Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]





Comentários recentes

  • Planeta Cultural

    O ser humano consegue bem de longe ser pior que os...

  • Maribel Maia

    É com muita pena que leio notícias dessas!

  • Planeta Cultural

    .......deve ganhar pouco no Real de Madrid e preci...

  • Sam

    Para quem gosta de redes sociais e quer ganhar uns...

  • Planeta Cultural

    Com um alvarinho a acompanhar...Ui....mas que peti...







Ela não toca violão...humilha!

Segunda-feira, 17.10.16

Existem pessoas que nascem prá.......quilo.....!

Esta, se tivesse posses e oportunidades, não estava tocando na berma de uma estrada não....

Autoria e outros dados (tags, etc)

Publicado por Planeta Cultural às 20:20

A sensualidade da cantora Blaya

Segunda-feira, 26.09.16

Blaya..jpg

Blaya.jpg

Fotos: Reprodução via internet

 

Mas que tanta sensualidade.....!

 

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Publicado por Planeta Cultural às 20:33

World Shin kicking Championship - "campeonato dos pontapés"

Sábado, 20.08.16

Se gostas de levar nas pernas, concorre, mas fica a saber que, se caires, ........perdes lol

 

confere através do vídeo:

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Publicado por Planeta Cultural às 11:46

Joyce: tatuagens de cortar a respiração

Sábado, 09.07.16

Joyce.jpg

 Foto: Reprodução via internet

Autoria e outros dados (tags, etc)

Publicado por Planeta Cultural às 11:47

7 PECADOS QUE (MUIT)OS PAIS INSISTEM EM COMETER

Sábado, 09.07.16

criança.jpg

 

Pense nos hábitos negativos dos seus filhos… Será que o mau exemplo vem de si? A psicóloga Vera Lisa Barroso analisa alguns comportamentos, comenta-os e faz recomendações

 

Já ponderou que as suas atitudes podem estar a influenciar negativamente o comportamento dos seus filhos? Escolhemos os sete pecados mais comuns dos pais e pedimos à psicóloga Vera Lisa Barroso, da Oficina da Psicologia, que os comentasse e aconselhasse como corrigir esses mesmos maus hábitos. Lembre-se que os pais são, na generalidade dos casos, os modelos que as crianças seguem e devem comportar-se como tal. Estes são alguns dos erros mais comuns:

 

1. Subornar as crianças para que tenham determinado comportamento

 

«Logo que usamos o termo subornar, sabemos que estamos a falar de um mau princípio na educação de qualquer criança. Desde cedo, devem integrar a divisão de tarefas e ter as suas próprias responsabilidades. O mesmo relativamente às boas atitudes que, na sua essência, estão muito mais relacionadas com o sentido de justiça, igualdade e reciprocidade das relações entre pessoas, do que com o estrito cumprimento de regras e normas sociais», refere Vera Lisa Barroso.

 

«Assim sendo, não estamos a falar de uma aprendizagem que se compre com presentes. Pelo contrário, estamos a falar de importantes valores pessoais que se desenvolvem por modelagem às principais figuras de referência das crianças, ações e diálogos reflexivos entre pais e filhos relativamente às diferentes situações do dia a dia», explica a psicóloga.

 

«O objetivo é criar uma mobilização interna para a escolha de determinadas atitudes e assunção de responsabilidades, em detrimento de uma motivação externa, como o caso dos presentes. O elogio e a felicitação são excelentes formas de valorizar as crianças», acrescenta ainda a especialista.

 

2. Ser inconstante na educação e nos castigos

 

«Imagine que no seu local de trabalho tem uma chefia que, um dia, pede uma coisa, outro dia, outra, um dia, critica e/ou penaliza um trabalho, outro dia, não diz nada ou elogia... Desta forma, é fácil perceber o quão desorganizador este cenário se torna para qualquer pessoa. É fundamental que as crianças cresçam com consistência, percebam que existe coerência entre os adultos, pelo menos, relativamente às regras de base», alerta Vera Lisa Barroso.

 

«A desautorização, crítica ou mudança de postura face às mesmas situações, em momentos diferentes ou com pessoas diferentes, só serve para baralhar as crianças. Os adultos devem fazer escolhas educativas duradouras e sobreviventes aos vários testes que as crianças vão fazendo», elucida ainda a psicóloga.

 

3. Não impor limites

 

«A inexistência destas fronteiras simbólicas impede que as crianças identifiquem qual o espaço de liberdade e segurança no qual podem agir. Seria uma espécie de anarquia, onde se pode fazer tudo, porque não existem regras. Na prática, por muito que os limites sejam contestados, eles existem para proteger as crianças e dar sentido às suas escolhas. Caso contrário, viveriam em confusão, frustração, insegurança e revolta», sublinha Vera Lisa Barroso.

