Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]






Comentários recentes

  • Triptofano!

    Realmente no Porão qualquer excitação ficaria auto...

  • Veegam

    Como obter Stellar Lumens gratis!https://steemit.c...

  • Firmino

    deus vê a quem a gente faz bem e depois no fim lev...

  • Planeta Cultural

    O ser humano consegue bem de longe ser pior que os...

  • Maribel Maia

    É com muita pena que leio notícias dessas!





Auto-vacina

Sábado, 08.12.12


A Auto-vacina ou Vacina de Rebanho, é uma técnica já com alguns anos de estudo e desenvolvimento, nas mais diversas espécies de animais, Em Portugal,deu os seus primeiros passos na ornitologia em 2003/2004.

Com o objectivo de esclarecer o que é uma vacina / auto-vacina, fica aqui a definição de um dos responsáveis pelo seu desenvolvimento - Dr. Helder Lousada (Médico Veterinário e Mestre em Parasitologia Médica)

“Uma vacina é um preparado farmacológico que se destina a estimular o sistema imune do indivíduo vacinado de forma a criar mecanismos efectivos de combate e memória imunitária (imunomediados por via celular ou sorológica) a uma ou mais patologias provocadas por bactérias ou Virus.

Na pratica e se reduzirmos a situação a uma hipotética vacina com uma bactéria, o que se administra ao animal a vacinar/proteger, não é mais do que a bactéria atenuada ou morta por processo farmacológico ou ainda uma fracção dessa bactéria.

O que se pretende é promover o contacto do animal a vacinar com o vírus ou parte deste, desde que seja incapaz de provocar doença.

Quando estas partículas bacterianas entram em contacto com o sistema imune da ave este responde com uma acção imediata para eliminar aquele an-tigénio/bactéria e simultaneamente processa um registo celular denominado de memória imunitária, que permite ao canário no futuro responder mais intensamente, mais rápido e mais certeiro a uma eventual infecção por essa bacteria. “

Dr. Helder Lousada

Médico-Veterinário

 

O desenvolvimento da Auto-vacina atravessou várias fases, numa fase inicial, surgiu como uma encomenda específica, de um criador de Top (Nuno Monteiro), cujo o objectivo era a redução da taxa mortalidade no seu canaril e por sua vez tornar as aves muito mais resistentes a doenças provocadas por bactérias.

O resultado foi excelente, em anos anteriores a taxa de mortalidade rondava os 10% de mortes, no ano seguinte a taxa foi reduzida para metade.

Devido ao seu sucesso imediato, o grupo de criadores adeptos da autovacina aumentou, o que permitiu um desenvolvimento da auto-vacina a outra escala.

Todas as análises realizadas até então, concluíram que os resultados de canaril para canaril pouco divergiam, o que veio permitir o desenvolvimento de uma auto-vacina, muito mais versátil, deixando de ser uma vacina especifica para um criador, de uma determinada região geográfica, tornando-se numa vacina eficaz de Norte a Sul do País.

A Auto-vacina tem a capacidade de apoiar o desenvolvimento do sistema imunitário dos canários, tornando os muito mais robustos e resistentes

 

 

a doenças do foro intestinal e respiratório ( E.Coli, Estafilococos, Micoplasmose, Estreptococos…doenças do foro intestinal).

 

Modo de administração:




Injectável por via intramuscular.
Coloca-se o peito para cima (pernas para cima), desvia-se as penas do peito, e injecta-se o canário na região onde se apresenta mais musculo, ao lado do esterno, a meio do peito.

Basta introduzir a agulha apenas alguns milímetros, o suficiente para o bisel da agulha entrar no músculo, ao injectar, o liquido deve dirigir-se para o interior da ave e não para o exterior.

No peito ficará com um hematoma quase imperceptível, provocado pela introdução da agulha, este rapidamente irá desaparecerão fim de 1 ou 2 dias.

A seringa a ser utilizada deve ser de 1ml ( insulina). Para facilitar a vacinação pode utilizar um batente na agulha – corta uma borracha e coloca-la na agulha da seringa, deixando apenas de fora o comprimento de agulha necessário para a vacinação, desta forma não corremos o risco de introduzir demasiado a agulha.


Dosagem:

2 aplicações separadas por 3 semanas - 0.1ml por aplicação.

