Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Planeta Cultural

Acima de tudo, cultura geral

Planeta Cultural

Acima de tudo, cultura geral

Tiger Woods teve 120 casos

29.04.10, Planeta Cultural

O golfista listou todos as relações extraconjugais que teve durante o casamento, uma das quais com uma vizinha. Elin, a mulher de Woods, vai avançar para o divórcio.

 

Tiger Woods confessou ter tido aproximadamente 120 casos extraconjugais durante os cinco anos de casamento. De acordo com o Daily Mail, o golfista terá listado todas as mulheres com quem esteve, como parte do plano de reabilitação que está a seguir.

 

A lista inclui nomes como a ex-modelo da Playboy Loredana Jolie Ferriolo e a relações públicas Rachel Uchitel. No entanto, conforme diz o National Enquirer, a mulher de Woods, Elin Nordegren, decidiu avançar com os papeis do divórcio depois de saber que o marido a teria traído com a filha de um dos seus vizinhos na Florida, então com 21 anos, e que conhecia desde os 14. No entanto, a vizinha não consta da lista do golfista, que negou qualquer envolvimento com a rapariga.

 

A mesma publicação avança ainda que Elin ligou furiosa ao marido durante um jantar com amigos, depois do regresso do desportista aos campos de golfe. "Ela gritava tão alto que todos na mesa conseguiram ouvir o que dizia", declarou uma fonte não identifcada ao National Inquirer. "Elin gritou: "Esta é a pior traição de sempre. Não acredito que tiveste relações com aquela rapariga, na nossa própria zona. Acabou-se, vou-me divorciar!". A Elin apagou o Tiger da vida dela. Não acredita em nada do que ele diz, o casamento acabou".

 

Um acidente de trânsito sofrido a 27 de Novembro fez com que viessem a público as notícias sobre a infidelidade conjugal de Tiger Woods. O desportista anunciou abandonar o golfe durante algum tempo para se dedicar mais à família, mas voltou recentemente a competir no U.S. Masters.

 

 

Faça uma visita à fonte da informação clicando aqui

Juros da dívida portuguesa a 10 anos deslizam mais de 30 pontos base

29.04.10, Planeta Cultural

Os investidores aliviaram hoje a pressão sobre a dívida pública portuguesa, diminuindo o retorno que exigem para comprar obrigações. A “yield” das obrigações a 10 anos desceu mais de 30 pontos base, num dia em que os juros cobrados à Grécia também deslizaram, a reflectir a expectativa de que a ajuda a Atenas será desbloqueada nos próximos dias.

A “yield” das obrigações a 10 anos desceu hoje 32 pontos base para 5,452%, uma evolução que foi ainda mais acentuada nos prazos mais curtos.

Os juros cobrados pelos investidores para comprarem obrigações a cinco anos desceram hoje 56 pontos base para 5,062%, e das obrigações a dois anos recuaram 69 pontos para 4,109%.

Mas não foi só a dívida pública nacional a sentir um alívio de pressão. Os juros cobrados pelos investidores para comprarem obrigações a 10 anos gregas cedeu 91 pontos para 9,039%. Nas obrigações a cinco anos, os juros caíram 96 pontos para 10,426% e na dívida a dois anos a queda foi de 325 pontos base para 12,566%.

Estas quedas estão relacionadas com os desenvolvimentos sobre a ajuda financeira à Grécia. O comissário europeu responsável pelos Assuntos Económicos, Olli Rehn, veio hoje a público anunciar que o pacote de ajuda internacional à Grécia está “praticamente concluído” e será terá uma dimensão capaz de fornecer ao Estado helénico “espaço suficiente para respirar face à pressão dos mercados”.

Esta posição contribuiu para um alívio da pressão sobre as bolsas e sobre a dívida, com destaque para a Grécia e Portugal.

O principal índice bolsista português subiu mais de 4%, registando o maior ganho desde Novembro de 2008, e o índice grego subiu quase 9%, a maior subida desde Outubro do mesmo ano.

 


Visite a fonte da informação aqui