) foi realizado com o apoio da Associação dos Cegos e Amblíopes de Portugal (ACAPO) e será lançado no dia em que se comemora o Dia Mundial de Braille.

 

Em declarações à Lusa, o presidente da ARM, Rui Sousa Dias, afirmou que este projecto nasceu do desejo de "elevar o nível dos restaurantes associados, melhorando o atendimento que é prestado a clientes" com deficiência visual.

 

"Para nós, esta iniciativa inovadora faz todo o sentido e se ajudar a que outros restaurantes sigam o exemplo, melhor", referiu o responsável.

 

Em Matosinhos, precisou, "são 28 os restaurantes que disponibilizarão as suas cartas em Braille" durante o jantar do dia 4 de Janeiro.

 

O Dia Mundial do Braille pretende chamar a atenção para os problemas dos cidadãos com deficiências visuais.

 

Dois restaurantes em Perafita, três em Leça da Palmeira e os restantes 23 em Matosinhos dinamizarão a iniciativa.

 

 

Se assim o desejar, visite a fonte da informação clicando aqui

Governo nega tentativa de golpe de Estado na Guiné-Bissau

26.12.11, Planeta Cultural

O Governo guineense negou que tenha havido uma tentativa de golpe de Estado, mas confirmou um assalto ao paiol do Exército, e anunciou uma comissão de inquérito para analisar os conflitos militares ocorridos esta segunda-feira no país.

Questionado pelos jornalistas sobre uma alegada tentativa de golpe de Estado hoje na Guiné-Bissau, o ministro da Educação, Artur Silva, falando em nome do Governo, respondeu de modo lacónico: "não".

Horas antes, o Chefe do Estado-Maior General das Forças Armadas guineenses, António Indjai, disse que "um grupo de militares quis alterar a ordem constitucional" no país, mas que a situação foi rapidamente controlada.

"Não aconteceu nada demais. Apenas posso dizer que há um grupo que quis alterar a ordem constitucional, mas o Estado-Maior General das Forças Armadas neutralizou-o e a situação está neste momento sob controlo", disse o general Indjai.

Ministério da Segurança Social nega congelamento de pensões abaixo dos 247 euros

26.12.11, Planeta Cultural

Governo diz ainda que a actualização das pensões mínimas, sociais e rurais está garantida.

 

O Governo nega que as pensões abaixo dos 247 euros se arrisquem a ficar congeladas. Em comunicado enviado às redacções, o Ministério da Segurança Social desmente a manchete de hoje do “Diário de Notícias” sobre a aplicação de novas fórmulas de cálculo sobre pensões e similares.

O Ministério de Pedro Mota Soares garante que não é verdade o que foi noticiado. Diz ainda que a actualização das pensões mínimas, sociais e rurais está garantida e que as regras para os cortes nos subsídios de Natal e férias não se aplicam à actualização das pensões mínimas.

O "Diário de Notícias" dá conta, por exemplo, que alguém que acumule uma pensão de sobrevivência com outra prestação social abaixo dos 247 euros arrisca-se a ficar com ambas as pensões congeladas. O Governo garante que não vai ser assim.

 

Se assim o desejar, visite aqui   a fonte da informação

Empresas dos Estados Unidos aproveitam oportunidades com as desgraças da Europa

26.12.11, Planeta Cultural

Ao mesmo tempo que a Europa luta para sair da crise da dívida, as empresas financeiras norte-americanas aproveitam as dificuldades do Velho Continente para retirarem vantagens e realizarem negócios proveitosos.

 

As empresas dos Estados Unidos têm aproveitado para comprar activos detidos por bancos europeus, de acordo com o "New York Times".

As vendas de activos dos bancos europeus têm sido estimuladas pela luta das instituições para aumentarem o seu capital e diminuírem os passivos dos seus balanços.

As instituições financeiras europeias irão libertar mais de 3 biliões de dólares (2,3 biliões de euros) em activos nos próximos 18 meses, de acordo com uma estimativa de um analista do Morgan Stanley, citado pelo “New York Times”.

Este mês, uma equipa de três banqueiros do escritório de Londres da Kohlberg Kravis Roberts dirigiu-se à Grécia para analisar uma empresa privada promissora, que porém não consegue obter financiamento dos bancos gregos para garantir o seu crescimento no futuro.

Também o Blackstone Group acordou comprar 300 milhões de dólares de empréstimos imobiliários do banco alemão Commerzbank que estão endossados a propriedades como o Mondrian South Beach Hotel na Florida, e quatro hotéis Sofitel em Chicago, Miami, Minneapolis e São Francisco.

O alemão Commerzbank está sob pressão dos reguladores para aumentar 5,3 mil milhões de euros em novo capital até meados de 2012, segundo o “New York Times”.

Também a Google viu uma oportunidade. A empresa comprou o edifício Montevetro em Dublin este ano à Agência Nacional de Gestão de Activos da Irlanda, a qual adquiriu o edifício após um enorme resgate bancário pelo Governo irlandês.

“Existe claramente uma reestruturação e redução de instituições financeiras europeias”, disse Timothy Sloan, director financeiro da Wells Fargo, banco que no mês passado adquiriu 3,3 mil milhões de dólares em empréstimos imobiliários de um banco na Irlanda. “E muitos dos activos que essas instituições estão a dispersar, estão nos Estados Unidos”, acrescentou.

 

 

Se assim o desejar, visite a fonte da informação clicando aqui