Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Planeta Cultural

Acima de tudo, cultura geral

Planeta Cultural

Acima de tudo, cultura geral

Ambientalistas e ecologistas propõem soluções para os problemas ambientais

08.04.11, Planeta Cultural
Os ambientalistas e ecologistas de várias associações vão remeter ao Governo Provincial de Luanda contribuições para a mitigação dos principais problemas ambientais mais visíveis ligados ao saneamento básico, assentamento populacional, energia eléctrica e distribuição de água.
 
Com base nos pontos apresentados e discutidos hoje, sexta-feira, no conselho de auscultação social, orientado pelo governador provincial de Luanda, José Maria Ferraz dos Santos, os ambientalistas e ecologistas vão fazer também constar propostas ligadas à segurança e tranquilidade pública e tráfego rodoviário (estradas secundarias e terciárias).
 
 De acordo com a nota da Rede Maiombe entregue à Angop, a requalificação e melhoria das zonas verdes, como a do bairro Alvalade, recuperação da floresta urbana da ilha de Luanda e reposição da cobertura vegetal nas zonas de oxigenação localizada ao longo do rio Kambamba (Luanda) são, entre outras, propostas que os mbientalistas pretendem remeter ao governo provincial.
 
Propostas para os sistemas de venda ambulantes, prestação de serviços básicos às populações e o melhoramento dos serviços primários de saúde são, entre outros, aspectos a serem revistos.
 
À margem do encontro de auscultação social, os ambientalistas e ecologistas, representantes de diversas associações, defenderam a necessidade de uma parceria mais sólida entre o Governo Provincial de Luanda e as associações de defesa do ambiente, como forma de garantir e praticar as acções de ducação e consciencialização ambiental nas comunidades, em Luanda.
 
A apreciação do programa de gestão dos solos urbanos de Luanda e perspectivas de requalificação do casco urbano da cidade será também uma das questões a ser abordada pelos membros do conselho.
 
Durante o conselho foram abordadas questões sobre a expansão da rede escolar obrigatória e dos serviços de saúde pública a nível das comunidades, a situação dos mercados e venda ambulante e o abastecimento de serviços básicos à população.
 
O conselho de auscultação e concertação Social teve como objectivo ponderar as medidas de política económica e social a serem tomadas pelo governo da província e promover o diálogo e a concertação entre o mesmo e parceiros sociais.
 
Participaram no encontro cerca de 50 pessoas, entre vice-governadores, directores provinciais, administradores municipais, membros de associações socioprofissionais, de partidos políticos, da classe empresarial, entidades religiosas e tradicionais.
 
 

Visite a fonte da informação clicando aqui

Bruxelas quer que Portugal faça um "ajustamento orçamental ambicioso"

08.04.11, Planeta Cultural

Reformas laborais e medidas que salvaguardem a estabilidade financeira estão entre as condições para que Portugal receba ajuda externa. "Os ministros do Eurogrupo e do Ecofin, a Comissão e o BCE estão à espera de um ajuste orçamental ambicioso."

 

Os ministros das Finanças da União Europeia apelam “aos partidos que entrem em acordo” em Portugal de forma célere e que permita implementar medidas de consolidação orçamental. Os responsáveis europeus dizem que o programa de ajuda a Portugal terá de assentar “em três pilares”:

1 - “Um ajuste orçamental ambicioso para restaurar a sustentabilidade orçamental”;

2 - “Crescimento e aumento da competitividade reforçando as reformas ao retirar a rigidez dos mercados de trabalho e de produto [bens e serviços] e ao encorajar o empreendedorismo e a inovação, permitindo um crescimento sustentável e equilibrado e resolver os desequilíbrios macroeconómicos internos e externos, enquanto salvaguarda a posição económica e social do cidadãos. Isto pode incluir um programa de privatizações ambicioso”;

3 - “Medidas para manter a liquidez e solvência do sector financeiro”.

O comunicado emitido após o encontro dos ministros adianta ainda que “o conjunto de medidas anunciado pelas autoridades portuguesas a 11 de Março é um ponto inicial” para as negociações que vão decorrer entre as autoridades portuguesas e as instituições internacionais.

“Apelamos a todos os partidos políticos em Portugal para rapidamente concluir um acordo sobre o programa de ajuste e formar um novo Governo depois das eleições com capacidade para adoptar e implementar completamente o acordo de consolidação orçamental e as medidas de reforma estrutural”, acrescenta o comunicado.

“Os ministros do Eurogrupo e do ECOFIN, a Comissão e o BCE estão à espera de um ajuste orçamental ambicioso, de reformas estruturais e medidas que salvaguardem a estabilidade financeira, que resolvam os desafios orçamentais e estruturais da economia portuguesa de uma forma decisiva.” Se isto acontecer, “vai ajudar a restaurar a confiança e garantirá a estabilidade da Zona Euro”.

 

 

Visite a fonte da informação clicando aqui