Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Planeta Cultural

Acima de tudo, cultura geral

Planeta Cultural

Acima de tudo, cultura geral

Cantor Willie Nelson é preso por posse de maconha aos 77 anos

27.11.10, Planeta Cultural

O cantor e compositor country norte-americano Willie Nelson, 77, foi preso na sexta-feira (26) por posse de maconha, de acordo com o site TMZ.

 

 

A quantidade da droga encontrada com o cantor foi de cerca de 170 gramas.

 

A prisão ocorreu em um posto de patrulhamento de fronteira na região de Sierra Blanca, no Estado do Texas.

 

O cantor estava indo da Califórnia para o Texas no ônibus que costuma usar em suas turnês.

 

Ele pagou uma fiança de US$ 2.500 (cerca de R$ 4.319) e foi liberado.

 

Esta não é a primeira vez que o cantor tem problemas com a polícia por causa de drogas.

 

Em 2006, ele foi detido com 0,7 quilo de maconha e 91 gramas de cogumelos alucinógenos.

 

 

Visite a fonte da informação clicando aqui


Adriane Galisteu entra com o filho no colo para cerimônia de casamento

27.11.10, Planeta Cultural

 

Toda de branco e carregando o filho, Vittorio, de quatro meses, em um sling feito de musseline de seda no mesmo tom de seu vestido, Adriane Galisteu trocou alianças com o empresário Alexandre Iódice, durante festa realizada no Spa Sete Voltas, em Itatiba, São Paulo, no começo da tarde deste sábado (27).

 

O casal, que já havia oficializado a união no civil no mês de junho, aproveitou para batizar o bebê de quatro meses. Momentos depois da cerimônia de casamento, comandada pelo Padre Monsenhor Paulo e que durou cerca de quinze minutos, a apresentadora colocou sal na boca do filho, que foi segurado pelo pai. Sorridente, ela agradeceu aos elogios dos convidados, que vestiram roupas brancas para a cerimônia ao ar livre, em uma capela no meio de um bambuzal.

 

Leia mais e veja mais fotos aqui

Preço do pão vai aumentar a partir de Janeiro

27.11.10, Planeta Cultural

Devido ao aumento do preço da farinha e dos combustíveis, o aumento do preço do pão vai mesmo acontecer a partir de Janeiro e será no mínino de 12 por cento, alertam os industriais do sector.

 

Um novo aumento é inevitável, é a convicção do presidente dos Industriais da Panificação, Pastelaria e Similares do Norte, António Fontes, que disse na TSF acreditar que em Janeiro o preço do pão vai voltar a subir no mínimo 12 por cento.

«Diria que é inevitável. Falarmos em 12 por cento é um cêntimo em média em cada pão e não é possível aumentarmos menos do que isso. Não consigo sustentar a minha empresa se não fizer reflexos no preço do produto transformado», justificou António Fontes.

Carlos Santos da Associação do Comércio e da Indústria de Panificação, Pastelaria e Similares também está convencido de que para salvar o sector é preciso aumentar os preços, mas isso nem sempre é possível por causa da concorrência dos hipermercados.

«O sector corre sérios riscos do pão tipicamente português começar a desaparecer aos poucos nos próximos cinco anos. E as grandes superfícies utilizam preços especulativos para chamar clientes e isso impede que as padarias actualizem preços numa ordem de concorrência, o que vai provocar falências», alertou Carlos Santos.

Pelo que dizem as duas associações o caminho da falência já foi percorrido por várias indústrias da panificação e outras estão com sérias dificuldades e já recorreram ao crédito para pagar aos funcionários.

 

 

Visite a fonte da informação clicando aqui

Exército sem dinheiro para comida

27.11.10, Planeta Cultural

 

O Ministro da Defesa, Augusto Santos Silva, decidiu congelar todas as despesas de bens e serviços dos três ramos das Forças Armadas para o mês de Dezembro. O despacho, do passado dia 18, apanhou de surpresa as várias unidades militares e os responsáveis financeiros nos ramos.

 

Isto porque, na prática, ficaram a saber dos cortes através do Sistema Integrado de Gestão. Algumas rubricas estavam a zero e outras «apenas com alguns euros que nem chegam para pagar a conta da luz e da água em Dezembro», como explicou ao SOL fonte militar.

 

Em causa, estão todas as despesas correntes para a manutenção dos quartéis, desde papel a combustíveis. Cada vez que é preciso comprar algum destes bens, os ramos fazem um pedido de libertação de crédito. Mas a torneira aparentemente fechou.

 

Orçamento esgotado


Na origem da decisão radical de Santos Silva está a contenção para 2010 e a suborçamentação dos ramos, ou seja, nesta altura do ano o orçamento já foi esgotado e isso está a pôr em causa o próprio pagamento de salários. O que acontece quase todos os anos é os ramos gastarem a verba total e depois, à última hora, pedirem mais dinheiro para pagar os salários de Dezembro porque sabem que, na prática, o Governo acaba sempre por garantir o pagamento dos ordenados. Desta vez, contudo, o ministro não parece estar pelos ajustes.

 

De facto, o Ministério da Defesa está em negociações com o Ministério das Finanças para garantir um reforço das verbas e pagar os salários de Dezembro (os ordenados de Novembro e o subsídio de Natal já foram processados sem problemas). Mas não o está a fazer sem custos para os ramos, e daí a decisão inédita de cortar as despesas correntes, como forma de aviso aos ramos para que não se repita a suborçamentação deste ano.

 

«Isto é absolutamente incrível», comentou ao SOL o presidente da Associação Nacional de Sargentos (ANS), António Lima Coelho.

 


Faça uma visita à fonte da informação clicando aqui