Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]






Comentários recentes

  • Planeta Cultural

    O ser humano consegue bem de longe ser pior que os...

  • Maribel Maia

    É com muita pena que leio notícias dessas!

  • Planeta Cultural

    .......deve ganhar pouco no Real de Madrid e preci...

  • Sam

    Para quem gosta de redes sociais e quer ganhar uns...

  • Planeta Cultural

    Com um alvarinho a acompanhar...Ui....mas que peti...






Um em cada três homossexuais teve relações desprotegidas

Sexta-feira, 19.06.15

gays.jpg

O maior inquérito em território nacional feito a homens que têm sexo com homens, realizado em 2010 e só agora divulgado, revelou que mais de um terço dos inquiridos disse já ter tido relações ocasionais sem preservativo.

 

No comunicado divulgado pelo Instituto de Saúde Pública da Universidade do Porto (ISPUP), que teve a seu cargo o estudo em conjunto com o Grupo Português de Ativistas sobre Tratamentos de VIH/SIDA (GAT), é indicado que mais de metade da amostra de 5.187 participantes “referiu ter tido sexo com parceiros ocasionais” no ano anterior, enquanto quatro em cada 10 estavam numa relação estável no momento da resposta.

 

Em declarações à Lusa, a investigadora Ana Fernandes Martins revelou ainda que “mais de metade da amostra disse ter sido vítima de algum tipo de violência no ano anterior, tanto intimidação como violência física e verbal”.

 

O mesmo comunicado do ISPUP indicou que “em relações ocasionais, e pelo menos uma vez” no ano anterior ao inquérito, 37,2% admitiram não ter usado preservativo.

 

A investigadora do ISPUP realçou que não se pode considerar o estudo representativo da população portuguesa, uma vez que os inquiridos participaram depois de divulgação feita através de blogues, redes sociais e eventos dirigidos a um público de homens que têm sexo com homens.

 

De acordo com o inquérito, apenas 70% dos participantes identificaram-se como homossexuais, apesar de todos os inquiridos terem sexo com homens.

 

“Não é uma total surpresa, esta baixa proporção de homens que dizem não usar preservativo. Claro que o que nós continuamos a pensar é que talvez haja uma menor aceitabilidade dos métodos de prevenção”, disse Ana Fernandes Martins, que sublinhou que talvez se esteja “no caminho errado quanto à promoção da saúde” e da necessidade do preservativo.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Publicado por Planeta Cultural às 11:30

Lampard defende gays e diz que futebol não é mais coisa de "machões"

Sexta-feira, 03.04.15

O veterano Frank Lampard, do Manchester City, saiu em defesa de que homossexuais que estejam no mundo do futebol profissional sejam acolhidos respeitosamente. Em entrevista para um programa do Channel 4, em que bateu um papo com um apresentador gay, ele afirmou que a imagem de jogadores como "machões" não vale mais.

 

O apresentador Alan Carr foi o anfitrião da ida de Lampard à emissora, e questionou o jogador sobre a aceitação nos vestiários e junto às torcidas.

 

"Tivemos um par de jogadores gays se declarando. Isso é algo que está aí, em qualquer lugar, o tempo todo na vida das pessoas", afirmou Lampard.

 

"Tenho que dizer que o jogo está mudando muito, há uma grande quantidade de campanhas em prol da causa e noto mudanças nos vestiários. Eu gostaria de ver quem se declarar homossexual sendo tratado com respeito por todos", acrescentou.

 

"Esta teoria de que somos machões que jogam futebol é algo muito velho."

 

Lampard, experiente meio-campista de 36 anos, fez carreira no Chelsea e desde 2014 está no Manchester City. Ele tem no currículo 106 participações na seleção inglesa, com 29 gols.

 

 

Para visitar a fonte da informação clique aqui

Autoria e outros dados (tags, etc)

Publicado por Planeta Cultural às 15:50

Homossexuais ugandeses lançam revista

Terça-feira, 10.02.15

UMA activista homossexual do Uganda, onde a homossexualidade é ilegal, lançou uma revista, alegadamente para se defender dos constantes ataques da Imprensa sensacionalista e dos políticos contra a comunidade “gay”.

