Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Planeta Cultural

Acima de tudo, cultura geral

Planeta Cultural

Acima de tudo, cultura geral

Nokia-Siemens reconhece a possibilidade de escutas telefónicas no Irão

29.06.09, Planeta Cultural

A empresa de tele-comunicações germano-finlandesa Nokia Siemens Networks admitiu, nesta segunda-feira (29), que as tecnologias vendidas ao Irão permitiriam a escuta de conversações telefónicas, no entanto, negou que pudessem ser utilizadas para vigiar a internet.

A filial comum da Nokia e da Siemens forneceu ao operador de telecomunicações iraniano TCI equipamentos de vigilância de telefonemas, como parte de um contrato concluído no segundo semestre de 2008, informou Ben Roome, porta-voz do grupo.

"[Esta] função permite a vigilância dos telefonemas e fazia parte de um contrato mais amplo durante nossa ampliação da rede de celulares no Irão", disse, afastando, a possibilidade de espionagem na Internet.

Um apelo a um boicote da número um mundial da telefonia móvel, a finlandesa Nokia, circula na internet, no qual é acusada de ter ajudado o Irão a grampear aparelhos e e-mails durante as recentes manifestações da oposição denunciando fraudes durante a eleição presidencial.

Os tumultos que se seguiram no país fizeram pelo menos 20 mortos no Irão, segundo as autoridades.

S&P 500 a caminho da melhor subida trimestral desde 1998

29.06.09, Planeta Cultural

Os principais índices bolsistas dos EUA encerraram no verde, animados pela subida dos preços do petróleo, que impulsionou os títulos energéticos. O desempenho de hoje ampliou o melhor "rally" trimestral do Standard & Poor’s 500 desde 1998.

O Dow Jones fechou a ganhar 1,08%, fixando-se nos 8.529,38 pontos. O S&P 500 subiu 0,91%, para 927,22 pontos.

O Nasdaq fixou-se nos 1.844,06, com uma valorização de 0,32%.

A escalada dos preços do petróleo, que hoje superaram os 71 dólares por barril em Nova Iorque, animou os títulos energéticos, numa altura em que cada vez mais investidores se mostram convictos de que a recessão está a atenuar.

O crude foi sustentado por novos ataques contra instalações petrolíferas da Shell na Nigéria, que levou a mais cortes de produção daquele país. A Exxon Mobil e a Chevron lideraram a subida dos títulos energéticos em bolsa.

A J.C.Penney também esteve em alta, depois de o Morgan Stanley ter revisto em alta o seu “rating” para a terceira maior “department store” norte-americana, para “overweight”.

A Microsoft subiu 1,9%, animada com a revisão em alta do seu preço-alvo por parte do Deutsche Bank.

A Ford disparou 4,5% após anunciar que prevê a menor queda de vendas entre as principais fabricantes automóveis.

Em contrapartida, a queda da Biogen arrastou para o vermelho os títulos ligados aos cuidados de saúde. A Biogen perdeu mais de 6% depois de o Deutsche Bank ter feito um “downgrade” para as acções da empresa e depois de a empresa de biotecnologia ter anunciado que foram diagnosticados problemas cerebrais a mais um doente que estava a usar o seu medicamento para a esclerose múltipla.

Fonte: Jornal de Negócios

Rodrigo Costa adquire 50 mil acções da Zon Multimédia

29.06.09, Planeta Cultural

Rodrigo Costa, presidente da Zon Multimedia, adquiriu 50 mil acções da empresa que lidera no passado dia 24 de Junho, segundo informação divulgada à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).

O responsável fez a aquisição em bolsa, ao preço unitário de 3,718 euros, pelo que investiu 185 mil euros na empresa que lidera.

Após esta operação, Rodrigo Costa passou a deter 504.490 acções da Zon Multimedia correspondentes a 0,16% do capital.

As acções da Zon encerraram a subir 0,67% para os 3,732 euros.
 

 

Fonte: Jornal de Negócios

Madoff recebe pena máxima de 150 anos de prisão

29.06.09, Planeta Cultural

Bernard L. Madoff foi hoje condenado à pena máxima de 150 anos de prisão pelo tribunal de Manhattan. O antigo presidente do Nasdaq foi condenado pelos crimes de fraude, lavagem de dinheiro, perjúrio, falsas declarações e apropriação indevida de benefícios de funcionários.

"Nenhuma outra fraude é comparável ao caso Madoff", disse o juiz Denny Chin durante a leitura da sentença.

A decisão do juiz Chin vai ao encontro dos pedidos feitos pelas vítimas mas supera largamente o reclamado pelo advogado de defesa. Ira Sorkin defendeu que o seu cliente devia ser condenado a 12 anos de prisão, tendo em consideração a sua expectativa de vida: não mais do que 13 anos.

Antes de ser conhecida a decisão final do tribunal, Bernard Madoff teve tempo de pedir desculpa às suas vítimas. "Vivo atormentado por toda a dor e sofrimento que causei. Deixo um legado de vergonha. É algo com que vou ter que viver para o resto da minha vida", disse Madoff.

"Dizer que estou arrependido não é suficiente. Peço desculpa", disse olhando directamente para as vítimas presentes na sala de audiência. Durante mais de 20 anos, Bernard Madoff, um dos mais bem sucedidos gestores de Wall Street, enganou milhares de investidores. É autor de uma das maiores fraudes financeira de sempre, no valor de 65 mil milhões de dólares. O seu esquema piramidal foi descoberto no início de Dezembro de 2008.

Madoff confessou os seus crimes em Março deste ano: "Durante muitos anos, até à minha detenção, a 11 de Dezembro de 2008, geri um esquema piramidal financeiro".

"A essência da minha fraude era prometer a clientes e a potenciais clientes que iria investir o dinheiro, pagar os lucros e o investimento inicial. Essas promessas eram falsas. Nunca investi o dinheiro como tinha prometido. Esses fundos eram depositados numa conta no banco Chase Manhattan", explicou Madoff.
 

 

Fonte: Jornal de Negócios