Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Planeta Cultural

Acima de tudo, cultura geral

Planeta Cultural

Acima de tudo, cultura geral

Deco diz que PT está a actuar de forma "inadmissível" na mudança para a TDT

21.12.11, Planeta Cultural
Associação recomenda consumidores a relatarem casos em que a operadora pediu dinheiro para que soubessem se a cobertura do sinal televisivo na sua região é feito por via terrestre ou satélite. O objectivo é exigir, posteriormente, "a devolução das quantias pagas indevidamente".

 

A Deco considera que a Portugal Telecom se está a comportar de uma maneira “inadmissível” na implementação da Televisão Digital Terrestre (TDT), indicou a associação num comunicado de imprensa.

Até 12 de Janeiro, a zona litoral de Portugal terá de fazer a migração para a TDT, sendo então abandonado o sinal analógico. Até agora, as campanhas de informação e de sensibilização têm sido “pouco claras” e com “resultados muito aquém do desejável”, algo que a associação de defesa dos consumidores já tinha dito anteriormente. Daí que a Deco defenda que “nem tudo está pronto para mudar já em Janeiro”.

Mas uma outra preocupação da Deco é que as dúvidas sobre a cobertura de algumas zonas continuam, ou seja, as populações não sabem se a cobertura nas suas regiões é feita por via terrestre ou satélite. E é aqui que a associação considera que o comportamento da PT, a operadora responsável por implementar a TDT, não está a ser o mais correcto.

“Responsável por implementar a TDT, a Portugal Telecom aconselha os consumidores aí residentes a pagar do seu bolso a técnicos para verificarem a cobertura, o que é inadmissível”, escreve a Deco no comunicado.

Isto porque para que seja feita a migração, os consumidores precisam de saber qual a cobertura que têm, porque os descodificadores que têm de comprar são diferentes – no caso de uma cobertura via satélite são mais caros. Este comportamento da PT prejudica, sobretudo, segundo a Deco, “os consumidores nos pequenos meios habitacionais, mais isolados da informação e com menos recursos financeiros”.

Anacom já foi informada, Deco exige devoluções

A associação indica que já informou a Anacom, defendendo que tal comportamento da empresa liderada por Zeinal Bava foi uma violação do princípio de equidade entre os dois tipos de recepção.

A Deco exige, por isso, que a PT “disponibilize gratuitamente equipas técnicas para informar no terreno”, escreve no comunicado.

Enquanto isso, a Deco deixa uma recomendação final: “Se a PT lhe aconselhar a pagar a técnicos para verificar a cobertura de sinal, envie o relato do seu caso (tdt@deco.proteste.pt) para exigir a devolução de quantias pagas indevidamente”.

No comunicado, a associação de defesa dos consumidores garante novamente que não é necessário aderir a nenhuma assinatura de televisão, ou seja, não é preciso subscrever nenhuma operadora para ter acesso aos quatro canais de sinal aberto, como actualmente, depois do "apagão analógico".

 

 

Para visitar a fonte da informação, clique aqui