Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Planeta Cultural

Acima de tudo, cultura geral

Planeta Cultural

Acima de tudo, cultura geral

Ilegal, "gato velox" espalha internet de banda larga no Rio

15.02.10, Planeta Cultural

Parte do sinal que conecta moradores da região metropolitana do Rio à internet é clandestino. O chamado "gato velox" se espalhou pelo subúrbio da capital e municípios vizinhos e desafia polícia e provedores que oferecem o serviço.

 

Por até R$ 30, moradores de bairros de classe média baixa ou mesmo em favelas conseguem uma conexão de internet banda larga de velocidade de dados limitada, mas que, pela via criminosa, permite fugir do acesso discado e da "exclusão digital". Os "gatos" costumam ser oferecidos onde as concessionárias não oferecem seus serviços de acesso à internet.

 

"A infra-estrutura para conectar essas pessoas e a falta de interesse das empresas deixa muito a desejar. Isso mostra uma demanda não atendida", afirmou Rodrigo Baggio, presidente do Comitê para a Democratização da Informática.

 

Há cerca de um ano na praça, os fraudadores têm sofisticado a transmissão de sinais de ponto a ponto. Abandonam aos poucos os metros de cabo que ligam o distribuidor ao cliente e passam a usar antenas, dificultando o trabalho da polícia. Algumas centrais clandestinas fornecem até ficha de inscrição e carteirinha para controlar o número e o perfil dos clientes.

 

"Qualquer jovem pode fazer isso. Os equipamentos se encontram facilmente na esquina e na internet. Eles acham que não estão cometendo crime, mas estão", diz o delegado Rodolfo Waldeck, da Defesa dos Serviços Delegados.

 

Geralmente, o "gato" oferece uma conexão com velocidade baixa (em média, 50 kbps, quantidade de dados enviados ou recebidos por segundo), que permite apenas o acesso simples a páginas na internet pouco "pesadas" --sem muita informação digital.

Downloads são praticamente inviáveis. Na maioria dos casos, o uso da internet limita-se à visita a sites de relacionamento, bate-papo, mensagens eletrônicas, pesquisa e para o uso de programas de mensagens instantâneas.

 

A polícia já realizou prisões por distribuição irregular de sinal. Em São Gonçalo, a 25 km do Rio, Bruno Rafael Paulino de Assumpção, 25, foi preso há um mês por montar e usar uma rede clandestina de distribuição de sinal de internet.

 

Ele responde ao processo em liberdade. A estrutura da rede impressionou os agentes da Draco (Delegacia de Repressão às Ações de Crimes Organizados) e de funcionários da Velox, serviço oferecido pela Oi no Rio.

 

Bruno comprou um plano de 300 kbps da provedora no nome da mãe, Maria das Graças Paulino de Assumpção, 50, e o instalou na casa de uma amiga.

 

De lá, uma antena enviava o sinal para a residência da família, a cerca de 3 km de distância (onde a Velox não oferecia acesso), segundo a polícia. Na casa da família, o sinal era dividido por dez computadores, em uma lan house --outras duas casas também captavam a conexão por antena.

 

O uso de antenas dificulta a identificação do local onde há o ponto "legal" da rede clandestina. Em São Gonçalo, a Draco investiga se redes clandestinas fornecem conexão à internet para comerciantes e até para um shopping da região.

 

"A velocidade é um pouco melhor que a conexão discada, mas não tenho que ocupar uma linha telefônica e disputar o acesso", afirmou o usuário de uma rede ilegal em Duque de Caxias, Baixada Fluminense, que não quis se identificar.

 

Algumas centrais, porém, oferecem serviço mais amplo e "personalizado". Em Bangu (zona oeste), um dos "gatos" oferece três planos de R$ 30 (150 kbps), R$ 60 (300 kbps) e R$ 110 (600 kbps). A atividade, em alguns casos, é feita por milícias, como ocorre com o "gatonet" (TV a cabo clandestina).

 

Fonte: Folha Online

Avião faz pouso de emergência na Flórida após colidir com pássaro

15.02.10, Planeta Cultural

Um avião fez nesta segunda-feira um pouso de emergência no Aeroporto Internacional de Fort Lauderdale, na Flórida, Estados Unidos, após colidir com ao menos um pássaro no momento da decolagem, mas nenhum dos 229 passageiros ficou ferido.

 

A aeronave da companhia Spirit Airlines tinha saído do aeroporto de La Guardia, em Nova York, quando uma ave se chocou contra a parte dianteira do avião, informou a Administração Federal de Aviação americana (FAA, na sigla em inglês).

 

O voo 758 retornou imediatamente ao Aeroporto de Fort Lauderdale e fez um pouso de emergência sem nenhum contratempo, de acordo com imagens transmitidas pelo Canal 7.

Nas últimas três décadas, aves causaram 668 incidentes aéreos nos EUA, mas só em 34 ocasiões os aviões sofreram danos graves e registraram 54 feridos e um morto, segundo números da FAA.

 

Os aviões em geral são afetados por pombas, corujas, gaivotas e gansos.

 

No ano passado, segundo dados da FAA, cerca de 20 aviões colidiram com essas aves.

