Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Planeta Cultural

Acima de tudo, cultura geral

Planeta Cultural

Acima de tudo, cultura geral

Auto-vacina

08.12.12, Planeta Cultural


A Auto-vacina ou Vacina de Rebanho, é uma técnica já com alguns anos de estudo e desenvolvimento, nas mais diversas espécies de animais, Em Portugal,deu os seus primeiros passos na ornitologia em 2003/2004.

Com o objectivo de esclarecer o que é uma vacina / auto-vacina, fica aqui a definição de um dos responsáveis pelo seu desenvolvimento - Dr. Helder Lousada (Médico Veterinário e Mestre em Parasitologia Médica)

“Uma vacina é um preparado farmacológico que se destina a estimular o sistema imune do indivíduo vacinado de forma a criar mecanismos efectivos de combate e memória imunitária (imunomediados por via celular ou sorológica) a uma ou mais patologias provocadas por bactérias ou Virus.

Na pratica e se reduzirmos a situação a uma hipotética vacina com uma bactéria, o que se administra ao animal a vacinar/proteger, não é mais do que a bactéria atenuada ou morta por processo farmacológico ou ainda uma fracção dessa bactéria.

O que se pretende é promover o contacto do animal a vacinar com o vírus ou parte deste, desde que seja incapaz de provocar doença.

Quando estas partículas bacterianas entram em contacto com o sistema imune da ave este responde com uma acção imediata para eliminar aquele an-tigénio/bactéria e simultaneamente processa um registo celular denominado de memória imunitária, que permite ao canário no futuro responder mais intensamente, mais rápido e mais certeiro a uma eventual infecção por essa bacteria. “

Dr. Helder Lousada

Médico-Veterinário

 

O desenvolvimento da Auto-vacina atravessou várias fases, numa fase inicial, surgiu como uma encomenda específica, de um criador de Top (Nuno Monteiro), cujo o objectivo era a redução da taxa mortalidade no seu canaril e por sua vez tornar as aves muito mais resistentes a doenças provocadas por bactérias.

O resultado foi excelente, em anos anteriores a taxa de mortalidade rondava os 10% de mortes, no ano seguinte a taxa foi reduzida para metade.

Devido ao seu sucesso imediato, o grupo de criadores adeptos da autovacina aumentou, o que permitiu um desenvolvimento da auto-vacina a outra escala.

Todas as análises realizadas até então, concluíram que os resultados de canaril para canaril pouco divergiam, o que veio permitir o desenvolvimento de uma auto-vacina, muito mais versátil, deixando de ser uma vacina especifica para um criador, de uma determinada região geográfica, tornando-se numa vacina eficaz de Norte a Sul do País.

A Auto-vacina tem a capacidade de apoiar o desenvolvimento do sistema imunitário dos canários, tornando os muito mais robustos e resistentes

 

 

a doenças do foro intestinal e respiratório ( E.Coli, Estafilococos, Micoplasmose, Estreptococos…doenças do foro intestinal).

 

Modo de administração:




Injectável por via intramuscular.
Coloca-se o peito para cima (pernas para cima), desvia-se as penas do peito, e injecta-se o canário na região onde se apresenta mais musculo, ao lado do esterno, a meio do peito.

Basta introduzir a agulha apenas alguns milímetros, o suficiente para o bisel da agulha entrar no músculo, ao injectar, o liquido deve dirigir-se para o interior da ave e não para o exterior.

No peito ficará com um hematoma quase imperceptível, provocado pela introdução da agulha, este rapidamente irá desaparecerão fim de 1 ou 2 dias.

A seringa a ser utilizada deve ser de 1ml ( insulina). Para facilitar a vacinação pode utilizar um batente na agulha – corta uma borracha e coloca-la na agulha da seringa, deixando apenas de fora o comprimento de agulha necessário para a vacinação, desta forma não corremos o risco de introduzir demasiado a agulha.


Dosagem:

2 aplicações separadas por 3 semanas - 0.1ml por aplicação.

Existem frascos de 20ml para 100 canários e frascos de 50ml para 250 canários.


Durabilidade e época de administração:

Esta Auto-vacina protege a ave durante um ano.

Não existe uma época específica para a administração da Auto-vacina, contudo existem períodos mais recomendados: no mês de Setembro, após muda e antes das Exposições, ou logo após exposições e antes da época de criação.

Cuidados a ter:

A vacina deve ser guardada no frigorífico e mesmo durante a aplicação aconselhase a permanecer no fresco (colocar uma placa de gelo junto ao frasco). Após utilização voltar a colocar o frasco no frigorífico.

Antes da sua aplicação agitar bem o frasco.

Deve vacinar apenas canários saudáveis.

Vacinar os canários a partir dos 2 meses de idade.

Reacções após vacina:

O canário no dia da vacina e no dia seguinte ficará menos activo, alimentando-se normalmente. Nos dias seguintes voltará ao seu ritmo de vida normal.

As reacções poderão diferenciar de ave para ave, mas sem nenhum prejuízo para a mesma.

Vantagens:

As aves tornam-se muito mais robustas com um sistema imunitário e mais reforçado e resistente a doenças do foro intestinal e a algumas do foro respiratório.

Os canários reagem de uma forma muito positiva a mudança de ambientes (Transportadoras, Exposições, outros canaris…).

O facto de se encontrarem com o sistema imunitário reforçado, a ave sente-se melhor, e reunindo melhores condições físicas para o período das criações.

Os filhotes nascem mais robustos e apresentam um desenvolvimento mais regular e uma melhor adaptação a diferentes espaços (Viveiros, Voadoras…).

A utilização da auto-vacina veio reduzir a aplicação indiscriminada de antibióticos, principalmente durante o período da criação.

Notas Finais:

A Auto-vacina não vai desenvolver “Super-Canarios”, vai ajudar a promover a saúde e o bem-estar do plantel.

Um canário com saúde tem a capacidade de reunir um conjunto de factores que vão promover uma boa criação, reflectindo em filhotes saudáveis, robustos e com qualidade. A Auto-vacina ajuda a reduzir a probabilidade de Doença e por sua vez a redução da taxa de mortalidade.

Pessoalmente considero a Auto-vacina nos canários como a “Nova Tecnologia de Ponta”, que se encontra em constante evolução e a acompanhar a realidade da canaricultura, um trabalho de equipa entre Veterinários Especializados e os Criadores Dedicados…

Actualmente a Auto-vacina encontra-se desenvolvida para a Columbofilia, e em estudo e desenvolvimento para os Psitacideos.

Excelente anos de Criações, com o Mundial 2010 à vista…

                                                             

Se assim o desejar, visite a fonte da informação clicando aqui