Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Planeta Cultural

Acima de tudo, cultura geral

Planeta Cultural

Acima de tudo, cultura geral

Mau tempo: Rádio Altitude da Guarda sem emissão devido às baixas temperaturas

16.12.09, Planeta Cultural

A Rádio Altitude (RA) da Guarda está hoje sem emissão em frequência modulada (FM) devido às baixas temperaturas que danificaram um "componente vital" do sistema de transmissão, disse à agência Lusa o seu director.

 

"Uma antena do sistema de recepção do sinal [colocada junto do emissor] danificou-se seriamente devido à concentração de gelo, o que impede a emissão", desde as 13:30, contou Rui Isidro, director da RA, a rádio local mais antiga de Portugal que emite em FM na frequência de 90.9 MHz.

 

O responsável explicou que o sistema avariado é aquele "que recebe no emissor, o sinal que vai dos estúdios para o emissor, que fica situado na zona conhecida por Pedra do Vento, a cerca de três quilómetros de distância dos estúdios do Parque da Saúde".

 

Fonte: Jornal de Notícias

Todos os professores avaliados com "bom" terão acesso ao topo da carreira

16.12.09, Planeta Cultural

O ministério da Educação assumiu hoje, quarta-feira, perante a Fenprof que todos os professores avaliados com "bom" terão acesso ao topo da carreira, o suficiente para desbloquear o impasse, mas insuficiente para garantir um acordo, segundo Mário Nogueira.

O Ministério da Educação e os sindicatos dos professores voltam durante  o dia de hoje à mesa das negociações por causa da revisão do estatuto da  carreira docente e da avaliação dos professores, num momento em que as negociações  se encontram num impasse devido às quotas de progressão na carreira.

 

"Se o que estivesse em cima da mesa [hoje] fosse o documento que anteriormente nos foi entregue, estávamos num impasse", disse aos jornalistas o secretário-geral da Federação Nacional dos Professores.

 

Frisou porém que a proposta avançada pelo Ministério "não chega para assegurar seja o que for", apenas para a Fenprof registar uma "posição diferente" por parte do Governo.

 

Fonte: Jornal de Notícias

Morreu o pai da conversão da Rússia à economia de mercado

16.12.09, Planeta Cultural

Yegor Gaidar morreu hoje aos 53 anos vítima de um coágulo sanguíneo. Gaidar foi o mentor da maior transformação verificada num sistema económico: o da passagem do comunismo para o capitalismo em tempo recorde, através de uma “terapia de choque” desenhada em gabinetes de Moscovo, assessorada por pensadores das escolas liberais ocidentais, e colocada no terreno em apenas quatro meses.

Foi o primeiro-ministro das Finanças da Rússia pós-soviética entre Novembro de 1991 e Fevereiro de 1992. Foi ainda primeiro-ministro por alguns meses nesse ano, até ser demitido por Boris Yieltsin

Nesse pouco tempo decidiu liberalizar rapidamente os preços e iniciou a privatização das empresas. Nunca se arrependeu da sua estratégia, mas ao Negócios, numa entrevista concedida em Maio, admitiu erros e algum desalento com a Rússia da primeira década do século XXI.

Os seus detractores lembram os milhões que sofreram com a estratégia de choque adoptada. Os seus apoiantes dizem que as suas reformas criaram as bases do boom económico da última década. A sua fé no capitalismo numa foi abalada, nem mesmo com a crise actual:”A economia de mercado é 20 vezes mais dinâmica”, disse ao Negócios.

Quanto à Rússia da última década reconhece que o “boom” económico não está a ter os resultados que desejava. Isto porque o crescimento foi conseguido à custa do preço do petróleo, o qual, ao mesmo tempo, alimentou as oligarquias russas que acabaram por minar as reformas estruturais que a Rússia necessita para se afirmar no mundo globalizado, defendeu. Curiosamente o preço do petróleo, mas nessa altura em baixa, foi também uma das suas explicações para a queda do regime comunista: a forte queda do peço do ouro negro gerou défices externos insustentáveis.

O sofrimento imposto ao povo Russo com a reforma poderá ter minado significativamente a percepção dos russos em relação às virtudes da democracia e da economia de mercado. Talvez por isso, depois da saída do governo criou o “Instituto para a Economia em Transição”, sedeado em Moscovo, um “think-thank” defensor do liberalismo.

Em Maio esteve em Portugal para participar nas Conferências do Estoril. Foi aí que concedeu uma entrevista ao Negócios, onde as suas posições foram contrapostas com a de Samir Amin, um dos mais importantes defensores vivos do socialismo. A entrevista de Gaidar ao Negócios pode ser lida aqui:
 

 

Fonte: Jornal de Negócios