 

“Eles escrevem sobre as actividades ‘secretas’ da comunidade lésbica”, disse à France Presse (AFP), Kasha Nabagesera, de 34 anos, que sublinha ser alvo de ataques constantes da Imprensa. A “Bombastic” é uma publicação de 72 páginas com reportagens de interesse humano, ensaios, comentários e poemas sobre o “orgulho gay, lésbico, bissexual, transsexual e intersex (LGBTI), do Uganda”. Segundo a Agência Lusa, a maior parte dos textos é assinada com recurso a pseudónimos, mas a revista “fala por todos os que não têm voz”.

 

 

Para visitar a fonte da informação clique aqui

Autoria e outros dados (tags, etc)

Publicado por Planeta Cultural às 21:27

Parlamento chumba legalização da adoção por casais gay

Quinta-feira, 22.01.15

O Parlamento chumbou esta quinta-feira os projetos de lei que visavam legalizar o direito de casais gay adotarem crianças. Estavam em causa projetos do BE, PEV e PS.

 

O projeto do Bloco obteve 119 a favor, 89 contra e 12 abstenções; o do PS teve 119 votos contra, 91 a favor e 10 abstenções. O projeto do PEV foi chumbado com 120 votos contra, 91 a favor e 9 abstenções.

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Publicado por Planeta Cultural às 21:38

Elton John volta a casar com David Furnish

Domingo, 21.12.14

Elton John e o seu companheiro David Furnish.JPG

O cantor britânico Elton John casou-se, este domingo, com David Furnish em Windsor, Reino Unido, oficializando o casamento civil que tinham firmado há nove anos.

 

Elton John, 67 anos, e David Furnish, 52, casaram-se meses depois de Inglaterra e o País de Gales, duas das nações que integram o Reino Unido, terem aprovado o casamento entre pessoas do mesmo sexo. Esta semana, a Escócia também aprovou legislação semelhante.

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Publicado por Planeta Cultural às 23:01

Filhos de gays são tão ou mais saudáveis do que os outros, indica estudo

Segunda-feira, 07.07.14

No que diz respeito à saúde, as crianças criadas em contexto homossexual "estão a sair-se bem, quando não melhor", do que as que vivem em contexto heterossexual, considera a equipa de investigadores da Universidade de Melbourne, que publicou o estudo na revista médica "BMC Public Health" a 21 de junho

 

