Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Planeta Cultural

Acima de tudo, cultura geral

Planeta Cultural

Acima de tudo, cultura geral

HP é líder de vendas no mundo; Apple fica na sexta posição

23.04.09, Planeta Cultural

Com os tropeços da economia americana, o mercado mundial de vendas de computadores também entrou em declínio, como indica uma reportagem publicada no AppleInsider . Em todo o mundo, a produção totalizou 67,2 milhões de unidades no primeiro trimestre de 2009, uma redução de 6,5% em relação mesmo período em 2008, segundo o relatório da Gartner apresentado no site.


Em relatório semelhante, a IDC também apresentou os resultados da participação dos fabricantes de computadores no mercado mundial. Em primeiro lugar, a HP reflecte a liderança que obteve no mercado americano, com 20,5% das unidades vendidas em todo o mundo de janeiro a março deste ano, o equivalente a cerca de 13 milhões de unidades. Dell e Acer aparecem em segundo e terceiro lugares, registrou 13,6% contra 11,6% respectivamente. Já a Apple vendeu menos que os 3,45 milhões de computadores vendidos pela Toshiba e por isso não apareceu no ranking Top 5 dos maiores vendedores mundiais, elaborado pela empresa.

 

Terramoto de 4 graus atinge área perto de L´Aquila

23.04.09, Planeta Cultural

Um novo terramoto de 4 graus de magnitude na escala Richter abalou a zona próximo de L´Aquila, cidade que A, indicou o Instituto Nacional de Geologia e Vulcanologia de Itália (INGV).


O terramoto, uma das várias réplicas registradas na área nas últimas duas semanas, ocorreu às 17:14 locais e teve o epicentro no distrito geológico de Velino-Sirente. 

 

A área situa-se poucos quilómetros a sul de L´Aquila, a capital da região de Abruzzo, onde o terramoto de 6 de Abril causou 295 mortes e deixou a cerca de 60 mil desalojados.

 

Muitas vítimas daquele terramoto continuam em acampamentos, casas de amigos e familiares ou hotéis do litoral adriático, onde poderão permanecer o tempo que precisarem, segundo uma decisão tomada recentemente pelo Executivo italiano.

 

Fonte: Diário Digital

Alterações ao subsídio social de desemprego aprovadas hoje

23.04.09, Planeta Cultural

O Governo aprovou hoje em Conselho de Ministros a extensão do subsídio social de desemprego a todas as pessoas que tenham um rendimento do agregado familiar até 461 euros (quando, até agora, só o podia fazer quem tivesse rendimentos até 365 euros) .

A medida tinha sido previamente anunciada terça-feira por José Sócrates, durante a entrevista à RTP 1 e abrangerá cerca de 15 mil pessoas adicionais, segundo as contas do Executivo.

Pedro Marques, secretário de Estado da Segurança Social, diz que as medidas entrarão em vigor no primeiro dia após a aprovação do diploma, e que o Governo está empenhado em acelerar o processo.

Esta medida é transitória, para vigorar durante 12 meses.

Alargamento do subsídio social de desemprego custa 20 milhões de euros

O alargamento do subsídio social de desemprego a mais 15 mil beneficiários vai custar este ano aos cofres do Estado 20 milhões de euros.

O alargamento do público-alvo far-se-á tanto no caso do subsídio de desemprego inicial, dado a quem não chega a ter direito ao subsídio de desemprego, como ao subsídio social chamado de subsequente, por ser atribuído quando o subsídio de desemprego acaba. Contudo, ela não terá efeitos retroactivos: só beneficiará quem à data da entrada em vigor da lei cumpra os requisitos necessários.

A medida é a segunda que o Governo anuncia num curto espaço de tempo. Em Dezembro, resolveu prolongar a atribuição deste subsídio por mais seis meses.

Subsídio de desemprego, social inicial e subsequente: as diferenças

Mas quem pode beneficiar deste apoio, na prática? O subsídio social de desemprego desdobra-se em duas prestações: o inicial e o subsequente. O inicial é atribuído a todos aqueles que não chegam a ter direito ao subsídio de desemprego, por não cumprirem os requisitos mínimos (por não terem feito descontos suficientes, por exemplo).

No final de Fevereiro havia 54.956 pessoas a receber este subsídio, por um valor médio de 328 euros (ver gráficos ao lado). Já o subsídio subsequente abrange quem chega ao fim do tempo de atribuição do subsídio de desemprego. Estão nesta situação 32.943 pessoas, a ganhar 353 euros, em média.

Num e noutro caso, o Governo resolveu facilitar as condições de acesso, ao alargar o rendimento médio que o agregado pode ter. Contudo, como a medida não tem efeitos retroactivos, segundo diz o Ministério, quem, por exemplo, esgotar esta semana o subsídio de desemprego e tenha um rendimento médio inferior a 450 euros não se poderá candidatar ao subsídio social. Só aqueles desempregados que terminarem o subsídio após a entrada em vigor da lei é que poderão beneficiar dela. Também no caso dos candidatos ao subsídio social inicial, só se aceitam candidaturas e só serão atribuídas prestações a partir do momento em que a lei entrar em vigor.

Os montantes do subsídio mantêm-se iguais: continuarão a corresponder ao salário mínimo ou a 80% dele, consoante os beneficiários tenham agregado familiar ou vivam sozinhos, respectivamente. O tempo de atribuição também não é mexido: o subsídio social subsequente prolonga-se por apenas metade do período de subsídio de desemprego a que o beneficiário teve direito - o que varia consoante a sua idade e o tempo de descontos - acrescido de seis meses.

O Governo promete acelerar o processo de aprovação e entrada em vigor da medida.
 

 

Fonte: Jornal de Negócios

EDP paga dividendo de 0,14 euros a 14 de Maio

23.04.09, Planeta Cultural

A Energias de Portugal (EDP) anunciou que vai efectuar o pagamento do dividendo relativo ao exercício de 2008 a partir de 14 de Maio. As acções da empresa liderada por António Mexia destacam a remuneração accionista de 0,14 euros a 11 de Maio.

Na assembleia geral de accionistas realizada em 15 de Abril foi aprovada a proposta do “Conselho de Administração Executivo de aplicação de resultados relativos ao exercício de 2008, tendo determinado a distribuição de um dividendo bruto de 0,14 euros”.

Em comunicado enviado à CMVM, a EDP acrescenta que “a partir do dia 11 de Maio de 2009 (inclusive), as acções representativas do capital social da EDP serão transaccionadas em mercado regulamentado sem conferirem direito a dividendos”.

Assim, 8 de Maio é último dia em que os títulos da eléctrica nacional negoceiam com direito ao dividendo. Considerando a cotação de fecho de hoje, os 2,662 euros, a rendibilidade do dividendo da EDP é de 5,26%.
 

 

Fonte: Jornal de Negócios