Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Planeta Cultural

Acima de tudo, cultura geral

Planeta Cultural

Acima de tudo, cultura geral

Vulcão no Equador registra explosões e atividade intensa

07.06.10, Planeta Cultural

 

O vulcão equatoriano Tungurahua registrou nesta segunda-feira uma forte explosão, lançando cinzas, gases e rochas em seu processo eruptivo, que se mantém desde 1999, o que traz a possibilidade de elevar o alerta de perigo nas zonas de risco, informaram as autoridades.

 

"Houve uma explosão seca, foram ouvidos sons muito fortes. Felizmente, depois da explosão não foram ouvidos os sons associados a quando sai material (incandescente) do vulcão", disse Gorki Ruiz, do Instituto Geofísico (IG).

 

Ruiz acrescentou que no interior do vulcão, localizado a 135 km ao sul de Quito, está se formando uma lagoa de lava, e as previsões são de que o material pode cair para o noroeste, onde há várias aldeias.

 

O Centro de Operações de Emergência (COE) da província de Chimborazo se reunirá "com o objetivo de analisar a mudança de alerta para os setores de alto risco de amarelo para laranja, ante o aumento do procesos eruptivo", afirmou, por sua vez, a Secretaria Nacional de Riscos (SNR).

Em Chimborazo, as zonas de alto risco são Chonglontus, Anaba, El Manzano, Puela e Pungal, áreas onde o COE também analisa realizar "uma simulação de evacuação da população", explicou o SNR.

 

Há dez dias uma forte erupção do vulcão, de mais de 5 mil metros de altura, promoveu a evacuação imediata de cerca de 2.500 pessoas, de acordo com as autoridades, além do fechamento temporário do aeroporto internacional de Guayaquil (sudoeste) e a suspensão de voos como o Quito-Lima.

 

O processo eruptivo, que em 2006 deixou seis mortos, mantém em alerta várias populações das províncias de Tungurahua e Chimborazo, como a turística Baños, assentada ao pé do vulcão e com 15 mil habitantes.

 

 

Faça uma visita à fonte da informação clicando aqui

Estudo redefine data de choque de planetas que formou a Terra

07.06.10, Planeta Cultural

Um estudo do Instituto Niels Bohr, da Universidade de Copenhague, na Dinamarca, e do Instituto de Tecnologia da Califórnia, nos Estados Unidos, indica que a criação da Terra e da Lua ocorreu mais cedo do que se pensava. Teorias indicavam que os dois corpos surgiram há 4,537 bilhões de anos, cerca de 30 milhões de anos após a formação do sistema solar. Contudo, os pesquisadores afirmam que a formação ocorreu pelo menos 130 milhões de anos depois do que se imaginava.

 

A pesquisa, que foi publicada no jornal científico Earth and Planetary Science Letters, diz que a colisão entre dois planetas - uma espécie de "Prototerra" e Theia - levou à criação da Lua e da Terra. Os dois planetas que colidiram tinham os tamanhos de Vênus e Marte e tinham núcleos massivos de ferro e cobertos por mantos de silicatos (rochas).

 

No momento de sua formação a Terra teria uma temperatura de 7 mil °C, o suficiente para derreter o metal e as rochas e misturá-los. "Nós determinamos as idades da Terra e da Lua usando isótopos de tungstênio, que podem revelar se os núcleos ferrosos e as superfícies rochosas se misturaram durante a colisão", diz Tais W. Dahl, do Instituto Niels Bohr.

 

 

Faça uma visita à fonte da informação clicando aqui

 

Robbie Williams quer adoptar crianças órfãs haitianas

07.06.10, Planeta Cultural

O cantor inglês Robbie Williams afirmou que quer adoptar duas crianças órfãs depois de ter realizado uma viagem de beneficência ao Haiti, que sofreu um terramoto no início do ano.


O antigo membro dos Take That, que actualmente está noivo noivo da modelo e atriz Ayda Field, confessou ao jornal britânico Sunday Mirror que é seu desejo adoptar uma criança «imediatamente» após chegar ao país assolado pela catástrofe natural.

 

 

Visite aqui a fonte da informação

Primeiro casamento homossexual: Adopção e parentalidade são a próxima luta de Teresa e Helena

07.06.10, Planeta Cultural

O primeiro casal homossexual a casar-se em Portugal, Helena Paixão e Teresa Pires, quer agora lutar pela igualdade de direitos na parentalidade, incluindo a questão da adopção por casais do mesmo sexo.

