Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Planeta Cultural

Acima de tudo, cultura geral

Planeta Cultural

Acima de tudo, cultura geral

Para NET, governo deve levar banda larga só onde não há interesse das empresas.

14.12.09, Planeta Cultural

Vice-líder no mercado de provimento de acesso fixo à internet (26%), a NET enviou sugestões ao Plano Nacional de Banda Larga. Segundo o presidente da companhia, José Antonio Félix, o governo deve atuar apenas no mercado onde não há interesse da iniciativa privada por falta de retorno financeiro. “Nos locais onde não há nem infraestrutura de backhaul disponível para que uma empresa se instale lá”, disse. Nesses locais, ele defende que a rede pública seja colocada à disposição de pequenos empreendedores que queiram prestar o serviço de última milha.

Félix disse que a atuação do governo também é recomendável nos municípios onde há monopólio na prestação do serviço de acesso à internet, porque o consumidor paga mais por velocidade menor. “Faz parte da atividade do governo estimular novos entrantes”, disse Félix. Mas ele acha desperdício o governo gastar qualquer centavo para levar o acesso nos mercados onde tem alta competição, como São Paulo, Rio de Janeiro e Brasília.

Félix ainda defende que o governo dê incentivo fiscais para reduzir os preços do serviço em todas as praças, ressaltando, sobretudo o impacto do ICMS, que depende da iniciativa dos governos estaduais.

 

Visite a fonte da informação aqui

Copinhos de chocolate com maracujá

14.12.09, Planeta Cultural

Mais uma excelente sobremesa para ceia de Natal

 

Um doce simples com uma apresentação elegante.

 

Ingredientes:

 

Mousse

 

1 xícara (chá) de creme de leite
1 xícara (chá) de leite condensado
Suco de 3 maracujás
1 envelope de gelatina em pó incolor e sem sabor
½ xícara (chá) de água
Polpa de 1 maracujá para decorar

 

Copinhos

 

200g de chocolate meio amargo picado
200g de chocolate ao leite picado
Copinhos plásticos de café

 

 

Modo de preparação:

 

Mousse

 

Hidrate a gelatina com a água. Depois de dissolvida, bata-a no liquidificador junto com o creme de leite, o leite condensado e o suco de maracujá. Quando a mistura estiver homogénea, coloque em uma vasilha e leve ao refrigerador por 40 minutos.

 

Copinhos

 

Derreta os chocolates em banho-maria. Com uma concha pequena, despeje a mistura de chocolates derretidos no interior dos copinhos plásticos de café. Vire-os sobre o refractário para escorrer o excesso, formando uma casca fina e uniforme.

 

Leve ao refrigerador por 4 minutos, para endurecer. Repita o processo mais três vezes. Na última vez, use uma espátula ou pincel e passe o chocolate, que deverá estar bem cremoso, pelas laterais formando uma borda mais grossa. Leve novamente ao refrigerador e deixe secar.

 

Para desenformar os copinhos, corte a pontinha do copo plástico e rasgue-o com cuidado. Coloque num refractário raso e com a ajuda de uma colher adicione a mousse de maracujá dentro dos copinhos. Por último, corte ao meio o maracujá que restou, tire as sementes e decore os copinhos.

 

Rendimento: 10 porções
Tempo de preparação: 2h
 

Suflê de coco com abacaxi caramelado

14.12.09, Planeta Cultural

Excelente sobremesa para ceia de Natal

 

Os ingredientes:

1 xícara (chá) de leite
3 gemas
3 colheres (sopa) de açúcar refinado
2 colheres (sopa) de farinha de trigo
1 colher (sobremesa) de amido de milho
½ xícara (chá) de coco fresco ralado
1 colher (café) de essência de baunilha
1 abacaxi
1 xícara (chá) de açúcar cristal
½ xícara (chá) de água
3 claras
Açúcar de confeiteiro a gosto
Lascas de coco fresco para decorar

 

Como se prepara

Misture o leite, as gemas, o açúcar refinado, a farinha de trigo, o amido de milho, o coco fresco e a essência de baunilha em uma panela. Leve ao fogo médio, mexendo sempre, por aproximadamente 10 minutos ou até engrossar. Retire do fogo, deixe esfriar e reserve. Em seguida, corte o abacaxi ao meio no sentido do comprimento, tire a polpa dos dois lados e pique-a em pequenos cubos. Proteja a coroa com um papel alumínio.

 

Em uma panela, aqueça o açúcar cristal juntamente com a água no fogo baixo por 15 minutos ou até adquirir ponto de caramelo. Em seguida, acrescente a polpa do abacaxi picada e deixe cozinhar por mais 10 minutos. Despeje o abacaxi caramelado nas duas partes do abacaxi e reserve.