Em janeiro de 2009, um Airbus A-320 da companhia US Airways pousou no rio Hudson, em Nova York, logo após decolar do aeroporto de La Guardia com destino a Charlotte (Carolina do Norte), após colidir com pássaros. Os 155 passageiros sobreviveram.

 

Faça uma visita à fonte da informação clicando aqui

Material electrónico é matéria-prima para obra artística

15.02.10, Planeta Cultural

Material electrónico obsoleto, como disquetes, fitas de vídeo ou objectos para armazenamento de dados, ganham agora uma nova vida através da obra de Nick Gentry, que os usa para construir telas, com faces imaginárias e identidades que podem ter ligação com as informações armazenadas.

 

«Como criança que cresceu nos anos 80 e 90, esta combinação desempenhou um grande papel acerca do que eu aprendi sobre o mundo», explicou o artista, acrescentando que «tudo era armazenado lá, desde filmes favoritos, a álbuns, jogos e até gravações pessoais». O «mundo dependia totalmente destes formatos físicos», concluiu.

 

«Agora, de repente, passamos por um momento em que eles são obsoletos, foram substituídos por inúmeros arquivos intangíveis de dados», continuou o britânico, revelando que o seu objectivo é «encorajar as pessoas a pensar de maneira mais criativa sobre os objectos que são considerados inúteis».

 

Explicando o seu trabalho, o artista plástico revelou que, por um mero acaso, descobriu que a peça de metal circular no verso das disquetes funcionava bem como uma metáfora para o olho humano. «Isso foi muito importante para mim, pois os olhos de uma pessoa podem revelar a sua identidade e os seus sentimentos», sublinhou.

 

 

Faça uma visita à fonte da informação clicando aqui

MONSTRINHA exibe filmes infantis no Museu de Etnologia

15.02.10, Planeta Cultural

O Festival de Animação de Lisboa, «MONSTRA», vai exibir uma série de obras para crianças no Museu Nacional de Etnologia, entre 11 e 21 de Março, no âmbito da programação da MONSTRINHA, secção do evento dedicada aos mais novos.

 

As sessões da MONSTRINHA «são sempre apresentadas por pedagogos ou realizadores e os filmes são na língua internacional do gesto e dos sons ou falados em português», segundo a organização.

 

As sessões dividem-se de acordo com as idades. Uma é dirigida a crianças dos três aos seis anos. Outra, às crianças dos 7 aos 12; e a última, a partir dos 12 anos.

Programa Completo:

 

3 a 6 anos (duração de sessão 35´)

 

Zé e o Pinguim
Real.: Francisco Lança e Joana Imaginário
Portugal, 1998, 10´, cor, desenho

 

Oktapodi
J. Bocabeille, F. Chanioux, O. Delabarre, T. Marchand, Q. Marmier, E. Mokheberi
França, 2008, 2´30´´, cor, 3D

 

Coisas e Loiças

Real.: Sandra Santos
Portugal, 2001, 6´, cor, objectos

 

O Pequeno Peixe (The Tiny Fish)
Real.: Sergei Ryabov
Rússia, 2007, 9´35´´, cor, desenho

 

Um Dia de Sol (A Sunny Day)
Real.: Gil Alkabetz
Alemanha, 2007, 6´15´´, cor, desenho

 

7 – 12 anos (duração de sessão 45´)

Zé dos Pássaros
Real.: Paulo Sousa e Silvino Fernandes
Portugal, 2002, 15´, cor, desenho + pintura

 

Coisas e Loiças
Real.: Sandra Santos
Portugal, 2001, 6´, cor, objectos

 

O Dia em que o Sr. Raposo...
Real.: Andreia Páscoa, Daniel Silva, João Cabaço
Portugal, 2003, 2´40´´, cor, desenho + aguarela

 

A Noiva do Gigante
Real.: Nuno Amorim
Portugal, 2007, 3´, cor, desenho

 

Estória do Gato e da Lua
Real.: Pedro Serrazina
Portugal, 1995, 5´30´´, p/b, desenho

 

Cães Marinheiros
Real.: Joana Toste
Portugal, 2007, 6´30´´, cor, desenho

 

O Meu Final Feliz (My Happy End)
Real.: Milen Vitanov
Alemanha, 2008, 5´10´´, cor, desenho + stop-motion + 3D

 

Maiores de 12 anos (duração de sessão 50´)

Zé Pimpão
Real.: André Letria
Portugal, 2007, 8´, cor, 3D

 

Amo-te (Dji Vou Veu Volti - I Love you)
Real.: Benoit Feroumont
Bélgica, 2007, 12´, cor, 3D

 

Dama da Lapa
Real.: Joana Toste
Portugal, 2004, 4´30´´, cor, desenho

 

Life Line
Real.: Ducki Tomek
Hungria, 2006, 6´, cor, computador 2D

 

Abraço do Vento
Real.: José Miguel Ribeiro
Portugal, 2004, 2´30´´, cor, objectos + desenho

 

Shshsh, Sinfonia Incompleta
Real.: Mário Neves
Portugal, 1999, 3´, cor, marionetas

 

Plastic People
Real.: Pavel Koutsky
República Checa, 6´

 

História Trágica com Final Feliz
Real.: Regina Pessoa
Portugal, 2005, 8´, p/b, grattage

 

 

Visite a fonte da informação clicando aqui

Microsoft finalmente oficializa Xbox Live para celulares

15.02.10, Planeta Cultural

A Microsoft finalmente fez o anúncio oficial do recurso que torna a Xbox Live compatível com celulares baseados em sua plataforma Windows Mobile, completando uma integração anunciada inicialmente há quatro anos, quando o Xbox 360 foi lançado.

