Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Planeta Cultural

Acima de tudo, cultura geral

Planeta Cultural

Acima de tudo, cultura geral

"Um ladrão não deixa de ser ladrão por ir ao Papa"

25.05.12, Planeta Cultural

Ao ataque, como nunca. Luís Filipe Vieira atirou-se ontem com todas as forças ao FC Porto e a Pinto da Costa, através de um discurso cheio de indiretas, onde não se cansou de repetir as palavras "burros" e "ladrão". Tendo como ponto de partida a homenagem aos campeões nacionais de basquetebol, e sem alguma vez referir o nome do clube nortenho ou do seu presidente, o líder dos encarnados, considerou que "o que se passou no Dragão é uma vergonha para o desporto e para o país". E atirou: "Só não é uma vergonha para quem não tem, nem nunca teve vergonha na cara!" Vieira não abrandou e lançou um ataque voraz e feroz ao congénere. "Um ladrão não deixa de ser ladrão por ir ao Papa! Um ladrão não deixa de ser ladrão por declamar poesia", disparou, numa referência implícita à paixão de Pinto da Costa em declamar poesia, nomeadamente de José Régio, e ainda ao facto de o líder portista ter sido recebido já por duas vezes no Vaticano, primeiro em 2003 pelo Papa João Paulo II, e já em 2011 por Bento XVI.

"A vossa vitória não foi apenas uma vitória desportiva, foi uma vitória da verdade, da coragem, foi uma vitória de quem soube sofrer as consequências de ir ganhar a uma casa que não tem dignidade nas derrotas", frisou, sublinhando: "O que alguns fizeram ontem [anteontem] e na véspera do jogo foi demasiado grave para ficar impune." "E ainda têm a lata de falar de apagões? Quando a sua história foi marcada por fruta, corrupção e compadrios?", referiu, reforçando: "Têm a lata de falar de verdade desportiva quando o seu sucesso foi construído com base na maior mentira do desporto português?"

Vieira fez da vitória do basquetebol no Dragão Caixa "uma demonstração clara de tudo quanto o clube tem vindo a denunciar" e lembrou que "o sistema ainda não acabou". "Continua construído na intimidação, violência e favores", defendeu, reconhecendo que se "as razões do Benfica podem não chegar à UEFA, como não chegaram as 'escutas da fruta', como não chegaram para a justiça portuguesa as 'escutas do café com leite'!", isso não será suficiente para o fazer desistir. E prometeu: "Não vamos parar enquanto não limparmos o desporto português".

"Burros não são os que acreditam na mudança. Burros são os que acreditam que isto nunca vai mudar. Burros são os que acreditam que a impunidade vai durar para sempre", disparou, sem parar. "Será que alguns dirigentes só gostam da atuação da polícia quando esta os avisa que têm de fugir para não serem presos?", soltou, respondendo às queixas portistas em relação à intervenção policial após a partida de basquetebol, considerando que "um fugitivo da justiça não o deixa de ser apenas porque alguns juízes decidiram assobiar para o lado". "Alguns muros já caíram, mas não vou descansar enquanto houver quem tenha medo e se sinta condicionado por ameaças e represálias", prometeu, garantindo que não vai "descansar enquanto algumas federações continuarem a ter medo de agir com liberdade". E realçando que vai "continuar a denunciar e a combater o sistema o tempo necessário", deixou um aviso em relação a uma modalidade em que o Benfica aspira também a roubar o título ao FC Porto: "Só espero que não venha agora atacar no hóquei em patins, porque vamos estar muito atentos!"

 

 

In' O Jogo