Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Planeta Cultural

Acima de tudo, cultura geral

Planeta Cultural

Acima de tudo, cultura geral

Lontra vive há meses numa casa de banho

24.05.10, Planeta Cultural
Lontra vive há meses numa casa de banho

O acolhimento difícil de uma lontra é o caso "mais frustrante" entre os 2660 animais recolhidos, em 2009, no centro de recuperação do Parque Biológico de Gaia, pois o animal vive há meses numa casa de banho.

 

A lontra macho chegou em Agosto de 2009 ao Parque Biológico de Gaia pelas mãos de um vigilante da Reserva Natural das Dunas de S. Jacinto, em Aveiro, ainda bebé.

 

A responsável pelo centro de recuperação de animais selvagens, Vanessa Soeiro, contou à Lusa que a lontra está "em perfeitas condições para ser libertada", mas que o Instituto de Conservação da Natureza e Biodiversidade (ICNB) ainda não arranjou um espaço.

 

Quando ali chegou, o centro de recuperação estabeleceu a idade do animal em dois meses e meio e alimentou-a a biberão até voluntariamente começar a comer sólidos.

 

Vanessa Soeiro adiantou que, cerca de um mês depois de feito o desmame, o centro pediu ao ICNB que desse instrução quanto ao destino a dar ao animal, mas até hoje ele continua a viver numa casa de banho.

 

Depois de meses em cativeiro, agora é impossível devolver a lontra à sua vida selvagem e o seu destino permanece indefinido.

 

"A última resposta que recebemos do ICNB referia que realmente era já irrecuperável a sua restituição à natureza e que estavam a ser desenvolvidos esforços para lhe encontrar um local", disse a veterinária.

 

Para a responsável, este é, sem dúvida, o caso "mais frustrante" entre todos os que chegaram ao centro em 2009.

 

"Inesperados são todos [os casos de animais ali acolhidos], mas este foi e é o mais frustrante, porque a lontra macho está em perfeitas condições e encontra-se aqui a viver, numa casa de banho", sustentou.

 

O Parque Biológico de Gaia conta com quatro lontras em cativeiro, mas juntar esta às outras é, para a veterinária, "inviável, porque perturbaria os casais já feitos e estariam todos sujeitos a agressões".

 

Relativamente aos outros animais acolhidos, a responsável lamenta que muitos deles, em especial as tartarugas, cheguem muito doentes, com carências alimentares graves.

 

"Vende-se o kit completo, o aquário com a palmeirinha e a tartaruga, com a caixinha com os camarões, mas a maior parte não sobrevive seis meses", alertou a veterinária.

 

Dos animais ali entrados ao longo de quase três décadas, o caso que mais surpreendeu a veterinária foi o de um macaco, que assim que entrou numa esquadra de polícia de Gaia afastou os agentes do local, que se puseram em fuga.

Uma cobra pitão, encontrada num incêndio, em Gaia, está também na memória da veterinária.

 

 


Para visitar a fonte da informação, click aqui

Bolsas europeias recuperam de mínimos de seis meses

24.05.10, Planeta Cultural

As bolsas europeias fecharam a recuperar de mínimos de seis meses, registando, no entanto, alguma volatilidade. As praças da Europa foram impulsionadas pelos ganhos das mineiras, porém a crise nos défices europeus continuou a fazer-se sentir.

O Europe Stoxx 600 valorizou 0,38% para 238,02 pontos, após ter afundado a semana passada, para o nível mais baixo desde Novembro.

A Rio Tinto liderou os ganhos dos produtores de recursos básicos, tendo apreciado 2,6% para 2,98 pence, assim como a Xstrata, o quarto maior produtor de cobre, apreciou 1,5% para 964 pence. Os metais, como o zinco, níquel e estanho, também fecharam a valorizar.

“A volatilidade continua, mas avisámos que os mercados iam afundar”, afirmou o estratega, Mislav Matejka, da JPMorgan, citado pela Bloomberg. “O sentimento é extremamente frágil”, acrescentou.


O espanhol IBEX perdeu 1,27% para 9287,90 pontos, pressionado pela banca com o BBVA a depreciar 2,3% para 8,53 euros e o banco Santander a desvalorizar 1,5% para 8,48 euros.

No final da semana passada, o Banco de Espanha anunciou a sua intervenção no banco regional CajaSur, depois das negociações com a Unicaja para a fusão terem falhado. Os administradores do banco foram substituídos pelo banco central que nomeou um administrador provisório.

O CajaSur será administrado pelo FROB, um fundo com uma capacidade de 99 mil milhões de euros, criado pelo governo em Junho do ano passado.

O inglês FTSE valorizou 0,13% para 5069,61 pontos. O francês CAC apreciou 0,01% para 3430,93 pontos. O alemão DAX depreciou 0,40% para 5805,68 pontos e o holandês AEX subiu 0,05% para 313,57 pontos.

 

 

Fonte: Jornal de Negócios

Russel Brand e Carl Barat formam banda

24.05.10, Planeta Cultural

Russel Brand e Carl Barat (Libertines) formaram uma banda que se irá estrear em palco hoje à noite. Os Infant Sorrow contam ainda com a presença do actor Jonah Hill e são protagonistas no filme «Get Him to The Greek», do apresentador.

 

O álbum de estreia deverá ser editado ainda este ano pela Universal.

 

 

Fonte: Diário Digital

ASPP/PSP: MAI «enganou cidadãos» ao falar em aumentos 1,5%

24.05.10, Planeta Cultural

A Associação Sindical dos Profissionais da Polícia (ASPP/PSP) considera que o anúncio de aumentos de 1,5 por cento feito hoje pelo ministro da Administração Interna é "enganoso" e que é uma tentativa de desmobilizar a manifestação de quinta feira.


O presidente da ASPP, Paulo Rodrigues, lamentou hoje, em declarações à agência Lusa, o anúncio do ministro, dizendo que este "enganou os cidadãos" e que é uma "tentativa de desmobilizar a manifestação".

 

O ministro Rui Pereira disse hoje, no Porto, que os agentes da PSP e os militares da GNR vão ter este ano um aumento de 1,5 por cento na remuneração ilíquida.

 

"Lamentamos as declarações do ministro, porque o aumento de 1,5 por cento é sobre os suplementos. A título de exemplo, posso dizer que este aumento significa 11 euros para um polícia que ganha 755 euros de ordenado base", explicou à Lusa Paulo Rodrigues.

O sindicalista acrescentou que com a entrada em vigor do novo estatuto profissional, com o qual a ASPP não concorda, há uma redução dos suplementos superior ao aumento anunciado.

 

"O estatuto profissional que nós criticamos vai reduzir em dobro o suplemento patrulha e especial de polícia, retirando 20 euros aos polícias antes de os aumentar 11 euros, portanto não há qualquer aumento dos salários", acrescentou.

 

Assim, a ASPP lança um repto ao Ministério da Administração Interna: "Os profissionais da PSP abdicam do subsídio de fardamento se o ministério conceder o uniforme adequado ao desempenho da missão sempre que seja necessário".

 

A associação pretende também "deixar bem vincado" que a "manifestação não pretende exigir aumentos salariais, mas simplesmente um estatuto que sirva a instituição, os profissionais e melhore a eficácia da PSP junto dos cidadãos".

 

 


Visite a fonte da informação aqui