Os resultados do estudo australiano, que pretendia "descrever o bem estar físico, mental e social das crianças australianas que vivem com casais do mesmo sexo, e o impacto que o estigma tem nelas", foram hoje noticiados pelo jornal "The Washington Post".
A conclusão "não é propriamente uma novidade" e "confirma" o que já se sabia, que "são mais as semelhanças do que as diferenças entre as crianças que são educadas em contexto hetero e em contexto homoparental", destaca o psicólogo Jorge Gato, que ajudou a Lusa a ler os resultados.
Todos os estudos já feitos mostram que, "independentemente do método, do tamanho da amostra, daquilo que se estuda, há sempre uma convergência numa maior semelhança do que diferença entre estas duas famílias", resume Jorge Gato.
A "BMC Public Health" é uma revista "idónea", onde "é difícil publicar", pois "só" se aceitam "artigos de qualidade", frisa Jorge Gato, destacando a dimensão do estudo australiano, que recorreu a uma amostra "bastante significativa".
A equipa da Universidade de Melbourne seguiu 315 casais homossexuais e 500 crianças em toda a Austrália, comparando os seus resultados com os indicadores de saúde e bem-estar da população em geral.
Outra das novidades é que o estudo inclui quase 20 por cento de crianças que vivem com casais gay, amostra geralmente "menos estudada, porque menos disponível", realça Jorge Gato. "É mais fácil estudar as lésbicas, também porque provavelmente serão a maioria, porque é mais fácil para uma lésbica recorrer a uma inseminação artificial do que a um gay recorrer a uma barriga de aluguer", explica.
Em indicadores como "comportamento emocional" e "funcionamento físico", os investigadores australianos não encontraram diferenças entre as crianças em contexto homo e heteroparental, sublinhando que as qualidades da educação e o bem estar económico das famílias são mais importantes do que a orientação sexual dos pais.
Por outro lado, "as crianças que vivem com famílias homossexuais tiveram resultados, em média, seis por cento melhores em dois indicadores: saúde geral e coesão familiar", concluiu a equipa liderada pelo investigador Simon Crouch.
A conclusão de que os casais do mesmo sexo podem ser bons pais dá eco aos resultados de investigações já realizadas no passado. Porém, este estudo sugere que os filhos desses casais podem estar em vantagem por não terem um educação tão estereotipada no que respeita às relações e papéis de género.
Em declarações à ABC News, Simon Crouch deu como exemplo que os casais do mesmo sexo têm mais probabilidade de partilhar responsabilidades em casa do que os casais heterossexuais. Sair do esquema tradicional dos papéis de género resulta numa "unidade familiar mais harmoniosa", refere o estudo.
"Quando emergem diferenças [entre filhos de homo e heterossexuais], são geralmente a favor das crianças educadas em contexto homoparental, é o caso aqui também", nota Gato.
"Uma educação não tão estereotipada, mais livre, mais virada para a diversidade" promove o bem estar, corrobora o investigador, acrescentando que, geralmente, os casais homossexuais investem muito nas crianças, porque "foram uma escolha" e "raramente" um "acidente".
De acordo com o estudo, cerca de dois terços das crianças com pais homossexuais experimentaram alguma forma de discriminação por causa da orientação sexual dos seus pais, mas, "mesmo assim, conseguem ter melhores resultados do que os outros em algumas áreas", refere Gato.
O estudo sublinha que "nenhum tipo de família é necessariamente melhor do que outro" e que as crianças "podem crescer em contextos familiares muito diferentes".
Resumindo, "não é verdade" que, "como frequentemente se sugere, as crianças de pais do mesmo sexo tenham piores resultados por lhes faltar uma figura parental", sustenta a equipa, garantindo que "os dados são suficientes para saber o que é bom para as crianças".

 

 

In' Diário Digital

Autoria e outros dados (tags, etc)

Publicado por Planeta Cultural às 21:49

Elton John diz que Jesus Cristo apoiaria casamento gay

Quarta-feira, 02.07.14

A alguns meses de trocar alianças com o cineasta David Furnish, o músico Elton John confessou acreditar na aprovação de Jesus Cristo e elogiou a "humanidade" do Papa Francisco.

 

"Se Jesus Cristo fosse vivo, não acredito que, enquanto cristão e pessoa maravilhosa que ele era, diria que isto [casamento homossexual] não poderia acontecer. Ele acreditava no amor, na compaixão, no perdão, na tentativa de juntar as pessoas e é assim que a igreja deveria ser", defendeu Elton John, em entrevista ao canal norte-americano Sky News.

 

Sobre o atual estado da religião, o cantor, de 67 anos, limitou-se a elogiar o trabalho do Papa Francisco. "Ele entusiasma-me imenso com a sua humanidade. Ele resume tudo à humildade e à fé", sublinhou.

 

Ainda no que toca à aceitação da união homossexual, Elton John revelou querer conversar com presidente russo Vladimir Putin para que ele "enterre de vez" a sua campanha contra os direitos dos homossexuais. "Vou à Rússia em novembro e vou tentar falar com ele. É necessário construir uma ponte. A única forma de resolver conflitos é conversar", explicou.

 

O músico e o cineasta David Furnish estão juntos há 21 anos, mantendo uma união civil desde 2005. Têm dois filhos, Zachary, 3 anos, e Elijah, 1 ano, fruto da mesma barriga de aluguer. O casamento religioso está previsto para o próximo ano.