"A próxima luta é por direitos iguais, como a parentalidade, mas não é só a adoção", declarou Teresa Pires aos jornalistas à saída da conservatória de Lisboa onde hoje se casou com Helena.

Também Luís Rodrigues, o advogado que tem lutado com este casal de lésbicas pelo direito ao casamento, sublinhou que a atual lei é inconstitucional ao não permitir a adoção.

"Há um único direito que fica de fora neste momento", frisou aos jornalistas, defendendo que os homossexuais devem ter os mesmos direitos na parentalidade, que inclui também, por exemplo, a procriação medicamente assistida.

Mas o dia de hoje fica marcado na vida de Teresa e Helena e também na história portuguesa, lembra o advogado: "Merecem muito ficar na História de Portugal".

Depois de quatro anos de luta jurídica para casarem, Teresa e Helena, que vivem juntas há oito anos, concretizaram hoje o seu "sonho".

Pelas 9h45 a conservadora da 7ª conservatória de Lisboa declarou, "em nome da lei e da República Portuguesa, que Helena e Teresa estão unidas pelo casamento".

Esta declaração arrancou aplausos às cerca de 30 pessoas presentes, entre elas representantes de associações que lutam pelos direitos dos homossexuais.

As duas filhas, de anteriores relações heterossexuais, também estiverem presentes na cerimónia civil, que durou menos de 30 minutos.

Lembrando que a lei prevê o casamento como um projeto cívico, a conservadora registou ainda que é "decisivo para a realização pessoal".

A partir de agora, Helena Paixão e Teresa Pires, que decidiram adotar os apelidos uma da outra, são cônjuges e herdeiras e "ganharam sogros e cunhados", como lembrou o advogado.

Apesar de terem tido a própria cerimónia rodeada por jornalistas e câmaras de televisão, Helena e Teresa dizem que cumpriram um sonho: "O sonho era casar, não era dar espetáculo".

"Na nossa relação pessoal (o casamento) não traz nada de novo, mas neste momento somos uma família, e isso é fundamental", declarou Teresa aos jornalistas à saída da cerimónia.

O "sonho", garantem, era "um sonho da família", já que contaram sempre com o apoio das filhas nesta "luta".

Vestidas de forma informal e calçadas com ténis, as duas nem trocaram alianças: "Só temos uma (que Helena exibia), a outra perdeu-se".

"Esperamos ter dado força a muitos homossexuais que agora podem casar", dizem.

Teresa Pires, de 33 anos, e Helena Paixão, de 40, apresentaram o pedido de celebração de casamento na 7ª conservatória de Lisboa no passado dia 1 de junho, um pedido autorizado graças à promulgação da lei que prevê o casamento entre pessoas do mesmo sexo a 17 de maio.

A luta começou anos antes, em fevereiro de 2006, quando deram entrada a um primeiro processo de casamento na mesma conservatória, que foi recusado pelo conservador e pelos tribunais.

 

 

Faça uma visita à fonte da informação clicando aqui


Zon recebe maior indemnização de sempre por pirataria

07.06.10, Planeta Cultural

A Zon Multimédia ganhou hoje a maior indemnização num processo-crime em tribunal por pirataria de televisão por satélite, recebendo 20 mil euros, anunciou hoje a empresa.

Um indivíduo de Vila Nova de Gaia foi condenado pelo tribunal a pagar à Zon uma indemnização de 19,7 mil euros, mais juros de mora à taxa legal contados desde Março de 2007.

Numa nota hoje divulgada, a empresa dá conta que o processo teve origem numa investigação da Brigada Fiscal de Vila Nova de Gaia à oficina do arguido, onde foram apreendidos: 63 receptores digitais, 83 box's e vários componentes que permitiam a concretização da pirataria.

Foram ainda confiscados 11 receptores de satélite -- FTA ('Free to Air') modificados e com as chaves para a descodificação ilícita de canais de acesso condicionado.

Este é o terceiro processo que a operadora de serviços de distribuição de televisão ZON TVCabo ganhou este ano e que, segundo a empresa, já permitiu quadruplicar o valor de indemnizações registado durante o ano de 2009.

 

 


Visite a fonte da informação aqui