Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Planeta Cultural

Acima de tudo, cultura geral

Planeta Cultural

Acima de tudo, cultura geral

Sindicatos defendem formação especializada para professores avaliadores

01.06.09, Planeta Cultural

A Federação Nacional dos Sindicatos da Educação (FNE) defendeu hoje que os professores avaliadores devem ter «formação especializada adequada», salientando que o processo de avaliação docente deve «assentar no pressuposto do reconhecimento dos avaliadores pelos avaliados».

«Todo o processo de avaliação deve assentar no pressuposto do reconhecimento dos avaliadores pelos avaliados, o que só pode conseguir-se através da observação do princípio de que para o exercício dos cargos de coordenação e de supervisão pedagógica são exigíveis preferencialmente formações especializadas adequadas», refere a FNE, num comunicado divulgado esta tarde.

A Federação Nacional dos Sindicatos da Educação reagia a uma notícia do Diário de Notícias segundo a qual o Conselho Científico para a Avaliação dos Professores, um órgão consultivo do Ministério da Educação (ME), defende que os docentes avaliadores devem fazer uma nova formação de médio ou longo prazo ao nível do ensino superior.

Comentando as conclusões dos conselheiros daquele órgão do ME, que sublinham que os avaliadores se sentem pouco preparados e sem muita capacidade para avaliar os colegas, a Federação considera que «quem foi preparado para avaliar alunos não está, só por isso, preparado para avaliar colegas».

Para a FNE, a «avaliação formativa do desempenho docente não pode ser uma actividade episódica, pontual e descontinuada», porque são «mais importantes as actividades de reformulação que venham a ocorrer do que a simples constatação do desempenho num dado momento».

No documento, a FNE salienta também a importância de os avaliadores serem entendidos «não só como classificadores mas, principalmente, como cooperantes no desenvolvimento do avaliado», para assim se poderem «potenciar mudanças de comportamentos e práticas».

Segundo a FNE, os professores avaliadores devem «sempre diligenciar para que todas as decisões sobre o processo de avaliação sejam tomadas de forma partilhada e acordada com o avaliado».

Por sua vez, a ministra da Educação, Maria de Lurdes Rodrigues, reconheceu hoje a necessidade de prosseguir e reforçar a formação dos professores avaliadores, reconhecendo-lhes, contudo, «capacidades e competências» para aplicar o modelo de avaliação nas escolas.

«O que eu recuso é que se passe atestados de incompetência aos professores e que se diga que os professores não tem as capacidades, nem as competências para fazer aquilo que é naturalmente o seu trabalho. Isso, eu recuso, o que não significa que não tenhamos sempre necessidade de fazer um esforço de formação contínua», sublinhou a ministra à margem da apresentação da Biblioteca de Livros Digitais, no Porto.

«O Conselho Científico para a Avaliação dos Professores está a trabalhar, como está o Ministério da Educação. Vamos aguardar tranquilamente os resultados do trabalho do conselho consultivo, como de outros estudos pedidos, designadamente à OCDE», acrescentou Maria de Lurdes Rodrigues.

Fonte: Lusa / SOL

Bolsa sobe mais de 1% impulsionada pela Galp Energia

01.06.09, Planeta Cultural

A bolsa nacional acompanhou o sentimento positivo das restantes praças mundiais e encerrou a valorizar, impulsionada pelos títulos da Galp e do BCP. O PSI-20 subiu 1,03% com a EDP Renováveis a impedir maiores ganhos.

O PSI-20 cotava nos 7.298,08 pontos com 16 cotadas em alta, 3 a descer e uma inalterada.

Na Europa, os índices negoceiam com valorizações superiores, que variam entre 1% e 3%, depois de ter sido divulgado que o preço das casas britânicas parou de cair em Maio e que a produção industrial europeia contraiu ao ritmo mais lento dos últimos sete meses em Maio.

A actividade industrial chinesa avançou em Maio pelo terceiro mês consecutivo, dando sinais que a economia do país está a começar a recuperar e o pior da crise já poderá ter ficado para trás.

Em Lisboa, a Galp Energia foi o título que mais impulsionou, a subir 1,44% para 11,28 euros, num dia em que os preços do petróleo negoceiam em alta nos mercados internacionais.

O sector bancário também impulsionou, com o BPI a liderar os ganhos com uma subida de 3,43% para 2,05 euros. O BCP avançou 1,59% para 0,768 euros e o BES ganhou 1,25% para 4,05 euros.

A impulsionar esteve também a Portugal Telecom, que ganhou 1,02% para 6,41 euros. A Sonaecom também subiu, 1,43% para 1,917 euros e a Zon valorizou 0,05% para 4,025 euros.

No sector energético, a EDP destacou-se com uma subida de 1,09% para 2,867 euros enquanto a EDP Renováveis impediu uma maior valorização do PSI-20 ao cair 0,94% para 7,41 euros.

Uma nota positiva também para a construção, num dia em que a Teixeira Duarte avançou 7,03% para 1,051 euros, depois da empresa ter apresentado resultados no final da semana passada.

A construtora anunciou que os lucros do primeiro trimestre superaram os 15,7 milhões de euros. Mais do dobro do montante registado em igual período do ano passado. A contribuir para a evolução positiva dos resultados esteve a actividade internacional da empresa, que já contribui com mais de 62% das receitas do grupo.

Ainda no sector da construção, a Mota-Engil valorizou 1,79% para 3,30 euros, enquanto fora do PSI-20, a Soares da Costa apreciou 4,17% para 1 euro.
 

 

Fonte: Jornal de Negócios

Menina desaparecida em Santarém encontrada em café

01.06.09, Planeta Cultural

Uma menor de 12 anos, que desde a noite de sábado se encontrava desaparecida de Vale Figueira, Santarém, onde reside com a família, foi hoje encontrada na região cerca das 12:30, informou fonte da Polícia Judiciária (PJ).

 

Segundo a mesma fonte, a criança terá sido reconhecida por um popular que, de imediato, contactou a GNR.

 

Fonte da GNR disse à Agência Lusa que a menor «estava sozinha num café» quando foi reconhecida.

 

A PJ, entretanto, não revelou quaisquer pormenores sobre as circunstâncias que levaram ao desaparecimento temporário da menor, dado continuarem as investigações sobre o caso.

 

De acordo com informações prestadas domingo à Agência Lusa por fonte do Comando-Geral da GNR, a rapariga saiu de casa cerca das 23:15 de sábado, dizendo apenas à mãe que levava consigo o computador portátil, tendo a progenitora, na ausência de notícias da filha, comunicado a ocorrência à GNR cerca de quatro horas depois.

 

In' Lusa/SOL