Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Planeta Cultural

Acima de tudo, cultura geral

Planeta Cultural

Acima de tudo, cultura geral

Resultados empresariais alargam ganhos das praças americanas

13.11.09, Planeta Cultural

Os principais índices bolsistas dos Estados Unidos encerraram a última sessão da semana em alta, impulsionados pelos resultados acima do esperado da Walt Disney e Abercrombie & Fitch, que ofuscaram a inesperada queda da confiança dos consumidores norte-americanos em Novembro.

O Dow Jones fechou a ganhar 0,72%, fixando-se nos 10.270,47 pontos. Por seu lado, o Nasdaq estabeleceu-se nos 2.167,88 pontos, com uma valorização de 0,88%.

O S&P 500 avançou 0,57%, para 1.093,48 pontos. O índice acumula um ganho de 62% desde o mínimo de 12 anos atingido a 9 de Março passado.

A Walt Disney terminou em terreno positivo, depois de anunciar que os lucros do quarto trimestre do seu exercício fiscal aumentaram 18%, mais do que o previsto.

A Abercrombie & Fitch – retalhista da área do vestuário para adolescentes - também disparou, animada pelo lucro ajustado de 30 cêntimos por acção no terceiro trimestre, quando os analistas inquiridos pela Bloomberg estimavam uma média de 20 cêntimos por acção.

A J.C. Penney não fugiu à tendência de subida, sustentada pela revisão em alta para o seu resultado líquido do ano.

A Goodyear Tire & Rubber fechou igualmente no verde, impulsionada pela recomendação de compra das suas acções por parte do Goldman Sachs Group.

Também a McDonald’s ganhou terreno, depois de anunciar planos de expansão para a Polónia.

Do lado das perdas, a cadeia de “departments stores” cedeu depois de prever um aumento das suas margens brutas abaixo do esperado. A Sunoco, maior refinaria do Nordeste dos EUA, caiu com o corte da sua recomendação, de “neutral” para “vender”, pelo Goldman Sachs.

O mau dado relativo ao défice comercial de Setembro, que teve o maior crescimento da última década, bem como a queda inesperada da confiança dos consumidores este mês, acabaram por não ter tanto peso na bolsa como os bons resultados empresariais.
 

Fonte

Sporting e Académica falham acordo sobre transferência de Villas Boas

13.11.09, Planeta Cultural

Académica e Sporting falharam hoje o acordo para a transferência do treinador André Villas Boas para Alvalade, anunciou o último classificado da Liga de futebol na sua página oficial.

“Académica e Sporting não chegaram a acordo para a transferência do técnico para Alvalade, pelo que Villas Boas irá assim permanecer em Coimbra", lê-se no comunicado.

O Sporting tinha anunciado hoje "contactos exploratórios" com o representante do jovem treinador da Académica.

"Com a mesma vontade e empenho que já lhe são conhecidos, o treinador da Académica continuará a desenvolver o bom trabalho que tem feito no clube com o objectivo de levar a Briosa a muitos triunfos e êxitos futuros", refere ainda a nota da Académica.

André Villas Boas, também na página da Internet da Académica, disse-se "honrado" com o interesse dos "leões".

"Fiquei muito honrado com o interesse do Sporting, mas qualquer decisão do presidente da Académica seria tida em conta por mim, uma vez que me sinto perfeitamente integrado no projecto que me foi proposto".

 

Fonte: Jornal de Negócios

Galp Energia e Jerónimo Martins brilham na segunda semana de ganhos da bolsa

13.11.09, Planeta Cultural

Numa semana marcada por apresentações de resultados e por dados económicos mais positivos a bolsa nacional fechou a subir 0,71%, acumulando o segundo ganho semanal consecutivo. As “estrelas” desta semana foram a Galp Energia e a Jerónimo Martins, com a retalhista a fechar no valor mais elevado dos últimos 10 anos.

O PSI-20 subiu esta semana 0,71% para 8.514,03 pontos, acumulando ganhos pela segunda semana consecutiva. Das 20 acções que compõem o índice, 11 subiram enquanto as restantes nove acumularam quedas.

A Galp Energia destacou-se ao subir 4,31% para 12,455 euros, na semana em que revelou os resultados dos primeiros nove meses do ano e em que anunciou que a perfuração do quarto poço no Tupi vem reforçar a estimativa da existência de 5 a 8 mil milhões de barris de petróleo neste campo. Os lucros da petrolífera ascenderam a 179 milhões de euros e superaram as previsões, com os analistas a aplaudirem a actividade de refinação e distribuição.

A Jerónimo Martins também se destacou, com um ganho de 3,71% para 6,591 euros, o que corresponde ao valor mais alto desde Fevereiro de 1999, numa semana marcada por várias notas de investimento, onde os analistas reviram em alta os preços-alvo para a retalhista. Veja aqui as análises do Millennium, JPMorgan e BPI.

A terceira empresa que mais subiu esta semana foi a Sonae SGPS, apesar da semana não ter acabado da melhor forma. As acções subiram 2,91% para 0,92 euros, tendo esta sexta-feira perdido mais de 2%, depois da empresa liderada por Paulo Azevedo ter apresentado os resultados dos primeiros nove meses do ano.

Os analistas do ESR consideraram “decepcionante” o desempenho da área do retalho da empresa.

BCP foi o que mais travou os ganhos

As acções do BCP desceram 2,54% para 0,922 euros, numa semana marcada pela apresentação de resultados do banco. Os lucros dos primeiros nove meses do ano aumentaram 25,3% para 178,1 milhões de euros, mas os analistas não ficaram convencidos.

Aliás, os analistas consideraram mesmo que este terá sido o trimestre da inversão e que o BCP terá passado pelo “fundo do ciclo.” O Nomura foi o mais o duro para o BCP, mantendo a preocupação com os rácios de capital do banco.

A Mota-Engil também foi uma das cotadas que mais travou os ganhos, ao perder 2,31% para 4,025 euros, numa semana em que a empresa não teve focos de notícias.

Já a EDP Renováveis recuou 2,13% para 6,616 euros, marcada por notas de análise. O Exane BNP Paribas reviu em baixa o preço-alvo para a empresa, reflectindo essencialmente as suas expectativas para o mercado espanhol, e o Nomura, apesar de ter elevado o preço-alvo da EDP Renováveis, considerada que a empresa não tem catalisadores.

Fonte: Jornal de Negócios

Actriz Mara Manzan morre aos 57 anos

13.11.09, Planeta Cultural

Mara Manzan, conhecida pelos portugueses pela sua participação nas novelas brasileiras, faleceu esta sexta-feira, aos 57 anos, vítima de um problema pulmonar. A actriz estava internada por causa do cancro do pulmão de que padecia.

 

O último trabalho desta actriz foi na novela "Caminho das Índias", da TV Globo, que foi transmitida pela SIC.

 

Mara Mazan chegou a retirar-se das gravações por causa do tratamento médico, mas retomou-as na recta final. Em 2008, a actriz retirou um tumor maligno.

 

No último texto no seu blogue, editado a 5 de Outubro, Mara Manzan dizia que estava a passar por um momento muito feliz da sua vida.

 

Fonte: JN