 

Bata as claras em neve e acrescente-as ao creme de coco que já está frio, misturando delicadamente. Adicione uma camada deste creme sobre o abacaxi caramelado.

Coloque a fruta em um refractário e leve ao forno médio (180º C) por aproximadamente 20 minutos. Retire do forno, polvilhe o açúcar de confeiteiro e decore com raspas de coco.

 

Uma dica: se eventualmente não quiser servir o doce na casca do abacaxi, a mesma montagem dos cremes pode ser feita em um refractário.

Rendimento: 6 porções
Tempo de preparação: 1h30min

 

Frio: Protecção civil alerta para a formação de gelo nas estradas e recomenda cuidados na condução

14.12.09, Planeta Cultural

A Protecção Civil alerta para a formação de gelo nas estradas de quase todo o país, sobretudo na madrugada de quarta-feira, recomendando cuidado na condução e o transporte de correntes de neve na viatura.

 

O Instituto de Meteorologia (IM) prevê para as próximas madrugadas uma progressiva descida da temperaturas mínimas, que podem continuar a atingir valores abaixo dos zero graus.

 

Segundo o IM, as temperaturas baixas vão registar-se sobretudo na madrugada de quarta-feira, quando poderá ocorrer também precipitação, o que cria condições para a formação de gelo nas estradas em quase todo o país.

 

Fonte: lusa

BES sobe mais de 2% e anima bolsa nacional

14.12.09, Planeta Cultural

A bolsa nacional encerrou a valorizar, animada pelo ganho superior a 2% do BES. O PSI-20 avançou 0,75% e acompanhou o sentimento positivo dos congéneres europeus, que beneficiaram de “boas novas” do Dubai. A Galp também se destacou ao subir 1,55%, num dia de fusões no sector petrolífero.

O PSI-20 subiu para 8.245,68 pontos, com 13 acções em alta, cinco em queda e duas inalteradas. Os congéneres europeus também registaram ganhos, na sua maioria, inferiores a 0,5%, no dia em que Abu Dhabi providenciou 10 mil milhões de dólares (6,8 mil milhões de euros) para ajudar a Dubai World a evitar o incumprimento da dívida.

Estas notícias foram bem recebidas pelo mercado, e ajudaram a acalmar os receios em relação ao Dubai e a possíveis contágios.

A animar a negociação, principalmente o sector petrolífero está a notícia de compra da XTO Energy por parte da Exxon Mobil, numa operação de 31 mil milhões de dólares.

E a Galp Energia não escapou a este contágio. As acções da petrolífera nacional subiram 1,55% para 11,83 euros, numa altura em que o índice que agrega as maiores petrolíferas europeias está a subir mais de 1%.

O BES fechou a ganhar 2,29% para 4,639 euros, no dia em que foi alvo de duas notas de "research". O CaixaBI emitiu um “research” onde aumentou o preço-alvo para o banco liderado por Ricardo Salgado para 5,80 euros, enquanto o Millennium reviu em baixa a sua avaliação para as acções do BES para 5,90 euros. Apesar desta revisão em baixa, o “target” do Millennium confere às acções um potencial de subida superior a 27% face ao valor de fecho de hoje.

No restante sector bancário nacional a tendência também foi de ganhos, com o BPI a subir 1,42% para 2,14 euros e o BCP a avançar 1,22% para 0,832 euros.

A travar maiores ganhos esteve a Portugal Telecom, que desceu 0,35% para 8,43 euros, depois de ter subido 3,8% nas últimas duas sessões.

A EDP também travou a subida do índice, ao cair 0,10% para 3,095 euros, enquanto a EDP Renováveis valorizou 0,34% para 6,284 euros.

Animada esteve também a Brisa, ao subir 1,41% para 6,84 euros, depois do Governo ter anunciado, durante o fim-de-semana que o consórcio constituído pela concessionária de auto-estradas e pela Soares da Costa ganhou o troço de alta velocidade Poceirão-Caia. A Soares da Costa fechou a sessão a ganhar 0,81% para 1,25 euros, depois de ter chegado a disparar 8% esta manhã.

Fora do PSI-20, destaque para as acções da Impresa que deslizaram hoje 5,74% para 1,97 euros. Os títulos estão a corrigir parte dos ganhos acumulados nos últimos meses, devido às notícias que envolveram a Ongoing e a TVI.
 

Fonte: Jornal de Negócios

Bloco quer mais explicações sobre rede de cuidados continuados

14.12.09, Planeta Cultural

O Bloco de Esquerda quer mais explicações sobre a conclusão da rede de cuidados continuados. O deputado João Semedo lembrou que a qualidade desta rede é também um factor importante, para além do número de camas.