 

 

In' JN

Autoria e outros dados (tags, etc)

Publicado por Planeta Cultural às 21:44

Jorge Gabriel entre os apoiantes do movimento de gays e lésbicas

Sábado, 09.11.13

Jorge Gabriel, apresentador da RTP, veio a público dar a cara no seu apoio ao projecto mundial "Tudo Vai Melhorar", projecto este que visa combater a discriminação de gays, lésbicas, bissexuais e transsexuais.


Confira as palavras do apresentador através do vídeo



Autoria e outros dados (tags, etc)

Publicado por Planeta Cultural às 22:21

Casamento homossexual aprovado em Inglaterra e no País de Gales

Quarta-feira, 17.07.13

Após o consentimento por parte da rainha Isabel II, o projecto de lei que legaliza o casamento entre duas pessoas do mesmo sexo em Inglaterra e no País de Gales foi aprovado esta quarta-feira.

 

A lei recebeu a assinatura real, o último passo para que um projecto de lei seja legalizado, após a Câmara dos Lordes aprovar o texto na segunda-feira e a Câmara dos Comuns aprovar na terça.

 

Ainda que tenha entrado em vigor, o texto legislativo estabelece que os casamentos só se poderão realizar a partir do verão de 2014.

 

 

Para visitar a fonte da informação clique aqui

Autoria e outros dados (tags, etc)

Publicado por Planeta Cultural às 19:52

Daniela Mercury: «Namorei outras mulheres»

Domingo, 07.04.13



A cantora Daniela Mercury, que assumiu na semana passada ter um caso com a jornalista Malu Verçosa, revelou à revista Veja que esta não é a sua primeira relação homossexual.


«A primeira vez que me apaixonei por uma mulher foi em 1991. Depois, namorei outras. A relação mais séria foi com quem fiquei antes de me casar com o Marco. Com ela, não assumi publicamente a relação. E foi muito mau. Vivia com medo do que a imprensa e os paparazzi pudessem fazer conosco», afirmou a brasileira, que estará em breve no nosso país para dois concertos.


«Eu apaixono-me por pessoas. Não separo por género. Se houvesse uns ETs charmosos por aí, eu ia querer conhecer também. Sou curiosa, sou aberta. Amor não escolhe o sexo. Acho que as pessoas se apaixonam, se amam e pronto.»

 

 

Para visitar a fonte da informação clique aqui

Autoria e outros dados (tags, etc)

Publicado por Planeta Cultural às 21:58




Pesquisar

 


subscrever feeds



Contacto

planetacultural@sapo.pt


Comunicado aos nossos leitores

1- Planeta Cultural é um Blog que tem por objectivo prioritário a divulgação do que de melhor vai acontecendo em Portugal e no mundo, compreendendo nomeadamente a apresentação de algumas imagens, textos, compilações / resumos com origem ou preparados com base em diversas fontes, em particular nas páginas da Internet e motores de busca, publicações literárias ou de órgãos de Comunicação Social, que nem sempre será viável citar ou referenciar. Convicto da compreensão da inexistência de intenção de prejudicar terceiros, não obstante, agradeço antecipadamente a qualquer entidade que se sinta lesada pela apresentação de algum conteúdo, o favor de me contactar via e-mail (constante no meu perfil público), na sequência de que procederei à sua imediata remoção.

2 - Os comentários expressos neste "Blog", vinculam exclusivamente os seus autores, não reflectindo necessariamente a opinião nem a concordância face aos mesmos do autor deste sítio, "Blog", pelo que, publicamente aqui declino qualquer responsabilidade sobre o respectivo conteúdo. Reserva-me também o direito de eliminar qualquer comentário que possa considerar difamatório, ofensivo, calunioso ou prejudicial a terceiros, bem como textos de carácter promocional que também poderão ser excluídos.

Atenciosamente;

---------------------------------R. C.
-------------Administrador do Planeta Cultural

Quantos nos visitaram desde 13FEV2016?

-------------------------