 

4. Trabalhar demasiado para dar tudo aos filhos

 

«Na realidade, pouco serve proporcionar tudo aos filhos se nada puder partilhar com eles. Pouco adianta oferecer todos os brinquedos do mundo se não tiver tempo para brincar com eles, dar-lhes livros se não tiver tempo para ler com eles ou ainda proporcionar-lhes atividades extracurriculares, se não tiver tempo para as acompanhar... A verdade é que a grande maioria das crianças e adolescentes está consciente da ausência dos pais nas suas vidas e sofre com isso», diz a psicóloga.

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Publicado por Planeta Cultural às 09:43

Queen no Rock in Rio Lisboa celebram a carreira do grupo e sobretudo recordam Freddy Mercury

Sábado, 21.05.16

Os Queen iniciaram na sexta-feira no Rock in Rio Lisboa uma nova digressão para celebrar a carreira do grupo e sobretudo para recordar Freddy Mercury, num concerto em que foi prometida magia para “gente porreira”.


No segundo dia do festival, 74 mil pessoas juntaram as vozes para interpretar a maioria das músicas que os britânicos Queen interpretaram em Lisboa, acompanhados do cantor norte-americano Adam Lambert no lugar de Freddy Mercury.


Superada a meia hora de atraso, que lhe valeu algumas assobiadelas, o grupo interpretou meia dúzia de canções, mais hard rock, antes Adam Lambert recordar que não estava ali para substituir Freddy Mercury, que morreu em 1991. “Só há um Freddy Mercury, vamos celebrá-lo juntos”, disse.


O alinhamento que se seguiu serviu para isso mesmo, provando que Freddy Mercury é insubstituível e que as canções estão cristalizadas na interpretação dele. Adam Lambert pouco acrescentou ao que já se conhece das canções. Foi assim em “We will rock”, “Show must go on” ou “Somebody do love”.


O concerto teve vários momentos “para mais tarde recordar”, como a vez em que o guitarrista Bryan May tirou uma fotografia panorâmica ao público, com milhares de luzes de telemóveis acesas. Antes de tudo, o músico quis saber: “Gente porreira de Portugal, tudo bem?”.


Bryan May protagonizou ainda um momento emotivo, quando na língua de palco junto ao público interpretou, com guitarra acústica, o tema “Love of my life”, convidando os espetadores a cantarem com ele. “A magia vai acontecer”, disse.


Durante o concerto, o baterista Roger Taylor contou com a ajuda do filho, Rufus Tiger Taylor, também ele baterista, com quem protagonizou um curto duelo de baterias.


A lembrança e o carisma de Freddy Mercury estiveram sempre presentes ao longo do concerto, materializando-se, quase no fim das duas horas de atuação, em “Bohemian Rhapsody”, quando nos ecrãs gigantes apareceram excertos de atuação do cantor e do teledisco.

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Publicado por Planeta Cultural às 10:26

Prince morreu

Quinta-feira, 21.04.16

prince.jpg

Foto: Reprodução via internet

 

Prince, cantor norte-americano, morreu hoje, (quinta-feira)  na sua propriedade de Paisley Park, no Minnesota - Estados Unidos. O cantor tinha 57 anos e a sua morte foi confirmada à AP através da sua representante.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Publicado por Planeta Cultural às 21:10

Concurso de fotografia do mundo: Sony World Photography Awards.

Domingo, 17.04.16

Adriano-Neves-Portugal.jpg

 Foto: Reprodução via internet

 

Sim, temos um grande fotógrafo que prima pela sua grande preocupação em mostrar ao mundo a sua extrema qualidade das fotos que vai adquirindo quando os seu olhos lhe dizem. "sim, esta (foto) tem que fazer parte da minha colecção".

 

Estou a falar Adriano Neves, engenheiro civil, que nasceu perto de Tomar e que de á uns tempos a esta parte colabora com importantes editoras  e em especial com a National Geographic.

 

A  foto acima mencionada, concorrente ao prémio "Concurso de fotografia do mundo - Sony World Photography Awards", é a prova da excelente qualidade apresentada ao concurso pelo Adriano Neves.

 

Acreditamos piamente que, tal concurso vai ser vencido pelo nosso português.

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Publicado por Planeta Cultural às 14:58

Mia Couto questiona: Porque a indústria do armamento não entrou em crise?

Quinta-feira, 14.04.16

mia-couto.jpg

 

Uma homenagem ao escritor marcou o arranque da sexta edição do Festival Literário da Madeira. O autor foi desafiado a falar sobre um verso seu que diz: “Serve-nos a vida mas não nos chega”, contudo a conversa ganhou outras vidas e passou pela questão do medo.