A demora se deu ao atraso de desenvolvimento do sistema operacional móvel, que atualmente está na sua sexta versão. A integração, no entanto, só virá com a nova geração do software, batizado de Windows Phone 7 Series, que será pré-instalado em aparelhos com lançamento no final de 2010.

A Xbox Live nos celulares permitirá que usuários tenham acesso a seus avatares, anúncios de lançamentos e novidades, cartela com conquistas e perfis de jogadores, além de jogos propriamente ditos. Integração com a loja online do tocador portátil Zune também está prevista, com o comércio de vídeos e músicas.

 

Visite a fonte da informação clicando aqui

Joe Berardo garante estar disponível para comprar "golden share" do Estado na PT

15.02.10, Planeta Cultural

O investidor Joe Berardo disse hoje à agência Lusa que está disponível para comprar a 'golden share' (direitos especiais) que o Estado tem na Portugal Telecom (PT).

"Se o Governo quiser vender, eu estou interessado. O Governo não pode ter uma 'golden share', mas um accionista pode", disse à agência Lusa Joe Berardo, escusando-se, contudo, a avançar um valor para a oferta.

O empresário, que já foi accionista da PT, afirmou já ter oferecido ao Estado "um montante substancial pela golden share" na PT.

A proposta foi feita em 2007, na altura em que a Sonaecom lançou uma Oferta Pública de Aquisição (OPA) sobre a PT.


"Ofereci, na altura, um montante substancial pela 'golden share' [do Estado na PT]. Não posso saber quanto é que foi, acho que foram 200 milhões de euros", disse Joe Berardo.

"Escrevi ao Governo e ofereci um montante, que acho que foi 200 milhões de euros", acrescentou.


As 500 acções especiais, do tipo "A", que o Estado detém na PT conferem-lhe, na prática, poder de veto sobre a escolha de um terço dos administradores da empresa, incluindo o presidente do conselho de administração.

A Comissão Europeia decidiu em 31 de Janeiro de 2008 levar Portugal a Tribunal por causa dos direitos especiais que o Estado tem na operadora.

Portugal alegou na altura que os direitos especiais se regem pelo direito privado e que são justificados e compatíveis com a legislação comunitária.

Portugal alega também que os direitos especiais são aplicados de modo não discriminatório e com base em motivos de segurança e de ordem pública, assim como noutros imperativos de interesse geral.

Visite a fonte da informação clicando aqui

Zon e empresa de Isabel dos Santos lançam TV por satélite em Luanda

15.02.10, Planeta Cultural

A Zon Multimédia e a empresa angolana de Isabel dos Santos, Finstar, lançaram hoje em Luanda, um novo serviço de TV por satélite, designado como “ZAP”.

Com dois pacotes iniciais de 50 e 80 canais (premium) em Alta Definição (HD), a “ZAP” aposta principalmente nos conteúdos em português onde pretende ser "líder" no mercado angolano, sublinhou o director executivo, Nuno Aguiar, acrescentando querer apostar também na tecnologia e na prestação de um serviço de venda, instalação e manutenção de qualidade, segundo o comunicado da empresa.



Com um investimento inicial de 3,3 milhões de euros, a “ZAP” vai iniciar o serviço “em breve”, de acordo com o seu director executivo que não quis avançar com datas.



Nuno Aguiar, acredita que “este projecto irá ter um impacto positivo na vida de todos os angolanos, apresentando-se como uma plataforma para afirmação de Angola em toda a África Austral”.

De acordo com a Lusa, esta quarta-feira, a ZAP vai abrir um “call center”, embora o serviço, por estar em fase de testes, não tenha ainda uma data especifica para chegar aos clientes, não tendo igualmente um preço decidido, como ainda não tem a lista de canais concluída.

Este é mais um negócio estratégico para a internacionalização da Zon Multimédia. Recorde-se que a Zon já marcou a sua presença em Moçambique, através dos cinemas e da Sport TV África.
 

Fonte: Jornal de Negócios

Ciclismo: Justiça francesa ordena detenção internacional de Floyd Landis

15.02.10, Planeta Cultural
O ciclista norte-americano Floyd Landis foi determinado como suspeito, pela justiça francesa, por ter manipulado um computador do laboratório que fez o seu teste de anti-doping, durante a Volta à França de 2006. A justiça gaulesa já ordenou a detenção internacional do atleta.

O teste de anti-doping de Landis deu positivo a testosterona, e por isso o ciclista ficou sem o título de campeão da prova, a qual tinha vencido, nesse ano.

Fonte: O Jogo