Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Planeta Cultural

Acima de tudo, cultura geral

Planeta Cultural

Acima de tudo, cultura geral

Manuel Pinho demite-se após gesto "inqualificável" no Parlamento

02.07.09, Planeta Cultural

Manuel Pinho apresentou hoje o pedido de demissão a José Sócrates, o que o primeiro-ministro aceitou, uma vez que o gesto do ministro da economia foi inqualificável e afecta a imagem do Governo.

“Compreendo que não é fácil aceitar as críticas injustas. Sei bem como o ministro lutou.

Sei bem o quão revoltante é”, disse Sócrates, acrescendo depois que “nada justifica este gesto”.

“Isto não podia ter acontecido” e tenho “consciência de quanto” vai afectar o Governo.

Em declarações aos jornalistas, no final do debate do estado da Nação, Sócrates revelou que Pinho “apresentou a sua demissão, demissão essa que eu aceitei”

Até ao final da legislatura Teixeira dos Santos assumirá a tutela do Ministério da Economia, revelou o primeiro-ministro, José Sócrates.

“Quero agradecer-lhe o facto de ele me ter apresentado a demissão”, diss o primeiro-ministro, indiciando que a saída de Pinho era inevitável, mesmo que este se não demiti-se.

Sócrates considera que Manuel Pinho “deu o seu melhor ao serviço do País, e em particular às minas de Aljustrel”, adiantando que “sei o que custa ouvir criticas injustas”

“Lamento que tenha tido este acto irreflectido” mas isto “não se podia ter passado”. O “respeito pelo Parlamento não permite uma atitude destas”.



O gesto foi classificado de “inaceitável”, “lastimável” e “inadmissível” pelos vários intervenientes no debate hoje na Assembleia da República.

O gesto de Manuel Pinho - com os dois indicadores encostados à cabeça, simulando chifres - teve lugar durante uma intervenção do líder do Bloco de Esquerda, Francisco Louçã, que falava sobre os trabalhadores das minas de Aljustrel.

 

Fonte: Jornal de Negócios