Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Planeta Cultural

Acima de tudo, cultura geral

Planeta Cultural

Acima de tudo, cultura geral

Manchas na pálpebra sinalizam risco de ataques cardíacos

16.09.11, Planeta Cultural

Um estudo realizado na Dinamarca afirma que marcas amarelas nas pálpebras são um sinal de risco de ataque cardíaco e outras doenças, afirmam investigadores. O trabalho, publicado no site especializado British Medical Journal mostra que pessoas que apresentam lesões cutâneas conhecida como xantelasmas estão 48% mais propensas a sofrer um enfarte do miocárdio.

As pequenas bolsas de tom amarelado situadas nas pálpebras são formadas por depósitos de colesterol. As marcas indicam ainda a formação de gordura noutras partes do corpo. Cardiologistas afirmam que a descoberta poderá auxiliar médicos a diagnosticar pacientes que possuem riscos de sofrer ataques cardíacos.

Na década de 1970, uma equipa de cientistas do Hospital Herlev, na Dinamarca, passou a acompanhar um grupo de 12.745 pessoas. Destes, um total de 4,4% apresentava xantelasmas.

Após 33 anos do início do estudo, 1.872 pessoas sofreram enfartes; 3.699 desenvolveram doenças cardíacas e 8.507 morreram. O estudo mostrou que pessoas com os papos amarelos em torno dos olhos sofriam mais risco.


Entre os que possuíam o sinal característico da doença, 48% estavam mais propensos a sofrer um ataque cardíaco; 39% estavam mais inclinados a desenvolver doenças cardíacas e 14% tinham mais probabilidades de morrer ao longo do estudo.

 

Os pesquisadores acreditam que pacientes com xantelasmas estão mais propensos a contar com depósitos de colesterol ao longo do corpo. A acumulação de gordura nas paredes das artérias, conhecida como arteriosclerose, induz a derrames e ataques cardíacos.

Tanto para homens como mulheres em diferentes grupos, o estudo mostrou que existe uma hipótese de 25% de portadores de xantelasma terem ataques cardíacos na próxima década.

Os cientistas dizem que os portadores da doença deveriam passar «por mudanças nos seus estilos de vida e por tratamentos a fim de reduzir o mau colesterol».

Mas advertem que, actualmente, «a maior parte das pessoas com xantelasmas procura dermatologistas, a fim de ter as suas marcas removidas por razões estéticas».

Por conta disso, afirmam que muitos pacientes não recebem tratamentos adequados para combater o seu crescente risco de sofrer doenças cardiovasculares.

 

 

Para visitar a fonte da informação, click aqui