 

O Bloco de Esquerda reclamou, esta segunda-feira, mais explicações do Governo acerca da conclusão da rede de cuidados continuados, que o Executivo pretende antecipar para 2013 com a criação de 12 mil camas, mais oito mil do que o anteriormente previsto.

 

Ouvido pela TSF, o deputado João Semedo admitiu que «Portugal necessita de uma rede de cuidados continuados que satisfaça as necessidades, ainda estamos muito longe disso», mas lembrou que a qualidade desta rede também é um aspecto importante, para além do número de camas.

 

O parlamentar bloquista recordou as dificuldades de acesso que agora existem no acesso a esta rede «dificuldades de ordem administrativa e burocrática, que não têm sido facilmente ultrapassadas», pois os «hospitais queixam-se de dificuldades de acesso e de referenciação para a rede».

 

João Semedo chamou ainda à atenção para o facto de que «ao contrário do que se passa com a rede de cuidados continuados, em que o número de camas tem vindo a aumentar, o número de camas destinado a cuidados paliativos, é insignificante relativamente às necessidades».

 

O deputado explicou ainda que o «Governo tem incidido muito o sucesso da rede no número de camas que tem vindo a contratualizar, esquecendo e desvalorizando a qualidade com que a rede está a funcionar que é insuficiente».

 

Para João Semedo, essa falta de qualidade sente-se nas dificuldades de acesso e no «tratamento diferenciado das diferentes situações clínicas que são absorvidas pela rede de cuidados de convalescença».

 

Fonte: TSF

Quase todo o País vai ficar abaixo de zero

14.12.09, Planeta Cultural

A vaga de frio vai manter-se até quarta-feira, dia em que começa a chover e a nevar com intensidade. Habitantes de uma aldeia de Vila Real contam os segredos para vencer o frio 
  

Frio?... "Nós aqui em Lamas d'Olo já estamos habituados, enrija os ossos", diz Palmira Santos a caminho de recolher o gado de raça maronesa, que se encontra a pastar na serra do Alvão, Vila Real. "Veste-se roupa sobre roupa e o frio não entra", refere. As regiões do interior já se habituaram às baixas temperaturas que se fizeram sentir ontem e que vão continuar pelo menos até quarta-feira. Os valores negativos vão atingir quase todo o País, especialmente durante a madrugada de hoje, a mais fria destas vaga. Quarta-feira, as previsões apontam para chuva e bastante neve.

 

Na aldeia de Lamas d'Olo, os cerca de 200 habitantes, já estão acostumados ao frio. "Defendemo-nos bem, estamos habituados e precavidos .Todas as casas têm lareira e é lá, no Inverno, que passamos a maior parte do tempo. Trabalhamos todos os dias, pois o gado tem de pastar, só quando a neve e o gelo nos impede de andar na rua é que ficamos em casa", conta Amâncio Picoto.

 

Augusta Pereira, 84 anos, acende a lareira pela manhã, "se está frio passo aqui o dia, e se neva não saio da cama. Quando o tempo está bom vou até ao campo colher as couves", refere. "Aproveito a lareira para fazer a sopinha no pote, pois não há melhor remédio para o frio do que tomá-la quentinha."

 

Mais de 90% da população de Lamas d'Olo é idosa, mas trabalha até poder. "Até as pernas aguentarem" diz Maria Augusta, 52 anos, uma das habitantes mais jovens da aldeia. Os seus segredos para combater o frio são : "Além das lareiras, a nossa alimentação também contribui, pois fazemos as refeições à base de batata, hortaliça, feijão e produtos do fumeiro, salpicão, chouriço e presunto, tudo isto 'aquece'."

 

Nos meses de Dezembro a Fevereiro, as temperaturas na maioria dos dias são baixas, muitas vezes negativas. Mas a Augusta Pereira, o frio não mete medo. "De dia a lareira e à noite na cama a botijinha de água quente. Com isto cá vou andando", revela.

São seis da tarde, a temperatura em Lamas d'Olo é de 1 grau. O vento é cortante, as ruas estão desertas, os animais recolheram aos estábulos e as pessoas a casa. Entretanto adensa-se uma fina névoa provocada pelo fumo que sai das chaminés da aldeia.

Esta vaga de frio tem a sua origem num anticiclone situado nas ilhas britânicas. Está a afectar Portugal e Espanha, mas o Instituto de Meteorologia garante que estas são temperaturas normais para a época do ano.

 

As populações mais sensíveis como os idosos e as crianças devem ter mais atenção, especialmente durante a noite, quando se regista um maior arrefecimento. As autoridades recomendam o uso de várias camadas de roupa e uma atenção especial aos aparelhos para aquecer as casas de forma a evitar acidentes.

 

Fonte: DN