Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Planeta Cultural

Acima de tudo, cultura geral

Planeta Cultural

Acima de tudo, cultura geral

Identificado malware que bloqueia antivírus baseados em cloud

02.03.11, Planeta Cultural

 

Foi identificado um novo tipo de vírus Trojan que consegue bloquear as actividades de antivírus baseados em cloud computing

 

O alerta para o surgimento do Trojan Bohu foi divulgado pela Kaspersky Lab, que afirma ter identificado o malware no início deste ano.

A fabricante considera que o facto de este programa malicioso bloquear antivírus baseados em computação na nuvem é «algo de novo».


Segundo Eugene Kaspersky, o CEO da empresa, o Bohu está a ser espalhado através de fraudes de engenharia social, sendo um dos principais focos a China.

 

A principal característica do malware é o bloqueio do acesso aos servidores das empresas de segurança onde estão alojadas as actualizações das assinaturas de vírus, o que faz com que os antivírus não consigam detectar e eliminar o programa malicioso.

 

Para ajudar os utilizadores a saberem se o seu PC está ou não infectado com o Bohu a Kaspersky disponibilizou um site de ajuda.

 

Faça uma visita à fonte da informação clicando aqui

IFFHS: FC Porto ocupa 9º lugar no “ranking” das melhores equipas do mundo

02.03.11, Planeta Cultural

De acordo com o “ranking” das melhores equipas no último ano, divulgado pela Federação Internacional de História e Estatística do futebol (IFFHS), os “dragões” são a melhor formação portuguesa, ocupando o nono lugar, logo a seguir ao Liverpool. O Inter, de Itália, lidera a tabela.

Já o Benfica, subiu 12 lugares, aparecendo na 36ª posição, isto depois da bom campanha da temporada passada e que culminou com o titulo de campeão nacional.

Por seu lado, o Sporting mantém o 50º posto, figurando-se com a terceira melhor equipa portuguesa.

Classificação:

1. (1.) Inter (ITA), 304,0
2. (2.) Barcelona (ESP), 301,0
3. (4.) Real Madrid (ESP), 261,0
4. (3.) Bayern (ALE), 260,0
5. (6.) Internacional (BRA), 238,0
6. (9.) Manchester United (ING), 233,0
7. (6.) Estudiantes (ARG), 229,0
8. (5.) Liverpool (ING), 228,0
9. (8.) FC Porto (POR) 219,5
10. (11.) Chelsea (ING), 218
...
36. (48) Benfica (POR), 173
50. (50) Sporting (POR), 160,5
66. (69) SC Braga (POR), 147
181. (175) Marítimo (POR), 91,5
365. (345) Vitória de Guimarães (POR), 62,5

 

 

Para visitar a fonte da informação, click aqui

Novo iPad em Portugal a partir de 25 de Março

02.03.11, Planeta Cultural

 

Depois de muitos rumores acaba de ser apresentado o novo iPad. A única surpresa acabou mesmo por ser a presença de Steve Jobs, que subiu ao palco para mostrar ao mundo o iPad 2. A 25 de Março deverá estar à venda em Portugal

 

A grande surpresa da cerimónia foi a entrada em palco de Steve Jobs, que esteve de baixa recentemente, e foi recebido com uma enorme ovação.

O patrão da Apple justificou a presença na cerimónia ao afirmar que «estivemos a trabalhar neste produto durante algum tempo e não queria perdê-lo».


Com lançamento previsto para o próximo dia 11 de Março, inicialmente apenas nos EUA, o novo tablet da Apple tem como principais características um processador dual-core A5, que apresenta o dobro da rapidez face à versão anterior, câmara frontal e na parte traseira e o facto de ser mais fino e mais leve do que o seu antecessor.

 

A nível de software, o novo iPad surge com o sistema operativo iOS 4.3 que integra uma funcionalidade através da qual os utilizadores podem aceder aos conteúdos do iTunes que têm no PC directamente no tablet, e com o FaceTime, a aplicação de videoconferência já disponível para o iPhone e que passa a estar também presente no iPad.

 

O iPad 2, que vai surgir em branco e em preto, vai ser comercializado a partir de 499 dólares, o mesmo preço da actual versão, e o modelo mais caro custará 829 dólares.

 

Depois do lançamento nos EUA o novo iPad vai ser lançado em mais 26 países no próximo dia 25 de Março, lote que já inclui Portugal.

 

 

Para visitar a fonte da informação, click aqui

Genéricos devem baixar de preço quatro vezes este ano

02.03.11, Planeta Cultural

Os medicamentos deverão baixar de preço quatro vezes durante este ano em Portugal, segundo estimou hoje a associação dos genéricos.

O presidente da Associação de Medicamentos Genéricos (Apogen), Paulo Lilaia, disse hoje na comissão parlamentar de saúde que se estima que o preço dos genéricos caia em maio, julho e outubro.