Existem frascos de 20ml para 100 canários e frascos de 50ml para 250 canários.


Durabilidade e época de administração:

Esta Auto-vacina protege a ave durante um ano.

Não existe uma época específica para a administração da Auto-vacina, contudo existem períodos mais recomendados: no mês de Setembro, após muda e antes das Exposições, ou logo após exposições e antes da época de criação.

Cuidados a ter:

A vacina deve ser guardada no frigorífico e mesmo durante a aplicação aconselhase a permanecer no fresco (colocar uma placa de gelo junto ao frasco). Após utilização voltar a colocar o frasco no frigorífico.

Antes da sua aplicação agitar bem o frasco.

Deve vacinar apenas canários saudáveis.

Vacinar os canários a partir dos 2 meses de idade.

Reacções após vacina:

O canário no dia da vacina e no dia seguinte ficará menos activo, alimentando-se normalmente. Nos dias seguintes voltará ao seu ritmo de vida normal.

As reacções poderão diferenciar de ave para ave, mas sem nenhum prejuízo para a mesma.

Vantagens:

As aves tornam-se muito mais robustas com um sistema imunitário e mais reforçado e resistente a doenças do foro intestinal e a algumas do foro respiratório.

Os canários reagem de uma forma muito positiva a mudança de ambientes (Transportadoras, Exposições, outros canaris…).

O facto de se encontrarem com o sistema imunitário reforçado, a ave sente-se melhor, e reunindo melhores condições físicas para o período das criações.

Os filhotes nascem mais robustos e apresentam um desenvolvimento mais regular e uma melhor adaptação a diferentes espaços (Viveiros, Voadoras…).

A utilização da auto-vacina veio reduzir a aplicação indiscriminada de antibióticos, principalmente durante o período da criação.

Notas Finais:

A Auto-vacina não vai desenvolver “Super-Canarios”, vai ajudar a promover a saúde e o bem-estar do plantel.

Um canário com saúde tem a capacidade de reunir um conjunto de factores que vão promover uma boa criação, reflectindo em filhotes saudáveis, robustos e com qualidade. A Auto-vacina ajuda a reduzir a probabilidade de Doença e por sua vez a redução da taxa de mortalidade.

Pessoalmente considero a Auto-vacina nos canários como a “Nova Tecnologia de Ponta”, que se encontra em constante evolução e a acompanhar a realidade da canaricultura, um trabalho de equipa entre Veterinários Especializados e os Criadores Dedicados…

Actualmente a Auto-vacina encontra-se desenvolvida para a Columbofilia, e em estudo e desenvolvimento para os Psitacideos.

Excelente anos de Criações, com o Mundial 2010 à vista…

                                                             

Se assim o desejar, visite a fonte da informação clicando aqui


 


Autoria e outros dados (tags, etc)

Publicado por Planeta Cultural às 20:59


Pesquisar

 



Contacto

planetacultural@sapo.pt

Comunicado aos nossos leitores

1- Planeta Cultural é um Blog que tem por objectivo prioritário a divulgação do que de melhor vai acontecendo em Portugal e no mundo, compreendendo nomeadamente a apresentação de algumas imagens, textos, compilações / resumos com origem ou preparados com base em diversas fontes, em particular nas páginas da Internet e motores de busca, publicações literárias ou de órgãos de Comunicação Social, que nem sempre será viável citar ou referenciar. Convicto da compreensão da inexistência de intenção de prejudicar terceiros, não obstante, agradeço antecipadamente a qualquer entidade que se sinta lesada pela apresentação de algum conteúdo, o favor de me contactar via e-mail (constante no meu perfil público), na sequência de que procederei à sua imediata remoção.

2 - Os comentários expressos neste "Blog", vinculam exclusivamente os seus autores, não reflectindo necessariamente a opinião nem a concordância face aos mesmos do autor deste sítio, "Blog", pelo que, publicamente aqui declino qualquer responsabilidade sobre o respectivo conteúdo. Reserva-me também o direito de eliminar qualquer comentário que possa considerar difamatório, ofensivo, calunioso ou prejudicial a terceiros, bem como textos de carácter promocional que também poderão ser excluídos.

Atenciosamente;

---------------------------------R. C.
-------------Administrador do Planeta Cultural