Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Planeta Cultural

Acima de tudo, cultura geral

Planeta Cultural

Acima de tudo, cultura geral

Chineses querem comprar terrenos para produzir azeite e vinho em Portugal

25.02.13, Planeta Cultural



A secretária-geral adjunta do Fórum Macau, Rita Santos, disse hoje que há empresários chineses interessados em comprar terrenos em Portugal para produzir vinho e azeite, dois produtos que aumentaram significativamente as exportações para a China em 2012.

Este ano são cerca de 200 os empresários chineses que se deslocaram até Lisboa para visitar o SISAB (Salão Internacional do Sector Alimentar e Bebidas), em busca de produtos portugueses.

Rita Santos, secretária-geral adjunta do Fórum para a Cooperação Económica entre a China e os Países de Língua Portuguesa (Fórum Macau) apontou um aumento significativo das exportações de vinho e azeite para a Macau e a China e acrescentou que os empresários querem ver “se há possibilidade de adquirir algumas adegas e quintas”.

“Já tivemos alguns contactos, estamos na fase de negociação”, afirmou, sem acrescentar pormenores.

Rita Santos disse que a China “está a alterar o regime alimentar” e procura “comida saudável”, sendo o azeite um destes alimentos.

“Se chegar à população em geral isto vai ser um grande negócio para Portugal”, já que os empresários chineses também procuram ‘know how’ para poderem exportar directamente.

Mas há também entraves à entrada de alguns produtos portugueses, sobretudo a nível da carne, devido às regras de higiene sanitária.

“O presunto não entra no mercado da China, mas entra em Macau”, adiantou Rita Santos, esperando que o problema seja ultrapassado em breve.

José Maria Pereira Coutinho, deputado da Assembleia Legislativa de Macau, afirmou que é “uma pena” que este produto, que “está a ser muito bem vendido em Macau, não consiga penetrar no mercado chinês” devido às barreiras higienossanitárias.

Apesar de os exportadores estarem a conseguir encontrar alternativas, já que o presunto está a chegar à China via Hong Kong, considerou que “para um maior sucesso é preciso maior esforço das autoridades portuguesas junto de Pequim” e aproveitar melhor a plataforma que existe em Macau.

Rita Santos destacou que o Fórum, que este ano comemora o seu 10º aniversário, tem sido uma plataforma onde “Portugal participa activamente” e que tem tido resultados positivos.

“Os empresários de Macau estão a fazer uma boa plataforma de ligação entre os empresários de Portugal e a China porque falam a mesma língua, o que é muito importante”, considerou.

 

 


Para visitar a fonte da informação clique aqui