Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Planeta Cultural

Acima de tudo, cultura geral

Planeta Cultural

Acima de tudo, cultura geral

Romário quer ser presidente do Rio mas partido não quer

05.11.11, Planeta Cultural

A lua-de-mel entre o ex-jogador e agora deputado federal Romário e o seu partido, o Partido Socialista Brasileiro (PSB), parece que chegou ao fim, ou, pelo menos, atravessa uma turbulência.

 

Logo após Romário ter anunciado que é pré-candidato a presidente da câmara do Rio de Janeiro para as municipais de 2012, o PSB apressou-se por sua vez a dizer que não o quer candidato e que até já tem outro para apoiar na cidade.

“Há um mês, já tinha deixado de lado a ideia de me candidatar à presidência do Rio, mas alguns vereadores procuraram-me e disseram que a minha candidatura seria boa para o partido e para a cidade", afirmou Romário.

Segundo ele, além dos vereadores cariocas, outras pessoas do mundo político e da sociedade engrossaram a lista dos que vêem com bons olhos a sua candidatura nas eleições municipais do próximo ano, o que o fez mudar de idéias e lançar-se candidato a candidato.

O entusiasmo do ex-jogador, no entanto, não é partilhado pelo seu partido. Ou, pelo menos, pela regional do seu partido no Rio de Janeiro, cujo presidente, Alexandre Cardoso, já declarou com todas as letras que não quer Romário candidato.

“Não há nenhuma possibilidade de o Romário ser candidato no Rio de Janeiro. Temos um acordo com o Eduardo Paes (actual presidente da cãmara do Rio) de apoiá-lo na reeleição. Temos um compromisso, e isso não pode ser mudado pela vontade individual de ninguém", refutou Cardoso.

Ante a polémica, Romário já deixou claro que, se a direcção nacional apoiar a decisão da regional carioca do partido em não apoiar a sua candidatura, ele não vai iniciar uma guerra com o PSB. Mas, isso também já está claro, se o partido não o apoiar, ele também não vai apoiar a reeleição de Eduardo Paes.

“No Rio de Janeiro, começaram a acontecer umas coisas com as quais eu não concordo", insistiu Romário, para depois reafirmar a sua intenção de não apoiar Paes, mesmo que o partido lhe peça isso:“Sou independente do partido. Eu só vou apoiar quem eu achar que devo apoiar.”

 

 

Para visitar a fonte da informação, click aqui