 

Primeira sessão, sala cheia no Teatro Baltazar Dias para a inauguração da sexta edição do Festival Literário da Madeira. Mia Couto foi o homenageado e o convidado da primeira conversa do festival que este ano tem como tema “Falsidade e Verdade”.

 

Numa entrevista conduzida pelo jornalista Fernando Alves, Mia Couto falou da questão do medo. “Fomos concebidos para ter medo de não saber”, afirmou o autor que confessou esquecer-se muitas vezes daquilo que já escreveu. Para o escritor moçambicano “a grande ameaça está dentro de nós”, é lá que residem “os maiores inimigos”, explicou e admitiu ter um “medo desgraçado” do que está dentro de si.

 

Numa conversa que durou mais de uma hora, em que Mia Couto foi falando de si mas também da sua escrita, o público ficou a saber que o escritor sofre de insónias e que, por vezes, tem um “caderninho” onde vão apontando algumas ideias porque diz “estar disponível para receber as histórias”.

 

A escrever o segundo livro da trilogia “As Areias do Imperador”, depois de ter lançado em 2015 o primeiro volume “Mulheres de Cinza”, Mia Couto regressou ao tema do medo na conversa ao afirmar que “hoje o medo é a maior produção mundial”. Para Mia, “as pessoas têm de desistir de ser cidadãos”. E deu o exemplo: “Nós para entrar num aeroporto ou avião hoje em dia temos quase de entregar o corpo e a alma em nome da segurança. E pensamos que a solução é essa, a da construção de um inimigo”.

 

Processo criativo caótico

 

Sem falar em questões como os atentados de Paris ou Bruxelas, o autor de “Terra Sonâmbula” falou da “necessidade absoluta da construção do medo” e comparou os Homens de hoje aos soldados que não fazem perguntas e concluiu com uma questão que arrancou as palmas do público: “Porque é que a indústria do armamento não entrou em crise financeira?”

 

A primeira sessão do Festival Literário da Madeira, que terminou com uma sessão de autógrafos improvisada à saída do palco, levou também o público a saber mais sobre a escrita de Mia Couto. O escritor, que se deixou levar pela conversa do seu entrevistador, falou do modo “caótico” do seu processo criativo e explicou que quando termina um livro tem de fazer “uma morte simbólica” para se livrar das suas personagens. Para o também poeta, editado em Portugal pela Editora Caminho, tem de cortar com as histórias que escreve, só esse “desligar” lhe permite partir para outra história e admitiu que é “eficiente nesse apagamento”.

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Publicado por Planeta Cultural às 09:07

Morreu o actor Francisco Nicholson

Terça-feira, 12.04.16

Francisco Nicholson.jpg

 

O actor, dramaturgo e argumentista Francisco Nicholson morreu esta terça-feira, 12 de Abril, aos 77 anos, em casa, disse à agência Lusa fonte da família.

Francisco Nicholson começou a fazer teatro aos 14 anos, no antigo Liceu Camões, sob direcção do encenador e poeta António Manuel Couto Viana, a convite do qual veio a pertencer ao Grupo da Mocidade, que integrou com, entre outros, Rui Mendes, Morais e Castro, Catarina Avelar e Mário Pereira.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Publicado por Planeta Cultural às 12:10




Pesquisar

 


subscrever feeds



Contacto

planetacultural@sapo.pt


Comunicado aos nossos leitores

1- Planeta Cultural é um Blog que tem por objectivo prioritário a divulgação do que de melhor vai acontecendo em Portugal e no mundo, compreendendo nomeadamente a apresentação de algumas imagens, textos, compilações / resumos com origem ou preparados com base em diversas fontes, em particular nas páginas da Internet e motores de busca, publicações literárias ou de órgãos de Comunicação Social, que nem sempre será viável citar ou referenciar. Convicto da compreensão da inexistência de intenção de prejudicar terceiros, não obstante, agradeço antecipadamente a qualquer entidade que se sinta lesada pela apresentação de algum conteúdo, o favor de me contactar via e-mail (constante no meu perfil público), na sequência de que procederei à sua imediata remoção.

2 - Os comentários expressos neste "Blog", vinculam exclusivamente os seus autores, não reflectindo necessariamente a opinião nem a concordância face aos mesmos do autor deste sítio, "Blog", pelo que, publicamente aqui declino qualquer responsabilidade sobre o respectivo conteúdo. Reserva-me também o direito de eliminar qualquer comentário que possa considerar difamatório, ofensivo, calunioso ou prejudicial a terceiros, bem como textos de carácter promocional que também poderão ser excluídos.

Atenciosamente;

---------------------------------R. C.
-------------Administrador do Planeta Cultural

Quantos nos visitaram desde 13FEV2016?

-------------------------