Em abril, como já anunciou o Governo, os medicamentos vão descer devido à revisão anual dos preços, tendo por base os quatro países de referência para Portugal: Espanha, Grécia, França e Itália.

No mês seguinte, é feita a revisão do preço dos genéricos, que devem ter depois revisões de preços em julho e outubro. De acordo com Paulo Lilaia, não sendo permitido que estas revisões impliquem um aumento do preço, os genéricos deverão baixar nestes três períodos.

Segundo o presidente da Apogen, entre junho de 2010 e janeiro deste ano, o preço dos genéricos desceu em média 25 por cento.

Tomando como exemplo estas alterações previstas, o presidente da Apogen disse ainda que o processo de mudança de preço nas embalagens dos remédios é “caótico”.

 

“Não temos nada contra o preço nas embalagens. Mas se for reposto, tem de haver um prazo suficiente para que [os antigos] sejam escoados”, sugeriu.

A Apogen estimou ainda que a prescrição por substância ativa possa aumentar os custos com medicamentos e alertou para a confusão a que poderá levar os doentes, ao permitir uma troca sistemática de remédios.

“Sem a adesão dos médicos, a prescrição por DCI (denominação comum internacional) não resolve absolutamente nada. A DCI pode até levar a que os custos com medicamentos aumentem”, afirmou Paulo Lilaia aos deputados da comissão parlamentar de saúde.

Segundo o responsável, para proteger os doentes, a classe médica já admitiu “deslocar a prescrição” para medicamentos com patente, que não podem ser trocados, que têm um preço mais elevado.

 

A Apogen receia que a prescrição por substância ativa, permitindo a compra do medicamento mais barato, possa levar a que os doentes aviem na farmácia medicamentos com caixas e cores diferentes, o que pode aumentar a confusão, sobretudo no caso dos mais idosos.

Baseando-se em indicações da Ordem dos Médicos de que os clínicos não adeririam à prescrição por DCI, Paulo Lilaia diz estar convencido que a quota dos genéricos baixaria com esta medida.

Aos deputados, o presidente da Apogen transmitiu ainda a sua preocupação quanto ao impacto da prescrição por substância ativa na indústria farmacêutica: “levaria à destruição da indústria de base nacional. A indústria farmacêutica portuguesa seria aniquilada”.

Também a Associação dos Farmacêuticos Hospitalares foi hoje ouvida na comissão parlamentar de saúde, tendo defendido que a prescrição por DCI deve avançar, nem que seja numa primeira fase como experiência piloto numa região.

 

Assumindo que defende a prescrição por substância ativa, esta associação alertou, no entanto, que é necessário criar uma base de medicamentos parametrizada que seja útil para apoiar os médicos, sobretudo na área dos cuidados de saúde primários.

 

 

Faça uma visita à fonte da informação clicando aqui

Papa iliba judeus da morte de Jesus em novo livro

02.03.11, Planeta Cultural

O papa Bento XVI iliba totalmente o povo judeu da morte de Jesus Cristo, um dos assuntos mais controversos do cristianismo, num novo livro de que foram hoje publicados os primeiros excertos.

No livro, intitulado "Jesus de Nazaré", Bento XVI recorre a uma análise bíblica e teológica para explicar por que não é verdade que o povo judeu no seu conjunto seja responsável pela morte de Jesus.

Embora o Vaticano sustente há cinco décadas que os judeus não foram colectivamente responsáveis, académicos judeus ouvidos pela agência noticiosa norte-americana AP consideraram que o argumento agora exposto pelo papa é significativo e vai contribuir para combater o antissemitismo.

"Há uma tendência humana natural para aceitar as coisas como verdadeiras e muitas vezes isto leva a erros de percepção" quanto aos riscos de antissemitismo, considerou o rabi David Rosen, responsável para os assuntos inter-religiosos do comité judaico americano que há vários anos lidera o diálogo entre as duas religiões.

 

Segundo Rosen, o Vaticano divulgou em 1965 a sua nota mais autorizada sobre o assunto, "Nostra Aetate", nota que revolucionou as relações da Igreja Católica com o judaísmo ao afirmar que a morte de Cristo não pode ser atribuída ao povo judeu nem na altura nem actualmente.

Para o rabi, as palavras de Bento XVI podem representar um marco mais importante e duradouro na medida em que os crentes tendem a ler mais as escrituras e artigos ou livros do que os documentos da Igreja, especialmente os mais antigos.

Este é o segundo volume de "Jesus de Nazaré" de Bento XVI lançado em 2007, o primeiro livro que lançou como papa, sobre os primeiros anos da vida e dos ensinamentos de Jesus Cristo. Este segundo volume, com lançamento previsto para 10 de Março, é sobre a segunda parte da vida de Cristo.

 

 

Faça uma visita à fonte da informação clicando aqui